O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS

Estamos Velhos?
A ficar velhos,...?
De acordo com as noticias e os sábios dos dias de hoje, todos nós que nascemos nos anos 50, 60, 70 e princípios de 80, não devíamos ter sobrevivido até hoje, porque as nossas caminhas de bebé eram pintadas com cores bonitas, em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos.


 Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas "à prova de crianças", ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas.
 Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacete. 


Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos e airbags, viajar á frente era um bónus.
Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem. 
Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e bebíamos gasosa , e nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar na rua até às tantas.
Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso.
Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a grande velocidade pelo rua  abaixo, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar uns travões. 
Não tínhamos PlayStation, X Box.
Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, telemóveis, computadores, DVD, Chat na Internet.
Tínhamos amigos - se os quiséssemos encontrar íamos à rua.

Caíamos das árvores, cortávamo-nos, e até partíamos ossos mas sempre sem processos em tribunal.
Havia lutas com punhos mas sem sermos processados.
Batíamos á porta de vizinhos e fugíamos e tínhamos  medo de sermos apanhados. 
Acreditem ou não íamos a pé para a escola; Não esperávamos que a mamã ou o papá nos levasse.
Criávamos jogos com paus e bolas.
Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre. 
Os últimos 50 anos têm sido uma explosão de inovação e ideias novas.
Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo. 
Fazes parte desta geração?
Parabéns!
Para todos os outros que não têm idade suficiente pensei que gostassem de ler acerca de nós. 
A maioria dos estudantes que estão hoje nas universidades nasceu em no final da década de 80. 
Chamam-se jovens.
Nunca jogaram berlinde, pião, cabra-cega,...
Nunca ouviram Billy Joel, Cars, Marillion,... 
Para eles sempre houve uma Alemanha e um Vietname.
A SIDA sempre existiu.
Os CD's sempre existiram.
O Michael Jackson sempre foi branco.
Não conseguem imaginar a vida sem computadores.
Não acreditam que houve televisão a preto e branco.


Agora vamos ver se estamos a ficar velhos:
1. Entendes o que está escrito acima e sorris.
2. Precisas de dormir mais depois de uma noitada.
3. Os teus amigos estão casados. 
4. Surpreende-te ver que as crianças de hoje não passam sem  computadores, play-sation, x-box. 
5. Abanas a cabeça ao ver adolescentes dependentes dos  telemóveis. 
6. Lembras-te da tua  primeira vez. 
7. Encontras amigos e falas dos bons velhos tempos.
8.  ESTÁS A FICAR VELHO ,....., mas tivemos uma infância do caraças. 

PUBLICADO digitalblueradio às 19:13 | LINK DO POST
tags:

Estamos Velhos?
A ficar velhos,...?
De acordo com as noticias e os sábios dos dias de hoje, todos nós que nascemos nos anos 50, 60, 70 e princípios de 80, não devíamos ter sobrevivido até hoje, porque as nossas caminhas de bebé eram pintadas com cores bonitas, em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos.


 Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas "à prova de crianças", ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas.
 Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacete. 


Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos e airbags, viajar á frente era um bónus.
Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem. 
Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e bebíamos gasosa , e nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar na rua até às tantas.
Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso.
Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a grande velocidade pelo rua  abaixo, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar uns travões. 
Não tínhamos PlayStation, X Box.
Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, telemóveis, computadores, DVD, Chat na Internet.
Tínhamos amigos - se os quiséssemos encontrar íamos à rua.

Caíamos das árvores, cortávamo-nos, e até partíamos ossos mas sempre sem processos em tribunal.
Havia lutas com punhos mas sem sermos processados.
Batíamos á porta de vizinhos e fugíamos e tínhamos  medo de sermos apanhados. 
Acreditem ou não íamos a pé para a escola; Não esperávamos que a mamã ou o papá nos levasse.
Criávamos jogos com paus e bolas.
Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre. 
Os últimos 50 anos têm sido uma explosão de inovação e ideias novas.
Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo. 
Fazes parte desta geração?
Parabéns!
Para todos os outros que não têm idade suficiente pensei que gostassem de ler acerca de nós. 
A maioria dos estudantes que estão hoje nas universidades nasceu em no final da década de 80. 
Chamam-se jovens.
Nunca jogaram berlinde, pião, cabra-cega,...
Nunca ouviram Billy Joel, Cars, Marillion,... 
Para eles sempre houve uma Alemanha e um Vietname.
A SIDA sempre existiu.
Os CD's sempre existiram.
O Michael Jackson sempre foi branco.
Não conseguem imaginar a vida sem computadores.
Não acreditam que houve televisão a preto e branco.


Agora vamos ver se estamos a ficar velhos:
1. Entendes o que está escrito acima e sorris.
2. Precisas de dormir mais depois de uma noitada.
3. Os teus amigos estão casados. 
4. Surpreende-te ver que as crianças de hoje não passam sem  computadores, play-sation, x-box. 
5. Abanas a cabeça ao ver adolescentes dependentes dos  telemóveis. 
6. Lembras-te da tua  primeira vez. 
7. Encontras amigos e falas dos bons velhos tempos.
8.  ESTÁS A FICAR VELHO ,....., mas tivemos uma infância do caraças. 

PUBLICADO digitalblueradio às 19:13 | LINK DO POST
tags:

Estamos Velhos?
A ficar velhos,...?
De acordo com as noticias e os sábios dos dias de hoje, todos nós que nascemos nos anos 50, 60, 70 e princípios de 80, não devíamos ter sobrevivido até hoje, porque as nossas caminhas de bebé eram pintadas com cores bonitas, em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos.


 Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas "à prova de crianças", ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas.
 Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacete. 


Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos e airbags, viajar á frente era um bónus.
Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem. 
Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e bebíamos gasosa , e nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar na rua até às tantas.
Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso.
Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a grande velocidade pelo rua  abaixo, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar uns travões. 
Não tínhamos PlayStation, X Box.
Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, telemóveis, computadores, DVD, Chat na Internet.
Tínhamos amigos - se os quiséssemos encontrar íamos à rua.

Caíamos das árvores, cortávamo-nos, e até partíamos ossos mas sempre sem processos em tribunal.
Havia lutas com punhos mas sem sermos processados.
Batíamos á porta de vizinhos e fugíamos e tínhamos  medo de sermos apanhados. 
Acreditem ou não íamos a pé para a escola; Não esperávamos que a mamã ou o papá nos levasse.
Criávamos jogos com paus e bolas.
Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre. 
Os últimos 50 anos têm sido uma explosão de inovação e ideias novas.
Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo. 
Fazes parte desta geração?
Parabéns!
Para todos os outros que não têm idade suficiente pensei que gostassem de ler acerca de nós. 
A maioria dos estudantes que estão hoje nas universidades nasceu em no final da década de 80. 
Chamam-se jovens.
Nunca jogaram berlinde, pião, cabra-cega,...
Nunca ouviram Billy Joel, Cars, Marillion,... 
Para eles sempre houve uma Alemanha e um Vietname.
A SIDA sempre existiu.
Os CD's sempre existiram.
O Michael Jackson sempre foi branco.
Não conseguem imaginar a vida sem computadores.
Não acreditam que houve televisão a preto e branco.


Agora vamos ver se estamos a ficar velhos:
1. Entendes o que está escrito acima e sorris.
2. Precisas de dormir mais depois de uma noitada.
3. Os teus amigos estão casados. 
4. Surpreende-te ver que as crianças de hoje não passam sem  computadores, play-sation, x-box. 
5. Abanas a cabeça ao ver adolescentes dependentes dos  telemóveis. 
6. Lembras-te da tua  primeira vez. 
7. Encontras amigos e falas dos bons velhos tempos.
8.  ESTÁS A FICAR VELHO ,....., mas tivemos uma infância do caraças. 

PUBLICADO digitalblueradio às 19:13 | LINK DO POST
tags:
 "Manda Bala" (Send a Bullet) é um documentário americano dirigido por Jason Kohn, sobre a corrupção e o sequestro no Brasil. Jason Kohn ouve o ex-presidente do Senado, Jader Barbalho, acusado de ter usado um centro de criação de rãs como forma de ocultar um desvio bilionário de verbas, o cirurgião plástico Juarez Avelar, que ganhou renome mundial ao desenvolver técnicas para restituir orelhas decepadas, e um assassino e sequestrador que se apresenta sob a alcunha de "Magrinho" e relata os seus crimes com frieza. 
PUBLICADO digitalblueradio às 17:43 | LINK DO POST
 "Manda Bala" (Send a Bullet) é um documentário americano dirigido por Jason Kohn, sobre a corrupção e o sequestro no Brasil. Jason Kohn ouve o ex-presidente do Senado, Jader Barbalho, acusado de ter usado um centro de criação de rãs como forma de ocultar um desvio bilionário de verbas, o cirurgião plástico Juarez Avelar, que ganhou renome mundial ao desenvolver técnicas para restituir orelhas decepadas, e um assassino e sequestrador que se apresenta sob a alcunha de "Magrinho" e relata os seus crimes com frieza. 
PUBLICADO digitalblueradio às 17:43 | LINK DO POST
 "Manda Bala" (Send a Bullet) é um documentário americano dirigido por Jason Kohn, sobre a corrupção e o sequestro no Brasil. Jason Kohn ouve o ex-presidente do Senado, Jader Barbalho, acusado de ter usado um centro de criação de rãs como forma de ocultar um desvio bilionário de verbas, o cirurgião plástico Juarez Avelar, que ganhou renome mundial ao desenvolver técnicas para restituir orelhas decepadas, e um assassino e sequestrador que se apresenta sob a alcunha de "Magrinho" e relata os seus crimes com frieza. 
PUBLICADO digitalblueradio às 17:43 | LINK DO POST
Que mundo é este onde vivemos?
Para onde caminha a humanidade?
Enquanto uns enchem os bolsos outros fazem de tudo para sobreviver! Este documentário é o retrato de uma sociedade 
cada vez mais desumanizada. Filmado ao longo de dois anos (entre 2007 e 2009), "Lixo Extraordinário" acompanha o trabalho do artista plástico Vik Muniz num dos maiores aterros sanitários do mundo: "o Jardim Gramacho", na periferia do Rio de Janeiro. Lá, ele fotografa um grupo de "catadores" de materiais recicláveis. No entanto, o trabalho com esses personagens revela a dignidade e o desespero que enfrentam quando sugeridos a reimaginar as suas vidas fora daquele ambiente. A equipe tem acesso a todo o processo e, no final, revela o poder transformador da arte e da alquimia do espírito humano. Vale a pena ver, legendado.
PUBLICADO digitalblueradio às 15:08 | LINK DO POST
Que mundo é este onde vivemos?
Para onde caminha a humanidade?
Enquanto uns enchem os bolsos outros fazem de tudo para sobreviver! Este documentário é o retrato de uma sociedade 
cada vez mais desumanizada. Filmado ao longo de dois anos (entre 2007 e 2009), "Lixo Extraordinário" acompanha o trabalho do artista plástico Vik Muniz num dos maiores aterros sanitários do mundo: "o Jardim Gramacho", na periferia do Rio de Janeiro. Lá, ele fotografa um grupo de "catadores" de materiais recicláveis. No entanto, o trabalho com esses personagens revela a dignidade e o desespero que enfrentam quando sugeridos a reimaginar as suas vidas fora daquele ambiente. A equipe tem acesso a todo o processo e, no final, revela o poder transformador da arte e da alquimia do espírito humano. Vale a pena ver, legendado.
PUBLICADO digitalblueradio às 15:08 | LINK DO POST
Que mundo é este onde vivemos?
Para onde caminha a humanidade?
Enquanto uns enchem os bolsos outros fazem de tudo para sobreviver! Este documentário é o retrato de uma sociedade 
cada vez mais desumanizada. Filmado ao longo de dois anos (entre 2007 e 2009), "Lixo Extraordinário" acompanha o trabalho do artista plástico Vik Muniz num dos maiores aterros sanitários do mundo: "o Jardim Gramacho", na periferia do Rio de Janeiro. Lá, ele fotografa um grupo de "catadores" de materiais recicláveis. No entanto, o trabalho com esses personagens revela a dignidade e o desespero que enfrentam quando sugeridos a reimaginar as suas vidas fora daquele ambiente. A equipe tem acesso a todo o processo e, no final, revela o poder transformador da arte e da alquimia do espírito humano. Vale a pena ver, legendado.
PUBLICADO digitalblueradio às 15:08 | LINK DO POST

VAMOS VIAJAR NO TEMPO
 1966
 Madalena Iglésias vence o "Festival" em Portugal, mas o Concurso da Eurovisão é ganho por Udo Jurgens. No ano em que a Ponte 25 de Abril, então baptizada "Ponte Salazar" era inaugurada, Madalena Iglésias sagrava-se vencedora do Festival da Canção da RTP. Aquela que por várias vezes foi eleita como a "Rainha da Rádio"  e que dividia a fama com Simone de Oliveira tinha, agora, a sua oportunidade de representar Portugal na Eurovisão. "Ele e Ela" a música venceu em Portugal com 81 pontos, mais 29 que a segunda classificada, mas na Europa não foi além do 13º lugar. Contudo, "Ele e Ela" foi um salto para a fama de Madalena Iglésias, que lhe proporcionou propostas de contratos para a Holanda, Cannes e diversas estações de televisão. 
Classificação 
01 –  “Ele e ela” Madalena Iglésias
02 –  “Eu nunca direi adeus” Sérgio Borges
03 –  “Rebeldia” Madalena Iglésias
04 –  “Outono” João Maria Tudela
05 –  “Encontro para amanhã” António Calvário
06 –  “Caminhos perdidos” Madalena Iglésias
07 –  “Ai, gracinha” João Maria Tudela
08 –  “Nada e ninguém” Tony de Matos
                            Sérgio Borges fica em 2º lugar 


 Lá fora ganha a Austria “Merci chérie” Udo Jürgens

PUBLICADO digitalblueradio às 12:46 | LINK DO POST
tags:

VAMOS VIAJAR NO TEMPO
 1966
 Madalena Iglésias vence o "Festival" em Portugal, mas o Concurso da Eurovisão é ganho por Udo Jurgens. No ano em que a Ponte 25 de Abril, então baptizada "Ponte Salazar" era inaugurada, Madalena Iglésias sagrava-se vencedora do Festival da Canção da RTP. Aquela que por várias vezes foi eleita como a "Rainha da Rádio"  e que dividia a fama com Simone de Oliveira tinha, agora, a sua oportunidade de representar Portugal na Eurovisão. "Ele e Ela" a música venceu em Portugal com 81 pontos, mais 29 que a segunda classificada, mas na Europa não foi além do 13º lugar. Contudo, "Ele e Ela" foi um salto para a fama de Madalena Iglésias, que lhe proporcionou propostas de contratos para a Holanda, Cannes e diversas estações de televisão. 
Classificação 
01 –  “Ele e ela” Madalena Iglésias
02 –  “Eu nunca direi adeus” Sérgio Borges
03 –  “Rebeldia” Madalena Iglésias
04 –  “Outono” João Maria Tudela
05 –  “Encontro para amanhã” António Calvário
06 –  “Caminhos perdidos” Madalena Iglésias
07 –  “Ai, gracinha” João Maria Tudela
08 –  “Nada e ninguém” Tony de Matos
                            Sérgio Borges fica em 2º lugar 


 Lá fora ganha a Austria “Merci chérie” Udo Jürgens

PUBLICADO digitalblueradio às 12:46 | LINK DO POST
tags:

VAMOS VIAJAR NO TEMPO
 1966
 Madalena Iglésias vence o "Festival" em Portugal, mas o Concurso da Eurovisão é ganho por Udo Jurgens. No ano em que a Ponte 25 de Abril, então baptizada "Ponte Salazar" era inaugurada, Madalena Iglésias sagrava-se vencedora do Festival da Canção da RTP. Aquela que por várias vezes foi eleita como a "Rainha da Rádio"  e que dividia a fama com Simone de Oliveira tinha, agora, a sua oportunidade de representar Portugal na Eurovisão. "Ele e Ela" a música venceu em Portugal com 81 pontos, mais 29 que a segunda classificada, mas na Europa não foi além do 13º lugar. Contudo, "Ele e Ela" foi um salto para a fama de Madalena Iglésias, que lhe proporcionou propostas de contratos para a Holanda, Cannes e diversas estações de televisão. 
Classificação 
01 –  “Ele e ela” Madalena Iglésias
02 –  “Eu nunca direi adeus” Sérgio Borges
03 –  “Rebeldia” Madalena Iglésias
04 –  “Outono” João Maria Tudela
05 –  “Encontro para amanhã” António Calvário
06 –  “Caminhos perdidos” Madalena Iglésias
07 –  “Ai, gracinha” João Maria Tudela
08 –  “Nada e ninguém” Tony de Matos
                            Sérgio Borges fica em 2º lugar 


 Lá fora ganha a Austria “Merci chérie” Udo Jürgens

PUBLICADO digitalblueradio às 12:46 | LINK DO POST
tags:
MUSICA QUE O TEMPO NÃO APAGA
Mink DeVille - Spanish Stroll (1977)
The Adventures - Broken Land (1988)
Neste caminho em busca de recordações
Folhas secas cobrem a estrada que percorro
Caminho para trás no tempo,...
E a lembrança desse encontro, faz-me reviver cada momento.
OMD - Pandora's Box (1991)
Electric Light Orchestra - Midnight Blue (1979)
Robert Palmer - Addicted To Love
Robert Palmer - Johnny and Mary
RECORDAR É VIVER

PUBLICADO digitalblueradio às 11:01 | LINK DO POST
tags:
MUSICA QUE O TEMPO NÃO APAGA
Mink DeVille - Spanish Stroll (1977)
The Adventures - Broken Land (1988)
Neste caminho em busca de recordações
Folhas secas cobrem a estrada que percorro
Caminho para trás no tempo,...
E a lembrança desse encontro, faz-me reviver cada momento.
OMD - Pandora's Box (1991)
Electric Light Orchestra - Midnight Blue (1979)
Robert Palmer - Addicted To Love
Robert Palmer - Johnny and Mary
RECORDAR É VIVER

PUBLICADO digitalblueradio às 11:01 | LINK DO POST
tags:
MUSICA QUE O TEMPO NÃO APAGA
Mink DeVille - Spanish Stroll (1977)
The Adventures - Broken Land (1988)
Neste caminho em busca de recordações
Folhas secas cobrem a estrada que percorro
Caminho para trás no tempo,...
E a lembrança desse encontro, faz-me reviver cada momento.
OMD - Pandora's Box (1991)
Electric Light Orchestra - Midnight Blue (1979)
Robert Palmer - Addicted To Love
Robert Palmer - Johnny and Mary
RECORDAR É VIVER

PUBLICADO digitalblueradio às 11:01 | LINK DO POST
tags:
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
Perfeito. Me sinto da mesma forma. Parece que desc...
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
Que feio!Foi no meu blog, pegou meu texto, modific...
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
subscrever feeds
SAPO Blogs