O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
Herman José von Krippahl nasceu em Lisboa a 19 de Março de 1954. Nasceu e cresceu em Lisboa, filho de pai alemão e de mãe portuguesa. Com quatro anos de idade protagonizava os filmes do pai, cineasta amador. Aos cinco anos entrou para o Kindergarten, na Deutsche Schule Lissabon (Escola Alemã de Lisboa). Teve um comportamento e resultados pouco lineares, à medida que foi tendo os primeiros contactos com o teatro e a música. Estudava ainda quando comprou a sua primeira viola-baixo e através da música conheceu a vida artística.
Por volta dos dezoito anos de idade tem as primeiras aparições na televisão, numa altura em que participava no In-Clave, banda residente do programa de TV "No Tempo Em Que Você Nasceu", dirigida pelo maestro Pedro Osório. Na mesma altura a PIDE faz-lhe um ultimato – ou se naturaliza português e cumpre o serviço militar, ou terá que ir para a Alemanha, como alemão. Herman José opta pela nacionalidade alemã.

Com o 25 de Abril de 1974, acaba por permanecer em Portugal e estreia-se como actor no Teatro ABC, com a peça "Uma no Cravo, Outra na Ditadura". Empresariada por Sérgio de Azevedo, a peça era escrita por José Carlos Ary dos Santos, César de Oliveira e Rogério Bracinha, e integrava no seu elenco actores como Ivone Silva, José de Castro e João Lagarto. Descoberto por Nicolau Breyner, é levado por este a estrear-se como actor na televisão, em 1975. A rábula "Sr. Feliz e Sr. Contente" foi um enorme sucesso.
Em 1977 lança Saca o Saca-Rolhas, cujas vendas alcançam o Disco de Ouro. Durante cinco anos percorre o país em espectáculos de província onde debita anedotas, canta, inventa personagens e improvisa. 
Em 1980 "A Canção do Beijinho" é novamente galardão de Ouro. 
Nesse mesmo ano a criação do personagem Tony Silva («O "creador" de toda música Ró'», latino-romântico de brilhantina e lantejoulas, que retratava a sociedade nas suas canções) conquista o grande público no "Passeio dos Alegres", emitido nas tardes de Domingo da RTP, com Júlio Isidro.
Em 1983 surge o programa "O Tal Canal",  e Herman leva ao Festival da Canção o tema "A Cor do Teu Baton". 
Em 1984 surge com "Hermanias", consolidando algumas das suas personagens mais marcantes, como o cronista de futebol José Estebes ou a rústica Maximiana. Eis entretanto que o seu programa seguinte, "Humor de Perdição" já em 1987, se torna polémico, após a suspensão daquela sitcom, por parte do Conselho de Administração da RTP.

Paralelamente à televisão, Herman desenvolveu na década de 1980 uma intensa actividade de humorista radiofónico, primeiro na Rádio Comercial, depois na TSF e, por fim, como autor da Hermandifusão Portuguesa na Antena1, em duas edições diárias num simultâneo com a RDP Internacional, RDP África, Madeira e Açores.

Só regressa à televisão em 1990, com "Casino Royal", uma mistura de noite de teatro com programa de variedades. Ainda no início da década de 1990 entrega-se à apresentação de concursos como "Com a Verdade M' Enganas" e "Roda da Sorte" , para, logo de seguida, apresentar "Parabéns" em 1993, onde inaugura um espaço talk-show, por onde passam fíguras díspares como Mário Soares, Amália Rodrigues, Roger Moore e Cher.

Em 1996 deixa o "Parabéns", após a censura da rubrica "Última Ceia", que juntou cem mil assinaturas num abaixo-assinado a reclamar a proibição daquela rábula. Regressa com "Herman Enciclopédia" (1997). Sobressaem novas personagens, como Diácono Remédios ou Melga e Mike (este último interpretado por José Pedro Gomes), satirizando a publicidade das televendas. Em 1998, lança "Herman98" e depois "Herman99".


Em 2000, Herman José chega à SIC, apresentando aos Domingos, o talk-show "HermanSIC", mantendo, contudo uma equipa de actores, constituída por Maria Rueff, Joaquim Monchique, Ana Bola, Maria Vieira, Manuel Marques, Vítor de Sousa e, durante algum tempo, Nuno Lopes. Em 2002 apresenta o reality show "Masterplan - O Grande Mestre" juntamente com Marisa Cruz e em 2005 volta aos reality shows com "Senhora Dona Lady" que apresentou com Sílvia Alberto, o programa foi um fracasso e só durou duas semanas. Em 2007 estreia "Hora H", à semelhança de outros programas do actor está dividido em sketchs humorísticos. 
Em 2007, no programa "Os Grandes Portugueses", Herman José ficou em 70º lugar na lista dos 100 maiores portugueses de sempre. Em 2008 o apresentador lançou a versão portuguesa de "Chamar a Música", um concurso que teve no ar durante a época de verão e volta a apresentar o concurso "Roda da Sorte" na SIC.

Herman muda-se para a TVI, onde apresenta "Nasci P'ra Cantar" entre Julho de 2009 e Setembro de 2009, altura em que o seu contrato com a TVI termina. Ainda em 2009 lançou o álbum "Adeus, vou ali já venho", com músicas inéditas. Em 2010 regressa à casa de onde partiu 10 anos antes, a estação pública RTP. Conduzindo agora um talk-show, onde junta a conversa com personalidades portuguesas, com apontamentos humoristicos em formato late night show primeiro com "Herman 2010" e depois "Herman 2011".
Polémicas
Em 2003, Herman José é formalmente acusado no Processo Casa Pia por alegados abusos sexuais a menores no designado "Escândalo Casa Pia", o humorista é notificado para ser ouvido no Tribunal de Instrução Criminal (TIC), mas prova que na data referida pelo Ministério Público estava no Brasil, ao serviço da SIC. A juíza de instrução, Ana Teixeira e Silva, perante a não existência de provas a favor da acusação e apenas de provas que a invalidam, arquiva a queixa.
PUBLICADO digitalblueradio às 11:06 | LINK DO POST
Herman José von Krippahl nasceu em Lisboa a 19 de Março de 1954. Nasceu e cresceu em Lisboa, filho de pai alemão e de mãe portuguesa. Com quatro anos de idade protagonizava os filmes do pai, cineasta amador. Aos cinco anos entrou para o Kindergarten, na Deutsche Schule Lissabon (Escola Alemã de Lisboa). Teve um comportamento e resultados pouco lineares, à medida que foi tendo os primeiros contactos com o teatro e a música. Estudava ainda quando comprou a sua primeira viola-baixo e através da música conheceu a vida artística.
Por volta dos dezoito anos de idade tem as primeiras aparições na televisão, numa altura em que participava no In-Clave, banda residente do programa de TV "No Tempo Em Que Você Nasceu", dirigida pelo maestro Pedro Osório. Na mesma altura a PIDE faz-lhe um ultimato – ou se naturaliza português e cumpre o serviço militar, ou terá que ir para a Alemanha, como alemão. Herman José opta pela nacionalidade alemã.

Com o 25 de Abril de 1974, acaba por permanecer em Portugal e estreia-se como actor no Teatro ABC, com a peça "Uma no Cravo, Outra na Ditadura". Empresariada por Sérgio de Azevedo, a peça era escrita por José Carlos Ary dos Santos, César de Oliveira e Rogério Bracinha, e integrava no seu elenco actores como Ivone Silva, José de Castro e João Lagarto. Descoberto por Nicolau Breyner, é levado por este a estrear-se como actor na televisão, em 1975. A rábula "Sr. Feliz e Sr. Contente" foi um enorme sucesso.
Em 1977 lança Saca o Saca-Rolhas, cujas vendas alcançam o Disco de Ouro. Durante cinco anos percorre o país em espectáculos de província onde debita anedotas, canta, inventa personagens e improvisa. 
Em 1980 "A Canção do Beijinho" é novamente galardão de Ouro. 
Nesse mesmo ano a criação do personagem Tony Silva («O "creador" de toda música Ró'», latino-romântico de brilhantina e lantejoulas, que retratava a sociedade nas suas canções) conquista o grande público no "Passeio dos Alegres", emitido nas tardes de Domingo da RTP, com Júlio Isidro.
Em 1983 surge o programa "O Tal Canal",  e Herman leva ao Festival da Canção o tema "A Cor do Teu Baton". 
Em 1984 surge com "Hermanias", consolidando algumas das suas personagens mais marcantes, como o cronista de futebol José Estebes ou a rústica Maximiana. Eis entretanto que o seu programa seguinte, "Humor de Perdição" já em 1987, se torna polémico, após a suspensão daquela sitcom, por parte do Conselho de Administração da RTP.

Paralelamente à televisão, Herman desenvolveu na década de 1980 uma intensa actividade de humorista radiofónico, primeiro na Rádio Comercial, depois na TSF e, por fim, como autor da Hermandifusão Portuguesa na Antena1, em duas edições diárias num simultâneo com a RDP Internacional, RDP África, Madeira e Açores.

Só regressa à televisão em 1990, com "Casino Royal", uma mistura de noite de teatro com programa de variedades. Ainda no início da década de 1990 entrega-se à apresentação de concursos como "Com a Verdade M' Enganas" e "Roda da Sorte" , para, logo de seguida, apresentar "Parabéns" em 1993, onde inaugura um espaço talk-show, por onde passam fíguras díspares como Mário Soares, Amália Rodrigues, Roger Moore e Cher.

Em 1996 deixa o "Parabéns", após a censura da rubrica "Última Ceia", que juntou cem mil assinaturas num abaixo-assinado a reclamar a proibição daquela rábula. Regressa com "Herman Enciclopédia" (1997). Sobressaem novas personagens, como Diácono Remédios ou Melga e Mike (este último interpretado por José Pedro Gomes), satirizando a publicidade das televendas. Em 1998, lança "Herman98" e depois "Herman99".


Em 2000, Herman José chega à SIC, apresentando aos Domingos, o talk-show "HermanSIC", mantendo, contudo uma equipa de actores, constituída por Maria Rueff, Joaquim Monchique, Ana Bola, Maria Vieira, Manuel Marques, Vítor de Sousa e, durante algum tempo, Nuno Lopes. Em 2002 apresenta o reality show "Masterplan - O Grande Mestre" juntamente com Marisa Cruz e em 2005 volta aos reality shows com "Senhora Dona Lady" que apresentou com Sílvia Alberto, o programa foi um fracasso e só durou duas semanas. Em 2007 estreia "Hora H", à semelhança de outros programas do actor está dividido em sketchs humorísticos. 
Em 2007, no programa "Os Grandes Portugueses", Herman José ficou em 70º lugar na lista dos 100 maiores portugueses de sempre. Em 2008 o apresentador lançou a versão portuguesa de "Chamar a Música", um concurso que teve no ar durante a época de verão e volta a apresentar o concurso "Roda da Sorte" na SIC.

Herman muda-se para a TVI, onde apresenta "Nasci P'ra Cantar" entre Julho de 2009 e Setembro de 2009, altura em que o seu contrato com a TVI termina. Ainda em 2009 lançou o álbum "Adeus, vou ali já venho", com músicas inéditas. Em 2010 regressa à casa de onde partiu 10 anos antes, a estação pública RTP. Conduzindo agora um talk-show, onde junta a conversa com personalidades portuguesas, com apontamentos humoristicos em formato late night show primeiro com "Herman 2010" e depois "Herman 2011".
Polémicas
Em 2003, Herman José é formalmente acusado no Processo Casa Pia por alegados abusos sexuais a menores no designado "Escândalo Casa Pia", o humorista é notificado para ser ouvido no Tribunal de Instrução Criminal (TIC), mas prova que na data referida pelo Ministério Público estava no Brasil, ao serviço da SIC. A juíza de instrução, Ana Teixeira e Silva, perante a não existência de provas a favor da acusação e apenas de provas que a invalidam, arquiva a queixa.
PUBLICADO digitalblueradio às 11:06 | LINK DO POST
Herman José von Krippahl nasceu em Lisboa a 19 de Março de 1954. Nasceu e cresceu em Lisboa, filho de pai alemão e de mãe portuguesa. Com quatro anos de idade protagonizava os filmes do pai, cineasta amador. Aos cinco anos entrou para o Kindergarten, na Deutsche Schule Lissabon (Escola Alemã de Lisboa). Teve um comportamento e resultados pouco lineares, à medida que foi tendo os primeiros contactos com o teatro e a música. Estudava ainda quando comprou a sua primeira viola-baixo e através da música conheceu a vida artística.
Por volta dos dezoito anos de idade tem as primeiras aparições na televisão, numa altura em que participava no In-Clave, banda residente do programa de TV "No Tempo Em Que Você Nasceu", dirigida pelo maestro Pedro Osório. Na mesma altura a PIDE faz-lhe um ultimato – ou se naturaliza português e cumpre o serviço militar, ou terá que ir para a Alemanha, como alemão. Herman José opta pela nacionalidade alemã.

Com o 25 de Abril de 1974, acaba por permanecer em Portugal e estreia-se como actor no Teatro ABC, com a peça "Uma no Cravo, Outra na Ditadura". Empresariada por Sérgio de Azevedo, a peça era escrita por José Carlos Ary dos Santos, César de Oliveira e Rogério Bracinha, e integrava no seu elenco actores como Ivone Silva, José de Castro e João Lagarto. Descoberto por Nicolau Breyner, é levado por este a estrear-se como actor na televisão, em 1975. A rábula "Sr. Feliz e Sr. Contente" foi um enorme sucesso.
Em 1977 lança Saca o Saca-Rolhas, cujas vendas alcançam o Disco de Ouro. Durante cinco anos percorre o país em espectáculos de província onde debita anedotas, canta, inventa personagens e improvisa. 
Em 1980 "A Canção do Beijinho" é novamente galardão de Ouro. 
Nesse mesmo ano a criação do personagem Tony Silva («O "creador" de toda música Ró'», latino-romântico de brilhantina e lantejoulas, que retratava a sociedade nas suas canções) conquista o grande público no "Passeio dos Alegres", emitido nas tardes de Domingo da RTP, com Júlio Isidro.
Em 1983 surge o programa "O Tal Canal",  e Herman leva ao Festival da Canção o tema "A Cor do Teu Baton". 
Em 1984 surge com "Hermanias", consolidando algumas das suas personagens mais marcantes, como o cronista de futebol José Estebes ou a rústica Maximiana. Eis entretanto que o seu programa seguinte, "Humor de Perdição" já em 1987, se torna polémico, após a suspensão daquela sitcom, por parte do Conselho de Administração da RTP.

Paralelamente à televisão, Herman desenvolveu na década de 1980 uma intensa actividade de humorista radiofónico, primeiro na Rádio Comercial, depois na TSF e, por fim, como autor da Hermandifusão Portuguesa na Antena1, em duas edições diárias num simultâneo com a RDP Internacional, RDP África, Madeira e Açores.

Só regressa à televisão em 1990, com "Casino Royal", uma mistura de noite de teatro com programa de variedades. Ainda no início da década de 1990 entrega-se à apresentação de concursos como "Com a Verdade M' Enganas" e "Roda da Sorte" , para, logo de seguida, apresentar "Parabéns" em 1993, onde inaugura um espaço talk-show, por onde passam fíguras díspares como Mário Soares, Amália Rodrigues, Roger Moore e Cher.

Em 1996 deixa o "Parabéns", após a censura da rubrica "Última Ceia", que juntou cem mil assinaturas num abaixo-assinado a reclamar a proibição daquela rábula. Regressa com "Herman Enciclopédia" (1997). Sobressaem novas personagens, como Diácono Remédios ou Melga e Mike (este último interpretado por José Pedro Gomes), satirizando a publicidade das televendas. Em 1998, lança "Herman98" e depois "Herman99".


Em 2000, Herman José chega à SIC, apresentando aos Domingos, o talk-show "HermanSIC", mantendo, contudo uma equipa de actores, constituída por Maria Rueff, Joaquim Monchique, Ana Bola, Maria Vieira, Manuel Marques, Vítor de Sousa e, durante algum tempo, Nuno Lopes. Em 2002 apresenta o reality show "Masterplan - O Grande Mestre" juntamente com Marisa Cruz e em 2005 volta aos reality shows com "Senhora Dona Lady" que apresentou com Sílvia Alberto, o programa foi um fracasso e só durou duas semanas. Em 2007 estreia "Hora H", à semelhança de outros programas do actor está dividido em sketchs humorísticos. 
Em 2007, no programa "Os Grandes Portugueses", Herman José ficou em 70º lugar na lista dos 100 maiores portugueses de sempre. Em 2008 o apresentador lançou a versão portuguesa de "Chamar a Música", um concurso que teve no ar durante a época de verão e volta a apresentar o concurso "Roda da Sorte" na SIC.

Herman muda-se para a TVI, onde apresenta "Nasci P'ra Cantar" entre Julho de 2009 e Setembro de 2009, altura em que o seu contrato com a TVI termina. Ainda em 2009 lançou o álbum "Adeus, vou ali já venho", com músicas inéditas. Em 2010 regressa à casa de onde partiu 10 anos antes, a estação pública RTP. Conduzindo agora um talk-show, onde junta a conversa com personalidades portuguesas, com apontamentos humoristicos em formato late night show primeiro com "Herman 2010" e depois "Herman 2011".
Polémicas
Em 2003, Herman José é formalmente acusado no Processo Casa Pia por alegados abusos sexuais a menores no designado "Escândalo Casa Pia", o humorista é notificado para ser ouvido no Tribunal de Instrução Criminal (TIC), mas prova que na data referida pelo Ministério Público estava no Brasil, ao serviço da SIC. A juíza de instrução, Ana Teixeira e Silva, perante a não existência de provas a favor da acusação e apenas de provas que a invalidam, arquiva a queixa.
PUBLICADO digitalblueradio às 11:06 | LINK DO POST
tags:
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
Que feio!Foi no meu blog, pegou meu texto, modific...
E um meio de sobrevive
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
subscrever feeds
SAPO Blogs