O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
Samuel Finley Breese Morse, inventor e pintor norte-americano, nasceu em Charlestown, no Massachusetts a 27 de Abril de 1791. Morreu em Nova Iorque no dia 2 de Abril de 1872. Tornou-se mundialmente célebre pelas suas invenções: o “código morse” e um “telégrafo eléctrico”.
Aos quatro anos de idade Morse demonstrava grande interesse pelo desenho e, aos catorze, já ganhava o próprio dinheiro fazendo desenhos dos amigos e de pessoas da sua cidade.
Estudou na Universidade de Yale (Connecticut), tendo-se licenciado em 1811. Ainda em tempo de estudos, Morse escreveu uma carta aos pais dizendo que queria ser pintor. Os pais, preocupados com o futuro do filho, preferiram que ele fosse vendedor de livros numa editora de Boston. Assim, Morse passou a vender livros de dia e a pintar à noite. Ante a insistência do artista, os pais decidiram mandar o filho para Londres para que estudasse artes na Royal Academy. Em 1813 recebeu a Medalha de Oiro de Escultura da Sociedade das Artes Adelphi.
Ao voltar aos Estados Unidos, casou e teve três filhos. Morse lutava com dificuldades, uma vez que não havia muitos interessados em retratos. Em 1825, após o falecimento da esposa, voltou à Europa, levando os filhos e uma cunhada.
Em 1825, de novo em Nova Iorque, fundou uma sociedade artística que, em breve, se transformaria na Academia Nacional de Desenho da qual foi presidente durante 16 anos.
Em 1829 viajou pela Europa durante três anos, sobretudo por França e Itália, para estudar belas-artes. A partir de 1832 ensinou pintura e escultura na Universidade de Nova Iorque, atingindo a fama de excelente retratista. Foi no navio “Sully”, que o levou de novo aos Estados Unidos, que ele concebeu a ideia do telégrafo eléctrico. Três anos depois realizou, com meios parcos, a primeira maqueta do telégrafo. Com a ajuda de outros dois professores procurou depois concretizar a ideia.
Em 1838 desenvolveu o código que o tornou célebre. Em 1840 registou a patente e dois anos depois foi construída uma linha telegráfica submarina ligando as duas margens do porto de Nova Iorque. Devido à sua obstinação conseguiu obter do Congresso uma ajuda para estabelecer uma linha telegráfica entre Baltimore (Maryland) e Washington (DC). 
 O génio de Morse foi conceber uma máquina simples, prática, eficaz, barata, rudimentar e sobretudo convencer os seus contemporâneos a realizar uma experiência suficientemente espectacular. Em 1844 foi assim transmitida a primeira mensagem entre o “Capitólio” e o depósito de caminhos-de-ferro de Baltimore. Em 1846 o telégrafo de Morse começou a ser desenvolvido por sociedades privadas. Se a máquina veio a ser destronada pelos telégrafos automáticos, telex, etc., o código, composto de dois sinais (curtos e compridos), é ainda utilizado na actualidade pelos militares e pelos radio-amadores devido à sua resistência aos ruídos parasitas. O código morse está para as transmissões como a bicicleta para os automóveis: a viatura mais potente pode ficar bloqueada num engarrafamento, enquanto o ciclista passa sempre…
PUBLICADO digitalblueradio às 09:34 | LINK DO POST
tags:
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
Que feio!Foi no meu blog, pegou meu texto, modific...
E um meio de sobrevive
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
SAPO Blogs