O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
Charlton Heston, nome artístico de John Charles Carter, actor e realizador norte-americano, notabilizado pelos seus papéis heróicos em superproduções da época de ouro de Hollywood, tais como Moisés em “Os Dez Mandamentos” (1956), Judah Ben-Hur em “Ben-Hur” (1959) e o lendário cavaleiro espanhol El Cid no filme com o mesmo nome (1961), faleceu em Beverly Hills no dia 5 de Abril de 2008. Sofria desde 2002 da doença de Alzheimer. Nascera em Evanston, Illinois, em 4 de Outubro de 1923.
 
Nascido no estado de Illinois, viu os seus pais divorciarem-se quando tinha dez anos; com o segundo casamento da sua mãe com Chester Heston, a família mudou-se para um subúrbio de Chicago e ele adotou o nome do padrasto. Em 1944 abandonou os estudos e alistou-se na força aérea, onde serviu como operador de rádio dos bombardeiros B-25 durante a Segunda Guerra Mundial. Após a guerra, voltou para Nova Iorque onde iniciou a carreira de actor. Fez a sua primeira interpretação cinematográfica em “Dark City” (1950).
Em 1952, o filme “O Maior Espectáculo do Mundo” de Cecil B. DeMille passada no mundo do circo, transformou Heston numa estrela de primeira grandeza do cinema. Recebeu o Óscar de Melhor Actor com o filme “Ben-Hur”, uma das películas mais premiadas de todos os tempos pela Academia. Em 2003 recebeu a Medalha Presidencial da Liberdade, uma das mais altas distinções civis dos Estados Unidos.
 Morreu a 5 de Abril de 2008 na sua residência de Beverly Hills, em Los Angeles, aos 84 anos. Encontra-se sepultado no Saint Matthew's Episcopal Church Columbarium, Pacific Palisades, Condado de Los Angeles, Califórnia nos Estados Unidos.
Em 1952, o filme O Maior Espetáculo da Terra de Cecil B. DeMille ambientada no mundo do circo, transformou Heston numa estrela do cinema. A partir dali a sua altura e o perfil musculoso, dar-lhe-iam os papéis mais simbólicos nas superproduções dos anos 50 do cinema norte-americano.
Os Dez Mandamentos, de 1956, marcou a sua imagem como Moisés e a partir dele todos os grandes papéis heróicos e históricos encontraram Heston para representá-los. Nos anos 50 e 60, ele filmou sucessos como 55 Dias em Pequim, El Cid, Agonia e Êxtase, Ben Hur, entre outros. Em 1958, num trabalho diferente dos papéis históricos pelo qual ficaria marcado, fez um dos mais elogiados filmes de Orson Welles, A Marca da Maldade.
Outros filmes se seguiram O Planeta dos Macacos (1968), A Última Esperança da Terra (1971), No Mundo de 2020 (1972) e Terremoto (1974). Em 2001, fez a sua mais notada participação em muitos anos, na refilmagem de O Planeta dos Macacos, de Tim Burton, como um velho "macaco" pai do vilão do novo filme.
 PODE VER NESTE BLOG O FILME
EL CID - DOBRADO EM PORTUGUÊS
PUBLICADO digitalblueradio às 13:02 | LINK DO POST
tags:
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
Que feio!Foi no meu blog, pegou meu texto, modific...
E um meio de sobrevive
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
blogs SAPO