O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
AGUA VIVA - POETAS ANDALUCES
PUBLICADO digitalblueradio às 19:21 | LINK DO POST
tags:
AGUA VIVA - POETAS ANDALUCES
PUBLICADO digitalblueradio às 19:21 | LINK DO POST
tags:
AGUA VIVA - POETAS ANDALUCES
PUBLICADO digitalblueradio às 19:21 | LINK DO POST
tags:
PUBLICADO digitalblueradio às 18:38 | LINK DO POST
PUBLICADO digitalblueradio às 18:38 | LINK DO POST
PUBLICADO digitalblueradio às 18:38 | LINK DO POST

 Alfacinha de gema, Carlos Ramos tornou-se num dos fadistas preferidos do público português, graças à sua voz quente e à sua postura modesta e discreta.
Contudo, poucos se recordam que, apesar da sua apetência pelo fado vir de criança, só tardiamente Carlos Ramos o abraçou como carreira a tempo inteiro.
De facto, Ramos gostava de ficar a ouvir o fado nas tascas de Alcântara, bairro onde nasceu em 1907, e foi como guitarrista acompanhante que iniciou carreira, aprendendo a tocar guitarra portuguesa na adolescência, nos intervalos dos estudos liceais. 
Estudou para médico, mas a morte do pai, obrigou-o a trabalhar para sustentar a família, dedicando-se à radio-telegrafia, ofício que aprendera no serviço militar e do qual faria carreira profissional. 
Continuava, contudo, a tocar e cantar nas horas vagas, primeiro apenas como acompanhante depois também como fadista em nome próprio, acompanhando-se a si próprio à guitarra, acabando por se profissionalizar como cantor em 1944.
 Estreou-se então no Café Luso, no Bairro Alto, criando Senhora do Monte o seu primeiro grande êxito.
Ao longo da sua carreira, Carlos Ramos viria a especializar-se no fado-canção, género inicialmente pensado para os palcos de revista, e no qual conseguiria alguns dos seus maiores êxitos: Não Venhas Tarde e Canto o Fado. 
Frequentador regular das casas típicas de Lisboa durante as décadas de quarenta e cinquenta, fez também uma breve carreira internacional, participou em revistas e filmes e tornar-se-ia em 1952 artista exclusivo da casa de fado Tipóia, ao lado de Adelina Ramos, de onde sairia para, em 1959, abrir a sua própria casa, A Toca, experiência cujo sucesso não correspondeu às expectativas.

 Uma trombose ocorrida em meados da década de sessenta viria a terminar abruptamente a sua carreira artística. 
Ramos morreria alguns anos mais tarde, em 1969.


PUBLICADO digitalblueradio às 17:42 | LINK DO POST

 Alfacinha de gema, Carlos Ramos tornou-se num dos fadistas preferidos do público português, graças à sua voz quente e à sua postura modesta e discreta.
Contudo, poucos se recordam que, apesar da sua apetência pelo fado vir de criança, só tardiamente Carlos Ramos o abraçou como carreira a tempo inteiro.
De facto, Ramos gostava de ficar a ouvir o fado nas tascas de Alcântara, bairro onde nasceu em 1907, e foi como guitarrista acompanhante que iniciou carreira, aprendendo a tocar guitarra portuguesa na adolescência, nos intervalos dos estudos liceais. 
Estudou para médico, mas a morte do pai, obrigou-o a trabalhar para sustentar a família, dedicando-se à radio-telegrafia, ofício que aprendera no serviço militar e do qual faria carreira profissional. 
Continuava, contudo, a tocar e cantar nas horas vagas, primeiro apenas como acompanhante depois também como fadista em nome próprio, acompanhando-se a si próprio à guitarra, acabando por se profissionalizar como cantor em 1944.
 Estreou-se então no Café Luso, no Bairro Alto, criando Senhora do Monte o seu primeiro grande êxito.
Ao longo da sua carreira, Carlos Ramos viria a especializar-se no fado-canção, género inicialmente pensado para os palcos de revista, e no qual conseguiria alguns dos seus maiores êxitos: Não Venhas Tarde e Canto o Fado. 
Frequentador regular das casas típicas de Lisboa durante as décadas de quarenta e cinquenta, fez também uma breve carreira internacional, participou em revistas e filmes e tornar-se-ia em 1952 artista exclusivo da casa de fado Tipóia, ao lado de Adelina Ramos, de onde sairia para, em 1959, abrir a sua própria casa, A Toca, experiência cujo sucesso não correspondeu às expectativas.

 Uma trombose ocorrida em meados da década de sessenta viria a terminar abruptamente a sua carreira artística. 
Ramos morreria alguns anos mais tarde, em 1969.


PUBLICADO digitalblueradio às 17:42 | LINK DO POST

 Alfacinha de gema, Carlos Ramos tornou-se num dos fadistas preferidos do público português, graças à sua voz quente e à sua postura modesta e discreta.
Contudo, poucos se recordam que, apesar da sua apetência pelo fado vir de criança, só tardiamente Carlos Ramos o abraçou como carreira a tempo inteiro.
De facto, Ramos gostava de ficar a ouvir o fado nas tascas de Alcântara, bairro onde nasceu em 1907, e foi como guitarrista acompanhante que iniciou carreira, aprendendo a tocar guitarra portuguesa na adolescência, nos intervalos dos estudos liceais. 
Estudou para médico, mas a morte do pai, obrigou-o a trabalhar para sustentar a família, dedicando-se à radio-telegrafia, ofício que aprendera no serviço militar e do qual faria carreira profissional. 
Continuava, contudo, a tocar e cantar nas horas vagas, primeiro apenas como acompanhante depois também como fadista em nome próprio, acompanhando-se a si próprio à guitarra, acabando por se profissionalizar como cantor em 1944.
 Estreou-se então no Café Luso, no Bairro Alto, criando Senhora do Monte o seu primeiro grande êxito.
Ao longo da sua carreira, Carlos Ramos viria a especializar-se no fado-canção, género inicialmente pensado para os palcos de revista, e no qual conseguiria alguns dos seus maiores êxitos: Não Venhas Tarde e Canto o Fado. 
Frequentador regular das casas típicas de Lisboa durante as décadas de quarenta e cinquenta, fez também uma breve carreira internacional, participou em revistas e filmes e tornar-se-ia em 1952 artista exclusivo da casa de fado Tipóia, ao lado de Adelina Ramos, de onde sairia para, em 1959, abrir a sua própria casa, A Toca, experiência cujo sucesso não correspondeu às expectativas.

 Uma trombose ocorrida em meados da década de sessenta viria a terminar abruptamente a sua carreira artística. 
Ramos morreria alguns anos mais tarde, em 1969.


PUBLICADO digitalblueradio às 17:42 | LINK DO POST
tags:


Anoitece na praia deserta
cai em meu peito a escuridão
uma dor que em meu peito aperta
e me faz ficar parado em silêncio na imensidão
Mais uma vez, me despeço desse amor
que um dia eu inventei
tento me libertar da dor, pois sei que me enganei
O mar parece entender 
a dor de me ter despedido, dor que me faz sofrer
e neste mundo, andar perdido
O sonho é aquela linha lá ao fundo
traçada com picéis de realidade
que separa o céu do mar profundo, tentando encontar a verdade
e é lá, que deixo a minha alma esquecida
num pôr do sol imaginado
que pintou na tela de uma vida
a história de um amor inacabado! 

  

PUBLICADO digitalblueradio às 13:46 | LINK DO POST
tags:


Anoitece na praia deserta
cai em meu peito a escuridão
uma dor que em meu peito aperta
e me faz ficar parado em silêncio na imensidão
Mais uma vez, me despeço desse amor
que um dia eu inventei
tento me libertar da dor, pois sei que me enganei
O mar parece entender 
a dor de me ter despedido, dor que me faz sofrer
e neste mundo, andar perdido
O sonho é aquela linha lá ao fundo
traçada com picéis de realidade
que separa o céu do mar profundo, tentando encontar a verdade
e é lá, que deixo a minha alma esquecida
num pôr do sol imaginado
que pintou na tela de uma vida
a história de um amor inacabado! 

  

PUBLICADO digitalblueradio às 13:46 | LINK DO POST
tags:


Anoitece na praia deserta
cai em meu peito a escuridão
uma dor que em meu peito aperta
e me faz ficar parado em silêncio na imensidão
Mais uma vez, me despeço desse amor
que um dia eu inventei
tento me libertar da dor, pois sei que me enganei
O mar parece entender 
a dor de me ter despedido, dor que me faz sofrer
e neste mundo, andar perdido
O sonho é aquela linha lá ao fundo
traçada com picéis de realidade
que separa o céu do mar profundo, tentando encontar a verdade
e é lá, que deixo a minha alma esquecida
num pôr do sol imaginado
que pintou na tela de uma vida
a história de um amor inacabado! 

  

PUBLICADO digitalblueradio às 13:46 | LINK DO POST
tags:
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
31994042009
Perfeito. Me sinto da mesma forma. Parece que desc...
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
subscrever feeds
SAPO Blogs