O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
Meus dias nunca mais foram os mesmos...
Tornaram-se frios à medida que a saudade se foi vagarosamente,dolorosamente, instalando em cada espaço do meu ser.
Em todas as palavras, há essa falta.
A falta mora nas minhas lembranças, no meu passado.
Faz parte do meu presente, e certamente, me irá acompanhará nos passos futuros...É uma ferida que nunca cicatriza. 
Um universo de solidão instalado no peito,a cada dia em que acordo com uma certa angustia no peito,a cada dia em que transporto tristeza no olhar,a cada dia em que choro não chorando, a cada musica que ouço e que me alimenta a alma,...
Quando tudo o que preenche a alma se esvazia, o coração chora.
Tudo culpa de passos dados no passado, caminhos trilhados,estradas percorridas sem rumo ou direcção.
Um dia algo morreu em mim,...
Sinto falta...de voltar a ser criança,...sinto falta...do café da manhã na cama...
Sinto falta... das brincadeiras de infancia...sinto falta... dos passeios a pé e das aventuras que vivi.
Sinto falta...dos amigos com quem brinquei e com quem cresci.
Sinto falta...das bolinhas de sabão atiradas da janela...sinto falta... do chuto na bola, do pião, do berlinde.
Sinto falta...dos passeios p´la mão, de dar milho aos pombos na praça da cidade...sinto falta...do rádio que tocava canções na cozinha enquanto minha mãe arrumava.
Sinto falta...da minha ida á escola, do aeiou da cartilha que me ensinou.
Sinto falta...dos fins-de-semana quando iamos á esplanada ver cinema e eu adorava.
Sinto falta...do meu pequeno quarto partilhado, sinto falta... da guerra de almofadas e dos heróis que inventei.
Sinto falta... dos Natais em que esperava a meia-noite, para abrir os presentes, sinto falta...de me sentir a crescer, me olhar ao espelho e me sentir grande.


Sinto falta...do prazer que me dava escrever aqueles poemas de amor que partilhava
com quem amava.
Sinto falta...do meu primeiro beijo, do primeiro toque, do estremecer do meu corpo
e das sensações que senti.
Sinto falta...do meu primeiro grande amor.
Guardo comigo ainda cheiros,lembranças, fotos, poemas...
Marcas de mim...e dos meus passos,...imagens que eu quero sonhar...
guardo comigo momentos para serem lembrados...
guardo comigo sorrisos que eu quero imaginar...
guardo comigo palavras evozes que eu insisto em escutar...
Sempre haverá a falta...essa falta de algo que ficou perdido no tempo.


Guardo comigo amores que vivi, desejos que senti, erros que cometi, aromas que exalei, lágrimas que chorei, cartas que escrevi....mulheres que amei, outras que desejei e não possui.
Guardo comigo histórias que contei, poemas que escrevi,guardo comigo a lembrança de amigos que conquistei de gente que conheci e de momentos que vivi e partilhei.
Guardo comigo a emoção do nascer de um filho,...do sorriso e da emoção que senti, meus dias nunca mais foram os mesmos.
Sinto saudade do que tive e do que nunca procurei.
Sinto falta....da procura,...do vaguear na noite, do sol, da lua e das estrelas que me iluminavam a alma e das sombras tardias,...das loucuras cometidas pelo embriagado sentido.
Tudo que acontecia não tinha razão de acontecer ou não era para ter acontecido.
 
 Apenas desejo,...apenas paixão,...
O que vivi nem foi vida,nem morte... foi apenas um recorte.
Pedaço de folha morta soprada p´lo vento, vela que brilhou e se apagou no esfumar do tempo.
O silencio que chora, lágrimas que derramei e me  escorreram p´la face  perdidas,...transportando a tristeza de chorar o que se ama.
Hoje sou uma página rasgada de um livro envelhecido.
Um livro escrito p´lo tempo, pla saudade, plas horas passadas por palavras e silêncios, lágrimas que derramei e dor que senti. 
Sim, sinto falta ,...e meus dias nunca mais foram os mesmos.
Hoje penso e receio,...Será que dá tempo de reinventar a minha vida,...
Será que ainda á tempo de reencontrar o amor e reviver a alegria ridícula dos apaixonados?
Será que ainda posso reescrever uma nova história para a minha personagem.
Será que dá tempo de aprender o nome de todas as constelações e plantar uma árvore nas esquinas da minha alma tão cheia de sombras e sonhos?
Talvez até esperar o impossível acontecer com a tranqüilidade de quem já viveu tudo o que tinha para viver?
Será que dá tempo de esquecer e apenas Recomeçar?
Deixo este video -Luis Fonsi e Laura pausini - todo vuelve a empezar
PUBLICADO digitalblueradio às 16:38 | LINK DO POST
Meus dias nunca mais foram os mesmos...
Tornaram-se frios à medida que a saudade se foi vagarosamente,dolorosamente, instalando em cada espaço do meu ser.
Em todas as palavras, há essa falta.
A falta mora nas minhas lembranças, no meu passado.
Faz parte do meu presente, e certamente, me irá acompanhará nos passos futuros...É uma ferida que nunca cicatriza. 
Um universo de solidão instalado no peito,a cada dia em que acordo com uma certa angustia no peito,a cada dia em que transporto tristeza no olhar,a cada dia em que choro não chorando, a cada musica que ouço e que me alimenta a alma,...
Quando tudo o que preenche a alma se esvazia, o coração chora.
Tudo culpa de passos dados no passado, caminhos trilhados,estradas percorridas sem rumo ou direcção.
Um dia algo morreu em mim,...
Sinto falta...de voltar a ser criança,...sinto falta...do café da manhã na cama...
Sinto falta... das brincadeiras de infancia...sinto falta... dos passeios a pé e das aventuras que vivi.
Sinto falta...dos amigos com quem brinquei e com quem cresci.
Sinto falta...das bolinhas de sabão atiradas da janela...sinto falta... do chuto na bola, do pião, do berlinde.
Sinto falta...dos passeios p´la mão, de dar milho aos pombos na praça da cidade...sinto falta...do rádio que tocava canções na cozinha enquanto minha mãe arrumava.
Sinto falta...da minha ida á escola, do aeiou da cartilha que me ensinou.
Sinto falta...dos fins-de-semana quando iamos á esplanada ver cinema e eu adorava.
Sinto falta...do meu pequeno quarto partilhado, sinto falta... da guerra de almofadas e dos heróis que inventei.
Sinto falta... dos Natais em que esperava a meia-noite, para abrir os presentes, sinto falta...de me sentir a crescer, me olhar ao espelho e me sentir grande.


Sinto falta...do prazer que me dava escrever aqueles poemas de amor que partilhava
com quem amava.
Sinto falta...do meu primeiro beijo, do primeiro toque, do estremecer do meu corpo
e das sensações que senti.
Sinto falta...do meu primeiro grande amor.
Guardo comigo ainda cheiros,lembranças, fotos, poemas...
Marcas de mim...e dos meus passos,...imagens que eu quero sonhar...
guardo comigo momentos para serem lembrados...
guardo comigo sorrisos que eu quero imaginar...
guardo comigo palavras evozes que eu insisto em escutar...
Sempre haverá a falta...essa falta de algo que ficou perdido no tempo.


Guardo comigo amores que vivi, desejos que senti, erros que cometi, aromas que exalei, lágrimas que chorei, cartas que escrevi....mulheres que amei, outras que desejei e não possui.
Guardo comigo histórias que contei, poemas que escrevi,guardo comigo a lembrança de amigos que conquistei de gente que conheci e de momentos que vivi e partilhei.
Guardo comigo a emoção do nascer de um filho,...do sorriso e da emoção que senti, meus dias nunca mais foram os mesmos.
Sinto saudade do que tive e do que nunca procurei.
Sinto falta....da procura,...do vaguear na noite, do sol, da lua e das estrelas que me iluminavam a alma e das sombras tardias,...das loucuras cometidas pelo embriagado sentido.
Tudo que acontecia não tinha razão de acontecer ou não era para ter acontecido.
 
 Apenas desejo,...apenas paixão,...
O que vivi nem foi vida,nem morte... foi apenas um recorte.
Pedaço de folha morta soprada p´lo vento, vela que brilhou e se apagou no esfumar do tempo.
O silencio que chora, lágrimas que derramei e me  escorreram p´la face  perdidas,...transportando a tristeza de chorar o que se ama.
Hoje sou uma página rasgada de um livro envelhecido.
Um livro escrito p´lo tempo, pla saudade, plas horas passadas por palavras e silêncios, lágrimas que derramei e dor que senti. 
Sim, sinto falta ,...e meus dias nunca mais foram os mesmos.
Hoje penso e receio,...Será que dá tempo de reinventar a minha vida,...
Será que ainda á tempo de reencontrar o amor e reviver a alegria ridícula dos apaixonados?
Será que ainda posso reescrever uma nova história para a minha personagem.
Será que dá tempo de aprender o nome de todas as constelações e plantar uma árvore nas esquinas da minha alma tão cheia de sombras e sonhos?
Talvez até esperar o impossível acontecer com a tranqüilidade de quem já viveu tudo o que tinha para viver?
Será que dá tempo de esquecer e apenas Recomeçar?
Deixo este video -Luis Fonsi e Laura pausini - todo vuelve a empezar
PUBLICADO digitalblueradio às 16:38 | LINK DO POST
Meus dias nunca mais foram os mesmos...
Tornaram-se frios à medida que a saudade se foi vagarosamente,dolorosamente, instalando em cada espaço do meu ser.
Em todas as palavras, há essa falta.
A falta mora nas minhas lembranças, no meu passado.
Faz parte do meu presente, e certamente, me irá acompanhará nos passos futuros...É uma ferida que nunca cicatriza. 
Um universo de solidão instalado no peito,a cada dia em que acordo com uma certa angustia no peito,a cada dia em que transporto tristeza no olhar,a cada dia em que choro não chorando, a cada musica que ouço e que me alimenta a alma,...
Quando tudo o que preenche a alma se esvazia, o coração chora.
Tudo culpa de passos dados no passado, caminhos trilhados,estradas percorridas sem rumo ou direcção.
Um dia algo morreu em mim,...
Sinto falta...de voltar a ser criança,...sinto falta...do café da manhã na cama...
Sinto falta... das brincadeiras de infancia...sinto falta... dos passeios a pé e das aventuras que vivi.
Sinto falta...dos amigos com quem brinquei e com quem cresci.
Sinto falta...das bolinhas de sabão atiradas da janela...sinto falta... do chuto na bola, do pião, do berlinde.
Sinto falta...dos passeios p´la mão, de dar milho aos pombos na praça da cidade...sinto falta...do rádio que tocava canções na cozinha enquanto minha mãe arrumava.
Sinto falta...da minha ida á escola, do aeiou da cartilha que me ensinou.
Sinto falta...dos fins-de-semana quando iamos á esplanada ver cinema e eu adorava.
Sinto falta...do meu pequeno quarto partilhado, sinto falta... da guerra de almofadas e dos heróis que inventei.
Sinto falta... dos Natais em que esperava a meia-noite, para abrir os presentes, sinto falta...de me sentir a crescer, me olhar ao espelho e me sentir grande.


Sinto falta...do prazer que me dava escrever aqueles poemas de amor que partilhava
com quem amava.
Sinto falta...do meu primeiro beijo, do primeiro toque, do estremecer do meu corpo
e das sensações que senti.
Sinto falta...do meu primeiro grande amor.
Guardo comigo ainda cheiros,lembranças, fotos, poemas...
Marcas de mim...e dos meus passos,...imagens que eu quero sonhar...
guardo comigo momentos para serem lembrados...
guardo comigo sorrisos que eu quero imaginar...
guardo comigo palavras evozes que eu insisto em escutar...
Sempre haverá a falta...essa falta de algo que ficou perdido no tempo.


Guardo comigo amores que vivi, desejos que senti, erros que cometi, aromas que exalei, lágrimas que chorei, cartas que escrevi....mulheres que amei, outras que desejei e não possui.
Guardo comigo histórias que contei, poemas que escrevi,guardo comigo a lembrança de amigos que conquistei de gente que conheci e de momentos que vivi e partilhei.
Guardo comigo a emoção do nascer de um filho,...do sorriso e da emoção que senti, meus dias nunca mais foram os mesmos.
Sinto saudade do que tive e do que nunca procurei.
Sinto falta....da procura,...do vaguear na noite, do sol, da lua e das estrelas que me iluminavam a alma e das sombras tardias,...das loucuras cometidas pelo embriagado sentido.
Tudo que acontecia não tinha razão de acontecer ou não era para ter acontecido.
 
 Apenas desejo,...apenas paixão,...
O que vivi nem foi vida,nem morte... foi apenas um recorte.
Pedaço de folha morta soprada p´lo vento, vela que brilhou e se apagou no esfumar do tempo.
O silencio que chora, lágrimas que derramei e me  escorreram p´la face  perdidas,...transportando a tristeza de chorar o que se ama.
Hoje sou uma página rasgada de um livro envelhecido.
Um livro escrito p´lo tempo, pla saudade, plas horas passadas por palavras e silêncios, lágrimas que derramei e dor que senti. 
Sim, sinto falta ,...e meus dias nunca mais foram os mesmos.
Hoje penso e receio,...Será que dá tempo de reinventar a minha vida,...
Será que ainda á tempo de reencontrar o amor e reviver a alegria ridícula dos apaixonados?
Será que ainda posso reescrever uma nova história para a minha personagem.
Será que dá tempo de aprender o nome de todas as constelações e plantar uma árvore nas esquinas da minha alma tão cheia de sombras e sonhos?
Talvez até esperar o impossível acontecer com a tranqüilidade de quem já viveu tudo o que tinha para viver?
Será que dá tempo de esquecer e apenas Recomeçar?
Deixo este video -Luis Fonsi e Laura pausini - todo vuelve a empezar
PUBLICADO digitalblueradio às 16:38 | LINK DO POST
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
Que feio!Foi no meu blog, pegou meu texto, modific...
E um meio de sobrevive
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
subscrever feeds
SAPO Blogs