O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
A nossa memória transporta-nos no tempo, viajamos sem sair do lugar, cheiros, imagens, momentos que vivemos estão guardados nesse baú secreto do nosso pensamento. É como folhear um livro, ou fazer o relógio andar para trás, porque o destino marca a hora, e num canto qualquer desse misterioso recanto que existe dentro de nós ficam retidos esses tempos de outrora, podemos até nem nos lembrar do que comemos a semana passada, mas por qualquer razão existem situações ou imagens que ficam arquivadas para sempre, não somos senhores de as selecionar, mas por qualquer motivo aquele momento, aquela musica, aquela imagem, aquela pessoa fica presa para sempre dentro de nós nesse livro de memórias que escrevemos mesmo sem querer.
Vamos então reavivar a memória
Soldadinhos de chumbo
Os soldadinhos de chumbo hoje em dia, não passam de uma memória para muitos adultos, e longe vai o tempo em que perdiamos horas sentados a inventar histórias e a fazer as nossas "guerras" de brincar. Este género de brinquedos remonta a outras eras, está documentada a existência de pequenas figuras que se destinavam a entreter as crianças no Antigo Egipto mas só no século XVIII é que se popularizou a produção dessas pequenas miniaturas de soldados acessivel apenas a algumas bolsas, anos mais tarde já no século XX é que teve início a produção em massa de soldadinhos de chumbo na Europa, depois surgiram figuras da Antiguidade, indios e cowboys e muita gente começou mesmo por colecionar estas pequenas figurinhas de chumbo ou plástico, e até mesmo os adultos as colecionavam. Nos dias de hoje ainda se encontram em edições de fascículos, os soldadinhos, as mais diversas figuras, combóios, aviões, etc, agora na grande maioria para os adultos se entreterem na sua arte de colecionismo.
Gosto de me sentar ás vezes para não deixar que o pó do tempo assente nas minhas memórias, e abro algumas gavetas especialmente destinadas a guardar certas recordações. Foi lá que encontrei algumas revistas que naquela época eram um sucesso,...hoje simplesmente recordação.
A revista Plateia
Esta revista surgiu em 1951, terá publicado mais de mil exemplares até ao ano de 1986, quando foi extinta. Era essencialmente uma revista de espectáculos, sobretudo de cinema e teatro, também abordou o mundo da música através de diversos artigos e reportagens, com algumas edições especiais dedicadas a cantores ou grupos, de que foram exemplo os Beatles.
Nas páginas desta revista bastante ilustradas com fotografias, praticamente na totalidade a preto e branco, surgiram grandes nomes do teatro em Portugal, em particular do teatro de revista, alternando com artigos com maior incidência no voyeurismo do dia a dia dos e das artistas, procurando abranger um público diversificado, que procurava satisfazer a sua curiosidade sobre a vida dos famosos.
O aparecimento da televisão teve uma grande influência na concepção da revista, que passou a dar maior realce às figuras que iam aparecendo no pequeno ecrã. Outros tempos.
Mandy Moore - Cry 
Se continuarmos a falar de revistas deixem dizer que nos anos 70 em Portugal existiu também uma revista que primava pela qualidade já que os seus editores eram também profissionais do setor, falo da revista "Musica e Som". 
O primeiro número foi editado em 1977, tendo uma periodicidade quinzenal (era publicada às quintas-feiras), e passando mais tarde a mensal, a revista para além dos artigos dedicados a músicos, álbuns ou programas musicais na televisão, crítica de discos, possuía rubricas de cariz mais técnico, apresentava ainda algumas letras de músicas e um poster nas páginas centrais. A partir do número 113, alterou o título para Video música e som, esta publicação durou dez anos, extinguindo-se em 1987. 
Se lhe perguntar o que há em comum entre uma "coca-cola" e um par de "levi´s"? Ou entre uma "Gilette" e uma caixa de "Chiclets"? A resposta é simples são marcas que ficaram e que são fácilmente identificáveis através dos tempos, todos sabemos do que estamos a falar ao ouvirmos pronunciar estes nomes, de uma bebida consumida em todo o mundo numa garrafa com uma forma muito peculiar, de umas calças de ganga que marcaram uma geração, de uma lâmina de barbear, ou de uma pastilha elástica, o que destingue estes produtos é exactamente isso, toda a gente os conhece e o seu nome, mesmo sem darmos conta já alcançou uma certa notoriedade que o tempo não apagou. Nasceram umas ainda no século passado ou até mesmo antes, e vieram p´ra ficar. Porque o tempo pode apagar muita coisa, menos aquilo que ficou. 
Este video é simplesmente lindo veja
PUBLICADO digitalblueradio às 09:44 | LINK DO POST
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
Que feio!Foi no meu blog, pegou meu texto, modific...
E um meio de sobrevive
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
blogs SAPO