O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
 A  palavra Horóscopo em grego significa "considerar os céus" ou "ver a hora".

Na China, a astrologia é conhecida a partir de 2000 a.C. Diz a tradição que Buda, ao morrer, chamou os animais para se despedir e somente 12 vieram e estes são os anos da Astrologia Chinesa.
A Índia conheceu a astrologia da Mesopotâmia quando foi invadida, por volta de 1500 a.C.
Os Astecas usavam uma astrologia com 20 signos. Um padre espanhol, que acompanhou a tomada de Hernán Cortés, codificou a astrologia dos Astecas.
A comunidade científica não considera a astrologia uma ciência, embora haja astrólogos que procurem dar respeitabilidade à sua actividade usando justificações científicas. Um grande número de astrólogos praticantes e de "filósofos da astrologia" vê-a como uma arte baseada em conhecimento técnico, conhecimento tradicional e uma concepção sistêmica do universo. Uma das idéias que são base da astrologia é que o posicionamento dos astros no momento do nascimento e que se diz ter relação com o caráter e portanto com o destino, mas não há consenso entre os astrólogos sobre como se processa esta relação: as várias correntes atribuem a influência a campos eletromagnéticos ou semelhantes, ciclos, analogia ou sincronicidade.

Muitos astrólogos atuais pensam que os astros influenciam a personalidade ou caracterísiticas de pessoas ou eventos que ocorrem na Terra, mas muitos outros pensam que há outra relação, que não a de influência. Não há consenso sobre a forma como a astrologia supostamente funciona. No curso da história, vemos o surgimento de explicações diferentes. Verifica-se por vezes uma ligação entre a Astrologia e o Espiritismo, principalmente entre os "espíritas videntes" que preveem por vários métodos, inclusive por mapas astrais. No entanto, há que diferenciar as práticas.

  
A astrologia é um campo de conhecimento controverso, e há argumentos a favor e contra a validade de seu estudo. A ciência questiona que ela funcione. Alguns astrólogos afirmam ser capazes de fazer previsões sobre o futuro, no entanto as previsões que apresentam não demonstram que o grau de precisão das técnicas usadas seja superior ao do puro acaso. Outros astrólogos afirmam que a astrologia não é usada para prever o futuro, e sim para guiar e orientar os seus clientes através do seu potencial revelado no horóscopo. Alguns astrólogos, por vezes, usam argumentos científicos para explicar as suas práticas. Por exemplo, costuma-se dizer que, como a Lua causa as marés na Terra, é razoável acreditar que a força gravitacional de outros corpos celestes, mais pesados como os planetas pode nos afetar também. Outra tentativa de explicação científica para a Astrologia é a de que os corpos celestes pesados afetam o campo magnético da Terra e que o campo magnético da Terra, de alguma forma, afeta a pessoa durante o nascimento. No entanto nenhum destes argumentos parece satisfazer a comunidade cientifica que os co-argumenta. No entanto podemos referir que os antigos astrologos não conheciam todos os planetas alguns não tinham sequer sido descobertos, mas os astrólogos afirmam que, como qualquer corpo de conhecimento, também a astrologia evolui e a adição de novos planetas, asteróides ou outros elementos do céu não põe em causa,  o conhecimento passado.  


O mapa astral, também conhecido como horóscopo, é elaborado a partir do nascimento de um indivíduo, ou país. A maioria dos cépticos questiona porque o momento do nascimento é tão importante e não o da fecundação, onde efetivamente se define o DNA de um zigoto, elemento biológico reconhecidamente influenciador da personalidade e constituição física de um indivíduo? A resposta dos astrólogos é que é no momento de nascimento que a entidade se torna um individuo. No caso de um país, por exemplo, não basta a ideia de formar país, mas sim o momento em que a existência do país é oficializada e já não há retorno.  

  
Se uma mulher que marca uma cesariana não estaria a mudar o destino cósmico do seu filho? A resposta dos astrólogos a esta questão não faz sentido porque ninguém tem um destino traçado no seu horóscopo - caso contrário todas as pessoas com um horóscopo igual teriam também destinos similares.
Alguns cépticos questionam o que marca o momento de nascimento. Se um parto demora 20 horas, o que define o instante exato? As primeiras contrações, o estouro da bolsa, o aparecimento da cabeça do bebê pela vagina (ou corte da cesariana) ou o corte do cordão umbilical? Talvez fosse ainda, o momento mais provável de ser o utilizado na grande parte dos mapas, aquele que um médico ou enfermeiro resolve anotar como sendo a hora do nascimento. No caso de nascimento de um país a definição de um instante exato é ainda mais subjetiva. Em resposta, alguns astrólogos consideram que aquilo que determina o horóscopo de uma pessoa é o momento em que ocorre a primeira respiração, embora nas abordagens mais modernas da astrologia ocidental o momento do corte umbilical é o que realmente importa. Os astrólogos, em geral, também reconhecem que os dados de nascimento registados podem não estar completamente correctos, razão pela qual podem aplicar técnicas de rectificação para descobrir a hora e minuto exactos de nascimento.

  

Na astrologia não se compreende por exemplo  porque os astrólogos ignoram alguns astros, como os satélites Ganimedes e Titã apesar de serem maiores que o planeta mercúrio, argumentando que se tratam de satélites naturais, mas alua não é também um satélite natural? Alguns argumentam por exemplo neste sentido que a Terra rege o signo de Caranguejo e, por isso, se um dia nascer um bebé fora do planeta Terra, será o planeta, e não a lua, que deverá ser considerado na interpretação de um horóscopo. 
PUBLICADO digitalblueradio às 12:57 | LINK DO POST
 A  palavra Horóscopo em grego significa "considerar os céus" ou "ver a hora".

Na China, a astrologia é conhecida a partir de 2000 a.C. Diz a tradição que Buda, ao morrer, chamou os animais para se despedir e somente 12 vieram e estes são os anos da Astrologia Chinesa.
A Índia conheceu a astrologia da Mesopotâmia quando foi invadida, por volta de 1500 a.C.
Os Astecas usavam uma astrologia com 20 signos. Um padre espanhol, que acompanhou a tomada de Hernán Cortés, codificou a astrologia dos Astecas.
A comunidade científica não considera a astrologia uma ciência, embora haja astrólogos que procurem dar respeitabilidade à sua actividade usando justificações científicas. Um grande número de astrólogos praticantes e de "filósofos da astrologia" vê-a como uma arte baseada em conhecimento técnico, conhecimento tradicional e uma concepção sistêmica do universo. Uma das idéias que são base da astrologia é que o posicionamento dos astros no momento do nascimento e que se diz ter relação com o caráter e portanto com o destino, mas não há consenso entre os astrólogos sobre como se processa esta relação: as várias correntes atribuem a influência a campos eletromagnéticos ou semelhantes, ciclos, analogia ou sincronicidade.

Muitos astrólogos atuais pensam que os astros influenciam a personalidade ou caracterísiticas de pessoas ou eventos que ocorrem na Terra, mas muitos outros pensam que há outra relação, que não a de influência. Não há consenso sobre a forma como a astrologia supostamente funciona. No curso da história, vemos o surgimento de explicações diferentes. Verifica-se por vezes uma ligação entre a Astrologia e o Espiritismo, principalmente entre os "espíritas videntes" que preveem por vários métodos, inclusive por mapas astrais. No entanto, há que diferenciar as práticas.

  
A astrologia é um campo de conhecimento controverso, e há argumentos a favor e contra a validade de seu estudo. A ciência questiona que ela funcione. Alguns astrólogos afirmam ser capazes de fazer previsões sobre o futuro, no entanto as previsões que apresentam não demonstram que o grau de precisão das técnicas usadas seja superior ao do puro acaso. Outros astrólogos afirmam que a astrologia não é usada para prever o futuro, e sim para guiar e orientar os seus clientes através do seu potencial revelado no horóscopo. Alguns astrólogos, por vezes, usam argumentos científicos para explicar as suas práticas. Por exemplo, costuma-se dizer que, como a Lua causa as marés na Terra, é razoável acreditar que a força gravitacional de outros corpos celestes, mais pesados como os planetas pode nos afetar também. Outra tentativa de explicação científica para a Astrologia é a de que os corpos celestes pesados afetam o campo magnético da Terra e que o campo magnético da Terra, de alguma forma, afeta a pessoa durante o nascimento. No entanto nenhum destes argumentos parece satisfazer a comunidade cientifica que os co-argumenta. No entanto podemos referir que os antigos astrologos não conheciam todos os planetas alguns não tinham sequer sido descobertos, mas os astrólogos afirmam que, como qualquer corpo de conhecimento, também a astrologia evolui e a adição de novos planetas, asteróides ou outros elementos do céu não põe em causa,  o conhecimento passado.  


O mapa astral, também conhecido como horóscopo, é elaborado a partir do nascimento de um indivíduo, ou país. A maioria dos cépticos questiona porque o momento do nascimento é tão importante e não o da fecundação, onde efetivamente se define o DNA de um zigoto, elemento biológico reconhecidamente influenciador da personalidade e constituição física de um indivíduo? A resposta dos astrólogos é que é no momento de nascimento que a entidade se torna um individuo. No caso de um país, por exemplo, não basta a ideia de formar país, mas sim o momento em que a existência do país é oficializada e já não há retorno.  

  
Se uma mulher que marca uma cesariana não estaria a mudar o destino cósmico do seu filho? A resposta dos astrólogos a esta questão não faz sentido porque ninguém tem um destino traçado no seu horóscopo - caso contrário todas as pessoas com um horóscopo igual teriam também destinos similares.
Alguns cépticos questionam o que marca o momento de nascimento. Se um parto demora 20 horas, o que define o instante exato? As primeiras contrações, o estouro da bolsa, o aparecimento da cabeça do bebê pela vagina (ou corte da cesariana) ou o corte do cordão umbilical? Talvez fosse ainda, o momento mais provável de ser o utilizado na grande parte dos mapas, aquele que um médico ou enfermeiro resolve anotar como sendo a hora do nascimento. No caso de nascimento de um país a definição de um instante exato é ainda mais subjetiva. Em resposta, alguns astrólogos consideram que aquilo que determina o horóscopo de uma pessoa é o momento em que ocorre a primeira respiração, embora nas abordagens mais modernas da astrologia ocidental o momento do corte umbilical é o que realmente importa. Os astrólogos, em geral, também reconhecem que os dados de nascimento registados podem não estar completamente correctos, razão pela qual podem aplicar técnicas de rectificação para descobrir a hora e minuto exactos de nascimento.

  

Na astrologia não se compreende por exemplo  porque os astrólogos ignoram alguns astros, como os satélites Ganimedes e Titã apesar de serem maiores que o planeta mercúrio, argumentando que se tratam de satélites naturais, mas alua não é também um satélite natural? Alguns argumentam por exemplo neste sentido que a Terra rege o signo de Caranguejo e, por isso, se um dia nascer um bebé fora do planeta Terra, será o planeta, e não a lua, que deverá ser considerado na interpretação de um horóscopo. 
PUBLICADO digitalblueradio às 12:57 | LINK DO POST
 A  palavra Horóscopo em grego significa "considerar os céus" ou "ver a hora".

Na China, a astrologia é conhecida a partir de 2000 a.C. Diz a tradição que Buda, ao morrer, chamou os animais para se despedir e somente 12 vieram e estes são os anos da Astrologia Chinesa.
A Índia conheceu a astrologia da Mesopotâmia quando foi invadida, por volta de 1500 a.C.
Os Astecas usavam uma astrologia com 20 signos. Um padre espanhol, que acompanhou a tomada de Hernán Cortés, codificou a astrologia dos Astecas.
A comunidade científica não considera a astrologia uma ciência, embora haja astrólogos que procurem dar respeitabilidade à sua actividade usando justificações científicas. Um grande número de astrólogos praticantes e de "filósofos da astrologia" vê-a como uma arte baseada em conhecimento técnico, conhecimento tradicional e uma concepção sistêmica do universo. Uma das idéias que são base da astrologia é que o posicionamento dos astros no momento do nascimento e que se diz ter relação com o caráter e portanto com o destino, mas não há consenso entre os astrólogos sobre como se processa esta relação: as várias correntes atribuem a influência a campos eletromagnéticos ou semelhantes, ciclos, analogia ou sincronicidade.

Muitos astrólogos atuais pensam que os astros influenciam a personalidade ou caracterísiticas de pessoas ou eventos que ocorrem na Terra, mas muitos outros pensam que há outra relação, que não a de influência. Não há consenso sobre a forma como a astrologia supostamente funciona. No curso da história, vemos o surgimento de explicações diferentes. Verifica-se por vezes uma ligação entre a Astrologia e o Espiritismo, principalmente entre os "espíritas videntes" que preveem por vários métodos, inclusive por mapas astrais. No entanto, há que diferenciar as práticas.

  
A astrologia é um campo de conhecimento controverso, e há argumentos a favor e contra a validade de seu estudo. A ciência questiona que ela funcione. Alguns astrólogos afirmam ser capazes de fazer previsões sobre o futuro, no entanto as previsões que apresentam não demonstram que o grau de precisão das técnicas usadas seja superior ao do puro acaso. Outros astrólogos afirmam que a astrologia não é usada para prever o futuro, e sim para guiar e orientar os seus clientes através do seu potencial revelado no horóscopo. Alguns astrólogos, por vezes, usam argumentos científicos para explicar as suas práticas. Por exemplo, costuma-se dizer que, como a Lua causa as marés na Terra, é razoável acreditar que a força gravitacional de outros corpos celestes, mais pesados como os planetas pode nos afetar também. Outra tentativa de explicação científica para a Astrologia é a de que os corpos celestes pesados afetam o campo magnético da Terra e que o campo magnético da Terra, de alguma forma, afeta a pessoa durante o nascimento. No entanto nenhum destes argumentos parece satisfazer a comunidade cientifica que os co-argumenta. No entanto podemos referir que os antigos astrologos não conheciam todos os planetas alguns não tinham sequer sido descobertos, mas os astrólogos afirmam que, como qualquer corpo de conhecimento, também a astrologia evolui e a adição de novos planetas, asteróides ou outros elementos do céu não põe em causa,  o conhecimento passado.  


O mapa astral, também conhecido como horóscopo, é elaborado a partir do nascimento de um indivíduo, ou país. A maioria dos cépticos questiona porque o momento do nascimento é tão importante e não o da fecundação, onde efetivamente se define o DNA de um zigoto, elemento biológico reconhecidamente influenciador da personalidade e constituição física de um indivíduo? A resposta dos astrólogos é que é no momento de nascimento que a entidade se torna um individuo. No caso de um país, por exemplo, não basta a ideia de formar país, mas sim o momento em que a existência do país é oficializada e já não há retorno.  

  
Se uma mulher que marca uma cesariana não estaria a mudar o destino cósmico do seu filho? A resposta dos astrólogos a esta questão não faz sentido porque ninguém tem um destino traçado no seu horóscopo - caso contrário todas as pessoas com um horóscopo igual teriam também destinos similares.
Alguns cépticos questionam o que marca o momento de nascimento. Se um parto demora 20 horas, o que define o instante exato? As primeiras contrações, o estouro da bolsa, o aparecimento da cabeça do bebê pela vagina (ou corte da cesariana) ou o corte do cordão umbilical? Talvez fosse ainda, o momento mais provável de ser o utilizado na grande parte dos mapas, aquele que um médico ou enfermeiro resolve anotar como sendo a hora do nascimento. No caso de nascimento de um país a definição de um instante exato é ainda mais subjetiva. Em resposta, alguns astrólogos consideram que aquilo que determina o horóscopo de uma pessoa é o momento em que ocorre a primeira respiração, embora nas abordagens mais modernas da astrologia ocidental o momento do corte umbilical é o que realmente importa. Os astrólogos, em geral, também reconhecem que os dados de nascimento registados podem não estar completamente correctos, razão pela qual podem aplicar técnicas de rectificação para descobrir a hora e minuto exactos de nascimento.

  

Na astrologia não se compreende por exemplo  porque os astrólogos ignoram alguns astros, como os satélites Ganimedes e Titã apesar de serem maiores que o planeta mercúrio, argumentando que se tratam de satélites naturais, mas alua não é também um satélite natural? Alguns argumentam por exemplo neste sentido que a Terra rege o signo de Caranguejo e, por isso, se um dia nascer um bebé fora do planeta Terra, será o planeta, e não a lua, que deverá ser considerado na interpretação de um horóscopo. 
PUBLICADO digitalblueradio às 12:57 | LINK DO POST
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
Que feio!Foi no meu blog, pegou meu texto, modific...
E um meio de sobrevive
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
subscrever feeds
SAPO Blogs