O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS

Estamos Velhos?
A ficar velhos,...?
De acordo com as noticias e os sábios dos dias de hoje, todos nós que nascemos nos anos 50, 60, 70 e princípios de 80, não devíamos ter sobrevivido até hoje, porque as nossas caminhas de bebé eram pintadas com cores bonitas, em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos.


 Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas "à prova de crianças", ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas.
 Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacete. 


Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos e airbags, viajar á frente era um bónus.
Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem. 
Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e bebíamos gasosa , e nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar na rua até às tantas.
Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso.
Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a grande velocidade pelo rua  abaixo, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar uns travões. 
Não tínhamos PlayStation, X Box.
Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, telemóveis, computadores, DVD, Chat na Internet.
Tínhamos amigos - se os quiséssemos encontrar íamos à rua.

Caíamos das árvores, cortávamo-nos, e até partíamos ossos mas sempre sem processos em tribunal.
Havia lutas com punhos mas sem sermos processados.
Batíamos á porta de vizinhos e fugíamos e tínhamos  medo de sermos apanhados. 
Acreditem ou não íamos a pé para a escola; Não esperávamos que a mamã ou o papá nos levasse.
Criávamos jogos com paus e bolas.
Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre. 
Os últimos 50 anos têm sido uma explosão de inovação e ideias novas.
Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo. 
Fazes parte desta geração?
Parabéns!
Para todos os outros que não têm idade suficiente pensei que gostassem de ler acerca de nós. 
A maioria dos estudantes que estão hoje nas universidades nasceu em no final da década de 80. 
Chamam-se jovens.
Nunca jogaram berlinde, pião, cabra-cega,...
Nunca ouviram Billy Joel, Cars, Marillion,... 
Para eles sempre houve uma Alemanha e um Vietname.
A SIDA sempre existiu.
Os CD's sempre existiram.
O Michael Jackson sempre foi branco.
Não conseguem imaginar a vida sem computadores.
Não acreditam que houve televisão a preto e branco.


Agora vamos ver se estamos a ficar velhos:
1. Entendes o que está escrito acima e sorris.
2. Precisas de dormir mais depois de uma noitada.
3. Os teus amigos estão casados. 
4. Surpreende-te ver que as crianças de hoje não passam sem  computadores, play-sation, x-box. 
5. Abanas a cabeça ao ver adolescentes dependentes dos  telemóveis. 
6. Lembras-te da tua  primeira vez. 
7. Encontras amigos e falas dos bons velhos tempos.
8.  ESTÁS A FICAR VELHO ,....., mas tivemos uma infância do caraças. 

PUBLICADO digitalblueradio às 19:13 | LINK DO POST
tags:

Estamos Velhos?
A ficar velhos,...?
De acordo com as noticias e os sábios dos dias de hoje, todos nós que nascemos nos anos 50, 60, 70 e princípios de 80, não devíamos ter sobrevivido até hoje, porque as nossas caminhas de bebé eram pintadas com cores bonitas, em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos.


 Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas "à prova de crianças", ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas.
 Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacete. 


Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos e airbags, viajar á frente era um bónus.
Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem. 
Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e bebíamos gasosa , e nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar na rua até às tantas.
Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso.
Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a grande velocidade pelo rua  abaixo, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar uns travões. 
Não tínhamos PlayStation, X Box.
Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, telemóveis, computadores, DVD, Chat na Internet.
Tínhamos amigos - se os quiséssemos encontrar íamos à rua.

Caíamos das árvores, cortávamo-nos, e até partíamos ossos mas sempre sem processos em tribunal.
Havia lutas com punhos mas sem sermos processados.
Batíamos á porta de vizinhos e fugíamos e tínhamos  medo de sermos apanhados. 
Acreditem ou não íamos a pé para a escola; Não esperávamos que a mamã ou o papá nos levasse.
Criávamos jogos com paus e bolas.
Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre. 
Os últimos 50 anos têm sido uma explosão de inovação e ideias novas.
Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo. 
Fazes parte desta geração?
Parabéns!
Para todos os outros que não têm idade suficiente pensei que gostassem de ler acerca de nós. 
A maioria dos estudantes que estão hoje nas universidades nasceu em no final da década de 80. 
Chamam-se jovens.
Nunca jogaram berlinde, pião, cabra-cega,...
Nunca ouviram Billy Joel, Cars, Marillion,... 
Para eles sempre houve uma Alemanha e um Vietname.
A SIDA sempre existiu.
Os CD's sempre existiram.
O Michael Jackson sempre foi branco.
Não conseguem imaginar a vida sem computadores.
Não acreditam que houve televisão a preto e branco.


Agora vamos ver se estamos a ficar velhos:
1. Entendes o que está escrito acima e sorris.
2. Precisas de dormir mais depois de uma noitada.
3. Os teus amigos estão casados. 
4. Surpreende-te ver que as crianças de hoje não passam sem  computadores, play-sation, x-box. 
5. Abanas a cabeça ao ver adolescentes dependentes dos  telemóveis. 
6. Lembras-te da tua  primeira vez. 
7. Encontras amigos e falas dos bons velhos tempos.
8.  ESTÁS A FICAR VELHO ,....., mas tivemos uma infância do caraças. 

PUBLICADO digitalblueradio às 19:13 | LINK DO POST
tags:

Estamos Velhos?
A ficar velhos,...?
De acordo com as noticias e os sábios dos dias de hoje, todos nós que nascemos nos anos 50, 60, 70 e princípios de 80, não devíamos ter sobrevivido até hoje, porque as nossas caminhas de bebé eram pintadas com cores bonitas, em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos.


 Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas "à prova de crianças", ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas.
 Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacete. 


Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos e airbags, viajar á frente era um bónus.
Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem. 
Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e bebíamos gasosa , e nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar na rua até às tantas.
Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso.
Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a grande velocidade pelo rua  abaixo, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar uns travões. 
Não tínhamos PlayStation, X Box.
Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, telemóveis, computadores, DVD, Chat na Internet.
Tínhamos amigos - se os quiséssemos encontrar íamos à rua.

Caíamos das árvores, cortávamo-nos, e até partíamos ossos mas sempre sem processos em tribunal.
Havia lutas com punhos mas sem sermos processados.
Batíamos á porta de vizinhos e fugíamos e tínhamos  medo de sermos apanhados. 
Acreditem ou não íamos a pé para a escola; Não esperávamos que a mamã ou o papá nos levasse.
Criávamos jogos com paus e bolas.
Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre. 
Os últimos 50 anos têm sido uma explosão de inovação e ideias novas.
Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo. 
Fazes parte desta geração?
Parabéns!
Para todos os outros que não têm idade suficiente pensei que gostassem de ler acerca de nós. 
A maioria dos estudantes que estão hoje nas universidades nasceu em no final da década de 80. 
Chamam-se jovens.
Nunca jogaram berlinde, pião, cabra-cega,...
Nunca ouviram Billy Joel, Cars, Marillion,... 
Para eles sempre houve uma Alemanha e um Vietname.
A SIDA sempre existiu.
Os CD's sempre existiram.
O Michael Jackson sempre foi branco.
Não conseguem imaginar a vida sem computadores.
Não acreditam que houve televisão a preto e branco.


Agora vamos ver se estamos a ficar velhos:
1. Entendes o que está escrito acima e sorris.
2. Precisas de dormir mais depois de uma noitada.
3. Os teus amigos estão casados. 
4. Surpreende-te ver que as crianças de hoje não passam sem  computadores, play-sation, x-box. 
5. Abanas a cabeça ao ver adolescentes dependentes dos  telemóveis. 
6. Lembras-te da tua  primeira vez. 
7. Encontras amigos e falas dos bons velhos tempos.
8.  ESTÁS A FICAR VELHO ,....., mas tivemos uma infância do caraças. 

PUBLICADO digitalblueradio às 19:13 | LINK DO POST
tags:
 "Manda Bala" (Send a Bullet) é um documentário americano dirigido por Jason Kohn, sobre a corrupção e o sequestro no Brasil. Jason Kohn ouve o ex-presidente do Senado, Jader Barbalho, acusado de ter usado um centro de criação de rãs como forma de ocultar um desvio bilionário de verbas, o cirurgião plástico Juarez Avelar, que ganhou renome mundial ao desenvolver técnicas para restituir orelhas decepadas, e um assassino e sequestrador que se apresenta sob a alcunha de "Magrinho" e relata os seus crimes com frieza. 
PUBLICADO digitalblueradio às 17:43 | LINK DO POST
 "Manda Bala" (Send a Bullet) é um documentário americano dirigido por Jason Kohn, sobre a corrupção e o sequestro no Brasil. Jason Kohn ouve o ex-presidente do Senado, Jader Barbalho, acusado de ter usado um centro de criação de rãs como forma de ocultar um desvio bilionário de verbas, o cirurgião plástico Juarez Avelar, que ganhou renome mundial ao desenvolver técnicas para restituir orelhas decepadas, e um assassino e sequestrador que se apresenta sob a alcunha de "Magrinho" e relata os seus crimes com frieza. 
PUBLICADO digitalblueradio às 17:43 | LINK DO POST
 "Manda Bala" (Send a Bullet) é um documentário americano dirigido por Jason Kohn, sobre a corrupção e o sequestro no Brasil. Jason Kohn ouve o ex-presidente do Senado, Jader Barbalho, acusado de ter usado um centro de criação de rãs como forma de ocultar um desvio bilionário de verbas, o cirurgião plástico Juarez Avelar, que ganhou renome mundial ao desenvolver técnicas para restituir orelhas decepadas, e um assassino e sequestrador que se apresenta sob a alcunha de "Magrinho" e relata os seus crimes com frieza. 
PUBLICADO digitalblueradio às 17:43 | LINK DO POST
Que mundo é este onde vivemos?
Para onde caminha a humanidade?
Enquanto uns enchem os bolsos outros fazem de tudo para sobreviver! Este documentário é o retrato de uma sociedade 
cada vez mais desumanizada. Filmado ao longo de dois anos (entre 2007 e 2009), "Lixo Extraordinário" acompanha o trabalho do artista plástico Vik Muniz num dos maiores aterros sanitários do mundo: "o Jardim Gramacho", na periferia do Rio de Janeiro. Lá, ele fotografa um grupo de "catadores" de materiais recicláveis. No entanto, o trabalho com esses personagens revela a dignidade e o desespero que enfrentam quando sugeridos a reimaginar as suas vidas fora daquele ambiente. A equipe tem acesso a todo o processo e, no final, revela o poder transformador da arte e da alquimia do espírito humano. Vale a pena ver, legendado.
PUBLICADO digitalblueradio às 15:08 | LINK DO POST
Que mundo é este onde vivemos?
Para onde caminha a humanidade?
Enquanto uns enchem os bolsos outros fazem de tudo para sobreviver! Este documentário é o retrato de uma sociedade 
cada vez mais desumanizada. Filmado ao longo de dois anos (entre 2007 e 2009), "Lixo Extraordinário" acompanha o trabalho do artista plástico Vik Muniz num dos maiores aterros sanitários do mundo: "o Jardim Gramacho", na periferia do Rio de Janeiro. Lá, ele fotografa um grupo de "catadores" de materiais recicláveis. No entanto, o trabalho com esses personagens revela a dignidade e o desespero que enfrentam quando sugeridos a reimaginar as suas vidas fora daquele ambiente. A equipe tem acesso a todo o processo e, no final, revela o poder transformador da arte e da alquimia do espírito humano. Vale a pena ver, legendado.
PUBLICADO digitalblueradio às 15:08 | LINK DO POST
Que mundo é este onde vivemos?
Para onde caminha a humanidade?
Enquanto uns enchem os bolsos outros fazem de tudo para sobreviver! Este documentário é o retrato de uma sociedade 
cada vez mais desumanizada. Filmado ao longo de dois anos (entre 2007 e 2009), "Lixo Extraordinário" acompanha o trabalho do artista plástico Vik Muniz num dos maiores aterros sanitários do mundo: "o Jardim Gramacho", na periferia do Rio de Janeiro. Lá, ele fotografa um grupo de "catadores" de materiais recicláveis. No entanto, o trabalho com esses personagens revela a dignidade e o desespero que enfrentam quando sugeridos a reimaginar as suas vidas fora daquele ambiente. A equipe tem acesso a todo o processo e, no final, revela o poder transformador da arte e da alquimia do espírito humano. Vale a pena ver, legendado.
PUBLICADO digitalblueradio às 15:08 | LINK DO POST

VAMOS VIAJAR NO TEMPO
 1966
 Madalena Iglésias vence o "Festival" em Portugal, mas o Concurso da Eurovisão é ganho por Udo Jurgens. No ano em que a Ponte 25 de Abril, então baptizada "Ponte Salazar" era inaugurada, Madalena Iglésias sagrava-se vencedora do Festival da Canção da RTP. Aquela que por várias vezes foi eleita como a "Rainha da Rádio"  e que dividia a fama com Simone de Oliveira tinha, agora, a sua oportunidade de representar Portugal na Eurovisão. "Ele e Ela" a música venceu em Portugal com 81 pontos, mais 29 que a segunda classificada, mas na Europa não foi além do 13º lugar. Contudo, "Ele e Ela" foi um salto para a fama de Madalena Iglésias, que lhe proporcionou propostas de contratos para a Holanda, Cannes e diversas estações de televisão. 
Classificação 
01 –  “Ele e ela” Madalena Iglésias
02 –  “Eu nunca direi adeus” Sérgio Borges
03 –  “Rebeldia” Madalena Iglésias
04 –  “Outono” João Maria Tudela
05 –  “Encontro para amanhã” António Calvário
06 –  “Caminhos perdidos” Madalena Iglésias
07 –  “Ai, gracinha” João Maria Tudela
08 –  “Nada e ninguém” Tony de Matos
                            Sérgio Borges fica em 2º lugar 


 Lá fora ganha a Austria “Merci chérie” Udo Jürgens

PUBLICADO digitalblueradio às 12:46 | LINK DO POST
tags:

VAMOS VIAJAR NO TEMPO
 1966
 Madalena Iglésias vence o "Festival" em Portugal, mas o Concurso da Eurovisão é ganho por Udo Jurgens. No ano em que a Ponte 25 de Abril, então baptizada "Ponte Salazar" era inaugurada, Madalena Iglésias sagrava-se vencedora do Festival da Canção da RTP. Aquela que por várias vezes foi eleita como a "Rainha da Rádio"  e que dividia a fama com Simone de Oliveira tinha, agora, a sua oportunidade de representar Portugal na Eurovisão. "Ele e Ela" a música venceu em Portugal com 81 pontos, mais 29 que a segunda classificada, mas na Europa não foi além do 13º lugar. Contudo, "Ele e Ela" foi um salto para a fama de Madalena Iglésias, que lhe proporcionou propostas de contratos para a Holanda, Cannes e diversas estações de televisão. 
Classificação 
01 –  “Ele e ela” Madalena Iglésias
02 –  “Eu nunca direi adeus” Sérgio Borges
03 –  “Rebeldia” Madalena Iglésias
04 –  “Outono” João Maria Tudela
05 –  “Encontro para amanhã” António Calvário
06 –  “Caminhos perdidos” Madalena Iglésias
07 –  “Ai, gracinha” João Maria Tudela
08 –  “Nada e ninguém” Tony de Matos
                            Sérgio Borges fica em 2º lugar 


 Lá fora ganha a Austria “Merci chérie” Udo Jürgens

PUBLICADO digitalblueradio às 12:46 | LINK DO POST
tags:

VAMOS VIAJAR NO TEMPO
 1966
 Madalena Iglésias vence o "Festival" em Portugal, mas o Concurso da Eurovisão é ganho por Udo Jurgens. No ano em que a Ponte 25 de Abril, então baptizada "Ponte Salazar" era inaugurada, Madalena Iglésias sagrava-se vencedora do Festival da Canção da RTP. Aquela que por várias vezes foi eleita como a "Rainha da Rádio"  e que dividia a fama com Simone de Oliveira tinha, agora, a sua oportunidade de representar Portugal na Eurovisão. "Ele e Ela" a música venceu em Portugal com 81 pontos, mais 29 que a segunda classificada, mas na Europa não foi além do 13º lugar. Contudo, "Ele e Ela" foi um salto para a fama de Madalena Iglésias, que lhe proporcionou propostas de contratos para a Holanda, Cannes e diversas estações de televisão. 
Classificação 
01 –  “Ele e ela” Madalena Iglésias
02 –  “Eu nunca direi adeus” Sérgio Borges
03 –  “Rebeldia” Madalena Iglésias
04 –  “Outono” João Maria Tudela
05 –  “Encontro para amanhã” António Calvário
06 –  “Caminhos perdidos” Madalena Iglésias
07 –  “Ai, gracinha” João Maria Tudela
08 –  “Nada e ninguém” Tony de Matos
                            Sérgio Borges fica em 2º lugar 


 Lá fora ganha a Austria “Merci chérie” Udo Jürgens

PUBLICADO digitalblueradio às 12:46 | LINK DO POST
tags:
MUSICA QUE O TEMPO NÃO APAGA
Mink DeVille - Spanish Stroll (1977)
The Adventures - Broken Land (1988)
Neste caminho em busca de recordações
Folhas secas cobrem a estrada que percorro
Caminho para trás no tempo,...
E a lembrança desse encontro, faz-me reviver cada momento.
OMD - Pandora's Box (1991)
Electric Light Orchestra - Midnight Blue (1979)
Robert Palmer - Addicted To Love
Robert Palmer - Johnny and Mary
RECORDAR É VIVER

PUBLICADO digitalblueradio às 11:01 | LINK DO POST
tags:
MUSICA QUE O TEMPO NÃO APAGA
Mink DeVille - Spanish Stroll (1977)
The Adventures - Broken Land (1988)
Neste caminho em busca de recordações
Folhas secas cobrem a estrada que percorro
Caminho para trás no tempo,...
E a lembrança desse encontro, faz-me reviver cada momento.
OMD - Pandora's Box (1991)
Electric Light Orchestra - Midnight Blue (1979)
Robert Palmer - Addicted To Love
Robert Palmer - Johnny and Mary
RECORDAR É VIVER

PUBLICADO digitalblueradio às 11:01 | LINK DO POST
tags:
MUSICA QUE O TEMPO NÃO APAGA
Mink DeVille - Spanish Stroll (1977)
The Adventures - Broken Land (1988)
Neste caminho em busca de recordações
Folhas secas cobrem a estrada que percorro
Caminho para trás no tempo,...
E a lembrança desse encontro, faz-me reviver cada momento.
OMD - Pandora's Box (1991)
Electric Light Orchestra - Midnight Blue (1979)
Robert Palmer - Addicted To Love
Robert Palmer - Johnny and Mary
RECORDAR É VIVER

PUBLICADO digitalblueradio às 11:01 | LINK DO POST
tags:
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
31994042009
Perfeito. Me sinto da mesma forma. Parece que desc...
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
subscrever feeds
SAPO Blogs