O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
Vários acontecimentos marcaram a década de 60
A década de 60 representou a realização de projetos culturais e ideológicos marcados por uma crise no moralismo da sociedade, nascia o "Sonho Americano", o rock de garagem e os movimentos de vanguarda. Podemos dizer que a década de 60, se divide em duas partes, a primeira, de 1960 a 1965, marcada por um sabor de inocência e até de lirismo nas manifestações sócio-culturais, e no âmbito da política o idealismo e o entusiasmo no espírito de luta do povo. A segunda, de 1966 a 1969 revela as experiências com drogas, a perda da inocência, a revolução sexual e os protestos juvenis. 
 Surgiram os "Beatles", John F. Kennedy vencia as eleições nos EUA e surgiram os movimentos feministas e civis em favor dos negros e homossexuais. O Papa João XXIII abre o Concílio Vaticano II e revoluciona a Igreja Católica. Surgem os movimentos "hippies", com os protestos contrários à "Guerra Fria", "Guerra do Vietnam" e o racionalismo. Ocorre também a "Revolução Cubana" na América Latina, levando Fidel Castro ao poder e tem início a descolonização de África e do Caribe, com a gradual independência das antigas colônias.
 O astronauta Buzz Aldrin caminha na Lua, 20 de julho de 1969.
Tem início o uso da informática, embora ainda não de forma massificada e em 1964 a IBM lança o circuito integrado, ou chip.
Surge a Arpanet, que se tornaria o embrião da Internet e os soviéticos enviam o primeiro homem ao espaço (Iuri Gagárin) em 1961.
Neil Armstrong é o primeiro homem a pisar a Lua, em 1969.
Também em 1969, uma sonda dos EUA alcançou Marte e, meses depois, a URSS descia um robô em Vênus.
Os Beatles comandam a "Invasão Britânica" no rock, seguidos por "The Rolling Stones", "The Who", "The Kinks" e vários outros. Surge a música de protesto, com Bob Dylan, Joan Baez, Peter, Paul and Mary, entre outros. O Rock and Roll ganha crescente popularidade no mundo, e nasce a moda do "iê-iê-iê", este nome teve forte inspiração no refrão da música "She Loves You", dos Beatles: "She Loves You, Yeah, Yeah, Yeah!".
Chega aos cinemas em 1964 o primeiro filme dos Beatles, "A Hard Day's Night", no brasil nasce moda da "Jovem Guarda", inspirada num programa de tv de Roberto Carlos e em 1966 os Beatles lançam "Yellow Submarine".
No mesmo ano o grupo "The Jackson 5" é formado pelos irmãos da família Jackson, o grupo não faz sucesso na década de 60, estourando apenas na década de 70, mas foi o grupo que lançou Michael Jackson na carreira musical, quando o mesmo ainda era uma criança.
Em 1967 os Beatles lançam aquele que é considerado o melhor álbum da história: "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band" e a banda "The Doors" lança o seu primeiro álbum: "The Doors", que incluía a música "Light my Fire".
Em 1968, Elvis lança o especial de TV, "Elvis NBC TV Special". 
Em 1969 ocorre o "Festival de Woodstock", nos EUA, com apresentações ao vivo de Jimi Hendrix, Creedence Clearwater Revival, The Who, Sly and Family Stone, Carlos Santana, entre outros lendários do rock clássico. O festival tornou-se o símbolo da união entre Rock , paz e amor, ainda neste ano um elemento da banda "Rolling Stones", Brian Jones é encontrado morto na piscina da sua casa em Sussex.
É também na década de 60 que começam as transmissões de TV a cores no mundo. No cinema em 1962 surge o melhor filme da década "What Ever Happened to Baby Jane?" com Bette Davis e Joan Crowford.
É filmado "A Bout de Souffle", de Jean-Luc Godard, trazendo a bela Jean Seberg.
Podiamos também assistir ao clássico "La Dolce Vita", de Federico Fellini, com Anouk Aimée, Anita Ekberg e Marcello Mastroianni.
Stanley Kubrick lança "Dr. Strangelove", uma das maiores e mais duras críticas satíricas à Guerra Fria e Brigitte Bardot reina absoluta como o maior símbolo sexual da década.
A atriz Audrey Hepburn faz sucesso em "Breakfast at Tiffany's" e surge a série de filmes de James Bond, o espião 007, das novelas de Ian Fleming. 
O primeiro filme foi "Dr. No", com Sean Connery e a sensual Ursula Andress. No filme, fica célebre a cena de Andress usando um inesquecível biquíni branco saindo do mar, foi ela a 1ª "Bondgirl".
"Blowup", de Michelangelo Antonioni, com Jane Birkin e Veruska é um filme cheio de referências dos anos 60, Simon e Garfunkel cantam "Mrs Robinson" e "The Souns of Silence", ainda no cinema marcam também a década filmes como "Belle de Jour", de Luis Buñuel, com Catherine Deneuve e a atriz Jane Fonda é "Barbarella", uma sensual heroína espacial, "Easy Rider" é um dos filmes mais vigorosos dos anos 60, de Peter Fonda, Dennis Hopper e Terry Southern, o filme critica a intolerância e a vulgaridade da sociedade americana.
Mas outros acontecimentos históricos marcaram a década
 A guerra fria foi um dos pontos altos da década, uma disputa entre as duas superpotências da época: Estados Unidos e União Soviética, cada um dos lados procurava o desenvolvimento tecnológico mais avançado num jogo que consistia principalmente em contruir o maior arsenal de armas nucleares.
Em 1964 a "Voskhod 1" foi a primeira nave a transportar mais de uma pessoa (três) ao espaço. Em 1965, a "Voskhod 2", registou o primeiro "passeio" espacial. Aleksey Leonov foi a primeira pessoa a sair de uma nave espacial e "flutuar" no espaço, onde ficou por dez minutos.
Mas o mundo teria os olhos postos na televisão quando o módulo lunar da "Apollo 11", batizado de "eagle", pisou o solo do nosso satélite, a lua. Neil Armstrong entrou para a história como o primeiro homem a pisar a Lua, sendo logo seguido pelo seu companheiro Edwin Aldrin. Os dois passaram 22 horas na Lua, sendo dessas, 2 horas e 40 minutos fora da nave.
Com o fim da Segunda Guerra Mundial, os maridos voltaram para casa e o resultado foi uma onda de nascimento de bebés na década de 50, fenômeno que ficou conhecido como "Baby Boom"
Na década de 60, esses bebés tornaram-se jovens, que procuraram novos visuais, diferentes pensamentos e um tipo de vida diferente da dos pais, nascia a geração de 60.
Os anos 60 revelaram as experiências com drogas, a perda da inocência, a revolução sexual e os protestos juvenis.
A 21 de Abril de 1960 é inaugurada a cidade de Brasília, a nova capital do Brasil e em 1961 os Estados Unidos cortam relações diplomáticas com Cuba, já a 5 de Agosto de 1962, morre Marilyn Monroe.
 Nasce nos anos 60, o movimento hippie, "Make Love Not War"
 O movimento nasceu e teve o seu maior desenvolvimento nos EUA. Foi uma reação ao consumismo, às guerras, ao capitalismo e ás desigualdades da sociedade americana. Defendiam os valores da natureza, o amor, a paz, a liberdade sexual, a liberdade de expressão e abraçavam aspectos de religiões como o budismo e o hinduismo. Na sua expressão mais radical, os jovens hippies abandonavam o conforto dos lares paternos e rumavam para as cidades, principalmente S. Francisco, para aí viver em comunidade com outros hippies. 
Em 1963 o líder negro norte-americano, Martin Luther King encabeça uma manifestação com mais de 200 mil pessoas em Washington a favor dos direitos civis dos negros nos EUA e no mesmo ano a 22 de Novembro é assassinato John F. Kennedy durante uma visita a Dallas, no Texas. 
Em 1965 as primeiras forças de combate dos EUA são enviadas para o Vietname. Começa a Guerra.
 1967, Che Guevara é executado na Bolívia
1968, Martin Luther King é assassinado
26 de outubro de 1969 é enviada a primeira mensagem de e-mail entre computadores.
Muitas foram as personalidades que marcaram esta década, vamos apenas lembrar algumas. Papa João XXIII, Papa Paulo VI, Nikita Kruschev, Leonid Brejnev e Mao Tsé-Tung.
Também deixou a sua marca nos anos 60 a  Rainha Elisabete II,
os presidentes Americanos  Lyndon Johnson e Richard Nixon e em França Charles de Gaulle. Mas também Hirohito, Fidel Castro e  Indira Gandhi merecem também destaque.  
No mundo da musica outras vozes faziam a diferença, Elvis Presley, Bob Dylan, Bob Marley Bee Gees Tina Turner, mas também Jimi Hendrix, Jimmy Page, Led Zeppelin e Janis Joplin
Para a história ficam também figuras como, Andy Warhol, Audrey Hepburn, Beach Boys, Joe Cocker, The Monkees, The Mamas and Papas para além de Johnny Rivers, Pink Floyd e Frank Sinatra, nomes que marcaram e ainda hoje continuam a fazer a diferença no meio musical, nomes que ficarão para sempre na memória dos tempos. Ray Charles, Rod Stewart, Elis Regina, Baden Powell, Rita Pavone, Maria Bethânia, Gal Costa, e Chico Buarque e até mesmo Roberto Carlos, john lennon, Yoko Ono. É claro que muito fica por dizer e outros nomes merecem também destaque, mas fica apenas uma lembrança.
PUBLICADO digitalblueradio às 18:42 | LINK DO POST
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
Que feio!Foi no meu blog, pegou meu texto, modific...
E um meio de sobrevive
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
blogs SAPO