O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
 Ponte de Lima é uma lindíssima vila, sede de concelho, banhada pelo rio Lima, situada no verdejante Minho, na região Norte do País, de feição predominantemente agrícola. 

A região de Ponte de Lima foi habitada desde os primeiros tempos da pré-história, com diversos monumentos megalíticos por todo o concelho, tendo por aqui passado diversos povos ao longo dos séculos. O monumento mais emblemático desta herança cultural, arquitectónica e artística é a ponte que atravessa o Rio Lima, com os seus quinze grandes arcos de pedra, que caracteriza a própria vila.
 Ponte de Lima é a mais antiga Vila Portuguesa, com foral concebido em 1125 por D. Teresa, mãe de D. Afonso Henriques, o primeiro Rei de Portugal. As suas pacatas ruas de casas pitorescas, tipicamente minhotas respiram história, integrando um grande número de solares e casas apalaçadas, considerada a capital do Turismo de Habitação do País, atestando igualmente a importância económica de outros tempos, muito derivado da produção de afamado vinho verde. 
 O património arquitectónico e cultural da vila é riquíssimo, nomeadamente do período Medieval e Renascentista, destacando-se a Igreja Matriz do século XV, a Torre da Cadeia Velha ou da Porta Nova do século XIV e a Torre de São Paulo, integrada no que resta das muralhas defensivas, o Convento de Santo António do século XV, cuja igreja alberga o interessante Museu dos Terceiros, com uma rica colecção de arte sacra, a Igreja da Misericórdia ou a Capela da Nossa Senhora da Penha de França de inícios do século XVII. 

Muito célebre é a feira quinzenal realizada às segundas-feiras, desde 1125, e anualmente em Setembro as “Feiras Novas”, de origens do século XII, bem tradicionais e alegres, com procissões em honra de Nossa Senhora das Dores, atraindo grande número de visitantes.
PUBLICADO digitalblueradio às 21:35 | LINK DO POST
tags:
 Ponte de Lima é uma lindíssima vila, sede de concelho, banhada pelo rio Lima, situada no verdejante Minho, na região Norte do País, de feição predominantemente agrícola. 

A região de Ponte de Lima foi habitada desde os primeiros tempos da pré-história, com diversos monumentos megalíticos por todo o concelho, tendo por aqui passado diversos povos ao longo dos séculos. O monumento mais emblemático desta herança cultural, arquitectónica e artística é a ponte que atravessa o Rio Lima, com os seus quinze grandes arcos de pedra, que caracteriza a própria vila.
 Ponte de Lima é a mais antiga Vila Portuguesa, com foral concebido em 1125 por D. Teresa, mãe de D. Afonso Henriques, o primeiro Rei de Portugal. As suas pacatas ruas de casas pitorescas, tipicamente minhotas respiram história, integrando um grande número de solares e casas apalaçadas, considerada a capital do Turismo de Habitação do País, atestando igualmente a importância económica de outros tempos, muito derivado da produção de afamado vinho verde. 
 O património arquitectónico e cultural da vila é riquíssimo, nomeadamente do período Medieval e Renascentista, destacando-se a Igreja Matriz do século XV, a Torre da Cadeia Velha ou da Porta Nova do século XIV e a Torre de São Paulo, integrada no que resta das muralhas defensivas, o Convento de Santo António do século XV, cuja igreja alberga o interessante Museu dos Terceiros, com uma rica colecção de arte sacra, a Igreja da Misericórdia ou a Capela da Nossa Senhora da Penha de França de inícios do século XVII. 

Muito célebre é a feira quinzenal realizada às segundas-feiras, desde 1125, e anualmente em Setembro as “Feiras Novas”, de origens do século XII, bem tradicionais e alegres, com procissões em honra de Nossa Senhora das Dores, atraindo grande número de visitantes.
PUBLICADO digitalblueradio às 21:35 | LINK DO POST
tags:
 Ponte de Lima é uma lindíssima vila, sede de concelho, banhada pelo rio Lima, situada no verdejante Minho, na região Norte do País, de feição predominantemente agrícola. 

A região de Ponte de Lima foi habitada desde os primeiros tempos da pré-história, com diversos monumentos megalíticos por todo o concelho, tendo por aqui passado diversos povos ao longo dos séculos. O monumento mais emblemático desta herança cultural, arquitectónica e artística é a ponte que atravessa o Rio Lima, com os seus quinze grandes arcos de pedra, que caracteriza a própria vila.
 Ponte de Lima é a mais antiga Vila Portuguesa, com foral concebido em 1125 por D. Teresa, mãe de D. Afonso Henriques, o primeiro Rei de Portugal. As suas pacatas ruas de casas pitorescas, tipicamente minhotas respiram história, integrando um grande número de solares e casas apalaçadas, considerada a capital do Turismo de Habitação do País, atestando igualmente a importância económica de outros tempos, muito derivado da produção de afamado vinho verde. 
 O património arquitectónico e cultural da vila é riquíssimo, nomeadamente do período Medieval e Renascentista, destacando-se a Igreja Matriz do século XV, a Torre da Cadeia Velha ou da Porta Nova do século XIV e a Torre de São Paulo, integrada no que resta das muralhas defensivas, o Convento de Santo António do século XV, cuja igreja alberga o interessante Museu dos Terceiros, com uma rica colecção de arte sacra, a Igreja da Misericórdia ou a Capela da Nossa Senhora da Penha de França de inícios do século XVII. 

Muito célebre é a feira quinzenal realizada às segundas-feiras, desde 1125, e anualmente em Setembro as “Feiras Novas”, de origens do século XII, bem tradicionais e alegres, com procissões em honra de Nossa Senhora das Dores, atraindo grande número de visitantes.
PUBLICADO digitalblueradio às 21:35 | LINK DO POST
tags:
 Jean-Baptiste Poquelin, mais conhecido como Molière nasceu  em Paris a 15 de janeiro de 1622 e faleceu a 17 de Fevereiro de 1673, foi um dramaturgo francês, além de actor e encenador, considerado um dos mestres da comédia satírica. Teve um papel de destaque na dramaturgia francesa, até então muito dependente da temática da mitologia grega. Molière usou as suas obras para criticar os costumes da época. 
 Filho de um artesão parisiense, ficou órfão da mãe (Marie Cressé) quando ainda era criança. Entrou em 1633 na prestigiada escola de Jesuítas do Collège de Clermont, onde completou a sua formação académica em 1639. Quando chegou aos 18 anos, o seu pai passou-lhe o título de Tapeceiro ordinário do rei, e o cargo associado de criado de quarto, pelo que teve desde cedo contacto com o rei. Há quem afirme que terá tido formação em direito em Orleães em 1642, mas subsistem algumas dúvidas quanto a isso.

Desde cedo se interessou pelo teatro que estava muito na moda na altura, principalmente depois de Luís XIII, a pedido de Richelieu. Em Junho de 1643, juntamente com a sua amante Madeleine Béjart, um irmão e uma irmã dela, fundou a companhia (troupe) de teatro L'Illustre Théâtre. Fazem algumas actuações na província e, em 1644, apresentam-se em Paris, nesta altura passa a dirigir a companhia, que, entretanto, entra na bancarrota em 1645. A daí assume o pseudónimo de Molière, inspirado no nome de uma pequena aldeia do sul de França. A falência da companhia valeu-lhe algumas semanas de prisão por causa das dívidas. A vida errante durou cerca de 14 anos, durante estas viagens conheceu o Príncipe de Conti, governador do Languedoc, que se tornou seu mecenas de 1653 a 1657.
 Apesar da sua preferência pelo género trágico, Molière tornou-se famoso pelas suas farsas, geralmente de um só acto e apresentadas depois de uma tragédia. Em 1662, Molière casou com Armande, e encenou "Escola de Mulheres", que é, sem dúvida, uma das suas obras-primas.  O rei, Luís XIV concedeu-lhe uma pensão (privilégio pela primeira vez efectuado por um rei a um comediante). Em 1664, encenou "Tartufo", tornando-se no maior escândalo da carreira artística de Molière. Em 1666, apresenta "O Misantropo",considerada, hoje em dia, uma das obras mais refinadas e com um conteúdo moral mais elevado das peças de Molière.
 Moliére entretanto adoece. Um dos mais famosos momentos da biografia de Molière é a sua morte, que se tornou numa referência no meio teatral. É dito que morreu no palco, representando o papel principal da sua última peça. De facto, apenas desmaiou, tendo morrido horas mais tarde em sua casa, sem tomar os sacramentos já que dois padres se recusaram a dar-lhe a última visita, e o terceiro já chegou tarde. Diz-se que estava vestido de amarelo, o que gerou a superstição de que esta cor é fatídica para os actores. Os comediantes (actores) da época não podiam, por lei, ser sepultados nos cemitérios normais (terreno sagrado), já que o clero considerava tal profissão como a mera "representação do falso". Como Molière persistiu na vida de actor até à morte, estava nessa condição. A sua mulher, Armande, pede, contudo, a Luís XIV que lhe providencie um funeral normal. O máximo que o rei consegue fazer é obter do arcebispo a autorização para que o enterrem no cemitério reservado aos nados-mortos (não baptizados). Ainda assim, o enterro é realizado durante a noite.

Em 17 de janeiro de 1673, enquanto representava no palco o protagonista de sua última obra, O doente imaginário, Molière sofreu um repentino colapso e morreu poucas horas depois, em sua casa de Paris. Em 1792, os seus restos mortais são levados para o Museu dos Monumentos Franceses e, em 1817, transferidos para o cemitério do Père Lachaise, em Paris, ao lado da sepultura de La Fontaine.
PUBLICADO digitalblueradio às 21:06 | LINK DO POST
tags:
 Jean-Baptiste Poquelin, mais conhecido como Molière nasceu  em Paris a 15 de janeiro de 1622 e faleceu a 17 de Fevereiro de 1673, foi um dramaturgo francês, além de actor e encenador, considerado um dos mestres da comédia satírica. Teve um papel de destaque na dramaturgia francesa, até então muito dependente da temática da mitologia grega. Molière usou as suas obras para criticar os costumes da época. 
 Filho de um artesão parisiense, ficou órfão da mãe (Marie Cressé) quando ainda era criança. Entrou em 1633 na prestigiada escola de Jesuítas do Collège de Clermont, onde completou a sua formação académica em 1639. Quando chegou aos 18 anos, o seu pai passou-lhe o título de Tapeceiro ordinário do rei, e o cargo associado de criado de quarto, pelo que teve desde cedo contacto com o rei. Há quem afirme que terá tido formação em direito em Orleães em 1642, mas subsistem algumas dúvidas quanto a isso.

Desde cedo se interessou pelo teatro que estava muito na moda na altura, principalmente depois de Luís XIII, a pedido de Richelieu. Em Junho de 1643, juntamente com a sua amante Madeleine Béjart, um irmão e uma irmã dela, fundou a companhia (troupe) de teatro L'Illustre Théâtre. Fazem algumas actuações na província e, em 1644, apresentam-se em Paris, nesta altura passa a dirigir a companhia, que, entretanto, entra na bancarrota em 1645. A daí assume o pseudónimo de Molière, inspirado no nome de uma pequena aldeia do sul de França. A falência da companhia valeu-lhe algumas semanas de prisão por causa das dívidas. A vida errante durou cerca de 14 anos, durante estas viagens conheceu o Príncipe de Conti, governador do Languedoc, que se tornou seu mecenas de 1653 a 1657.
 Apesar da sua preferência pelo género trágico, Molière tornou-se famoso pelas suas farsas, geralmente de um só acto e apresentadas depois de uma tragédia. Em 1662, Molière casou com Armande, e encenou "Escola de Mulheres", que é, sem dúvida, uma das suas obras-primas.  O rei, Luís XIV concedeu-lhe uma pensão (privilégio pela primeira vez efectuado por um rei a um comediante). Em 1664, encenou "Tartufo", tornando-se no maior escândalo da carreira artística de Molière. Em 1666, apresenta "O Misantropo",considerada, hoje em dia, uma das obras mais refinadas e com um conteúdo moral mais elevado das peças de Molière.
 Moliére entretanto adoece. Um dos mais famosos momentos da biografia de Molière é a sua morte, que se tornou numa referência no meio teatral. É dito que morreu no palco, representando o papel principal da sua última peça. De facto, apenas desmaiou, tendo morrido horas mais tarde em sua casa, sem tomar os sacramentos já que dois padres se recusaram a dar-lhe a última visita, e o terceiro já chegou tarde. Diz-se que estava vestido de amarelo, o que gerou a superstição de que esta cor é fatídica para os actores. Os comediantes (actores) da época não podiam, por lei, ser sepultados nos cemitérios normais (terreno sagrado), já que o clero considerava tal profissão como a mera "representação do falso". Como Molière persistiu na vida de actor até à morte, estava nessa condição. A sua mulher, Armande, pede, contudo, a Luís XIV que lhe providencie um funeral normal. O máximo que o rei consegue fazer é obter do arcebispo a autorização para que o enterrem no cemitério reservado aos nados-mortos (não baptizados). Ainda assim, o enterro é realizado durante a noite.

Em 17 de janeiro de 1673, enquanto representava no palco o protagonista de sua última obra, O doente imaginário, Molière sofreu um repentino colapso e morreu poucas horas depois, em sua casa de Paris. Em 1792, os seus restos mortais são levados para o Museu dos Monumentos Franceses e, em 1817, transferidos para o cemitério do Père Lachaise, em Paris, ao lado da sepultura de La Fontaine.
PUBLICADO digitalblueradio às 21:06 | LINK DO POST
tags:
 Jean-Baptiste Poquelin, mais conhecido como Molière nasceu  em Paris a 15 de janeiro de 1622 e faleceu a 17 de Fevereiro de 1673, foi um dramaturgo francês, além de actor e encenador, considerado um dos mestres da comédia satírica. Teve um papel de destaque na dramaturgia francesa, até então muito dependente da temática da mitologia grega. Molière usou as suas obras para criticar os costumes da época. 
 Filho de um artesão parisiense, ficou órfão da mãe (Marie Cressé) quando ainda era criança. Entrou em 1633 na prestigiada escola de Jesuítas do Collège de Clermont, onde completou a sua formação académica em 1639. Quando chegou aos 18 anos, o seu pai passou-lhe o título de Tapeceiro ordinário do rei, e o cargo associado de criado de quarto, pelo que teve desde cedo contacto com o rei. Há quem afirme que terá tido formação em direito em Orleães em 1642, mas subsistem algumas dúvidas quanto a isso.

Desde cedo se interessou pelo teatro que estava muito na moda na altura, principalmente depois de Luís XIII, a pedido de Richelieu. Em Junho de 1643, juntamente com a sua amante Madeleine Béjart, um irmão e uma irmã dela, fundou a companhia (troupe) de teatro L'Illustre Théâtre. Fazem algumas actuações na província e, em 1644, apresentam-se em Paris, nesta altura passa a dirigir a companhia, que, entretanto, entra na bancarrota em 1645. A daí assume o pseudónimo de Molière, inspirado no nome de uma pequena aldeia do sul de França. A falência da companhia valeu-lhe algumas semanas de prisão por causa das dívidas. A vida errante durou cerca de 14 anos, durante estas viagens conheceu o Príncipe de Conti, governador do Languedoc, que se tornou seu mecenas de 1653 a 1657.
 Apesar da sua preferência pelo género trágico, Molière tornou-se famoso pelas suas farsas, geralmente de um só acto e apresentadas depois de uma tragédia. Em 1662, Molière casou com Armande, e encenou "Escola de Mulheres", que é, sem dúvida, uma das suas obras-primas.  O rei, Luís XIV concedeu-lhe uma pensão (privilégio pela primeira vez efectuado por um rei a um comediante). Em 1664, encenou "Tartufo", tornando-se no maior escândalo da carreira artística de Molière. Em 1666, apresenta "O Misantropo",considerada, hoje em dia, uma das obras mais refinadas e com um conteúdo moral mais elevado das peças de Molière.
 Moliére entretanto adoece. Um dos mais famosos momentos da biografia de Molière é a sua morte, que se tornou numa referência no meio teatral. É dito que morreu no palco, representando o papel principal da sua última peça. De facto, apenas desmaiou, tendo morrido horas mais tarde em sua casa, sem tomar os sacramentos já que dois padres se recusaram a dar-lhe a última visita, e o terceiro já chegou tarde. Diz-se que estava vestido de amarelo, o que gerou a superstição de que esta cor é fatídica para os actores. Os comediantes (actores) da época não podiam, por lei, ser sepultados nos cemitérios normais (terreno sagrado), já que o clero considerava tal profissão como a mera "representação do falso". Como Molière persistiu na vida de actor até à morte, estava nessa condição. A sua mulher, Armande, pede, contudo, a Luís XIV que lhe providencie um funeral normal. O máximo que o rei consegue fazer é obter do arcebispo a autorização para que o enterrem no cemitério reservado aos nados-mortos (não baptizados). Ainda assim, o enterro é realizado durante a noite.

Em 17 de janeiro de 1673, enquanto representava no palco o protagonista de sua última obra, O doente imaginário, Molière sofreu um repentino colapso e morreu poucas horas depois, em sua casa de Paris. Em 1792, os seus restos mortais são levados para o Museu dos Monumentos Franceses e, em 1817, transferidos para o cemitério do Père Lachaise, em Paris, ao lado da sepultura de La Fontaine.
PUBLICADO digitalblueradio às 21:06 | LINK DO POST
tags:
ESTE COMERCIAL ESTÁ DEMAIS
ESTE É UM ANUNCIO DA SKODA

AUDI - ILIMINANDO A SORTE
 DIA DA MÃE SIMPLESMENTE ESPECTACULAR
VODAFONE EVOLUÇÃO DO TELÉMOVEL
ESTE COMERCIAL TAMBÉM ESTÁ MUITO BOM
IMPRESSIONANTE ESTE COMERCIAL
PUBLICADO digitalblueradio às 15:14 | LINK DO POST
tags:
ESTE COMERCIAL ESTÁ DEMAIS
ESTE É UM ANUNCIO DA SKODA

AUDI - ILIMINANDO A SORTE
 DIA DA MÃE SIMPLESMENTE ESPECTACULAR
VODAFONE EVOLUÇÃO DO TELÉMOVEL
ESTE COMERCIAL TAMBÉM ESTÁ MUITO BOM
IMPRESSIONANTE ESTE COMERCIAL
PUBLICADO digitalblueradio às 15:14 | LINK DO POST
tags:
ESTE COMERCIAL ESTÁ DEMAIS
ESTE É UM ANUNCIO DA SKODA

AUDI - ILIMINANDO A SORTE
 DIA DA MÃE SIMPLESMENTE ESPECTACULAR
VODAFONE EVOLUÇÃO DO TELÉMOVEL
ESTE COMERCIAL TAMBÉM ESTÁ MUITO BOM
IMPRESSIONANTE ESTE COMERCIAL
PUBLICADO digitalblueradio às 15:14 | LINK DO POST
tags:
POESIA DITA POR JOÃO VILLARET
PUBLICADO digitalblueradio às 12:00 | LINK DO POST
tags:
POESIA DITA POR JOÃO VILLARET
PUBLICADO digitalblueradio às 12:00 | LINK DO POST
tags:
POESIA DITA POR JOÃO VILLARET
PUBLICADO digitalblueradio às 12:00 | LINK DO POST
tags:
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
31994042009
Perfeito. Me sinto da mesma forma. Parece que desc...
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
subscrever feeds
SAPO Blogs