O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
O gato e a raposa andavam a correr o mundo. Eram muito amigos.
- Amigo gato, afinal dizes que és inteligente mas ainda não vi os teus truques para fugir dos cães que andam sempre atrás de nós.

- Sei subir rapidamente ás árvores, é o que me basta, disse o gato. Vivo muito bem assim. Os cães aqui não me apanham.
A raposa deu um sorriso matreiro:
- Pois, só sabes isso? Pois, eu sei 99 truques diferentes! 

Conheço mil manhas, cada uma melhor que a outra. 
Finjo-me de morta, escondo-me  nas folhas secas, nas moitas, corro em zigue-zague, disfarço as minhas pegadas, escondo-me atrás de árvores....
Ela continuaria enumerando todos os seus truques senão ouvisse uma matilha de cães que se aproximava. 

O gato, mais do que rápido, subiu á árvore mais próxima.


A raposa, perseguida de perto, começou a por em prática todos os seus truques mirabolantes... Mas, foi tudo em vão. Os cães acabaram por apanhá-la.
E, lá em cima da árvore, bem seguro, o gato pensou:
"Pobre comadre raposa. É sempre preferível saber bem uma só coisa, a saber mal 99 coisas diversas."

 Moral: Desconfie das estratégias complicadas. A melhor solução para um problema pode ser a mais simples.
PUBLICADO digitalblueradio às 13:06 | LINK DO POST
tags:
O gato e a raposa andavam a correr o mundo. Eram muito amigos.
- Amigo gato, afinal dizes que és inteligente mas ainda não vi os teus truques para fugir dos cães que andam sempre atrás de nós.

- Sei subir rapidamente ás árvores, é o que me basta, disse o gato. Vivo muito bem assim. Os cães aqui não me apanham.
A raposa deu um sorriso matreiro:
- Pois, só sabes isso? Pois, eu sei 99 truques diferentes! 

Conheço mil manhas, cada uma melhor que a outra. 
Finjo-me de morta, escondo-me  nas folhas secas, nas moitas, corro em zigue-zague, disfarço as minhas pegadas, escondo-me atrás de árvores....
Ela continuaria enumerando todos os seus truques senão ouvisse uma matilha de cães que se aproximava. 

O gato, mais do que rápido, subiu á árvore mais próxima.


A raposa, perseguida de perto, começou a por em prática todos os seus truques mirabolantes... Mas, foi tudo em vão. Os cães acabaram por apanhá-la.
E, lá em cima da árvore, bem seguro, o gato pensou:
"Pobre comadre raposa. É sempre preferível saber bem uma só coisa, a saber mal 99 coisas diversas."

 Moral: Desconfie das estratégias complicadas. A melhor solução para um problema pode ser a mais simples.
PUBLICADO digitalblueradio às 13:06 | LINK DO POST
tags:
O gato e a raposa andavam a correr o mundo. Eram muito amigos.
- Amigo gato, afinal dizes que és inteligente mas ainda não vi os teus truques para fugir dos cães que andam sempre atrás de nós.

- Sei subir rapidamente ás árvores, é o que me basta, disse o gato. Vivo muito bem assim. Os cães aqui não me apanham.
A raposa deu um sorriso matreiro:
- Pois, só sabes isso? Pois, eu sei 99 truques diferentes! 

Conheço mil manhas, cada uma melhor que a outra. 
Finjo-me de morta, escondo-me  nas folhas secas, nas moitas, corro em zigue-zague, disfarço as minhas pegadas, escondo-me atrás de árvores....
Ela continuaria enumerando todos os seus truques senão ouvisse uma matilha de cães que se aproximava. 

O gato, mais do que rápido, subiu á árvore mais próxima.


A raposa, perseguida de perto, começou a por em prática todos os seus truques mirabolantes... Mas, foi tudo em vão. Os cães acabaram por apanhá-la.
E, lá em cima da árvore, bem seguro, o gato pensou:
"Pobre comadre raposa. É sempre preferível saber bem uma só coisa, a saber mal 99 coisas diversas."

 Moral: Desconfie das estratégias complicadas. A melhor solução para um problema pode ser a mais simples.
PUBLICADO digitalblueradio às 13:06 | LINK DO POST
tags:
Joaquim Agostinho nasceu em Brejenjas a 7 de Abril de 1943e morreu em Lisboa a 10 de Maio de 1984. Morreu depois de dez dias em coma em consequência de uma queda sofrida numa etapa da X Volta ao Algarve.

Joaquim Agostinho começou a praticar ciclismo no Sporting Clube de Portugal, equipa que o descobriu ao treinar perto de Casalinhos de Alfaiata em Torres Vedras, começando a praticar já com 25 anos de idade, mas ainda conseguiu evoluir de tal forma que é usualmente referido como o melhor ciclista português de todos os tempos. A sua carreira internacional começou em 1968, depois de ter sido observado pelo director desportivo francês Jean de Gribaldy, obtendo resultados de destaque na Volta a Espanha, vários dias de amarelo e um segundo lugar final, distando apenas 11 segundos da vitória, e na Volta a França onde terminou duas vezes no pódio e venceu a mítica etapa do Alpe d'Huez.
A 30 de Abril de 1984, quando liderava a X Volta ao Algarve, na 5ª. etapa. A 300m da meta, um cão atravessou-se no caminho, o que o fez cair, provocando-lhe uma fractura craniana - algum tempo depois afirmou-se que as consequências deste acidente poderiam ser menores se Joaquim levasse capacete. Levantou-se, voltou a montar na bicicleta e terminou a etapa com a ajuda de dois colegas. As dores persistentes na cabeça levaram-no a ingressar no hospital de Loulé, onde o seu estado de saúde se agravou drasticamente. Foi evacuado de emergência, de ambulância, para o hospital da CUF, em Lisboa. Após 10 intervenções cirúrgicas e de permanecer 10 dias em coma, faleceu a 10 de Maio, poucos minutos antes das 11:00 horas. Foi enterrado na sua terra natal.
Descoberto por Jean de Gribaldy, Joaquim Agostinho competiu como profissional entre 1968 e 1984, passando pelas seguintes equipas: Sporting, Frimatic, Hoover, Magniflex, Bic, Teka, Flandria, Puch-Sem-Campagnolo, Sem-France Loire, Sporting Lisboa-Raposeira.

Volta a Portugal
1968 (2º Lugar),  
1969 (7º Lugar) (Vencedor de 1 Etapa)
1970 (1º Lugar) (Vencedor de 4 Etapas)
1971 (1º Lugar) (Vencedor de 8 Etapas)
1972 (1º Lugar) (Vencedor de 5 Etapas)

Volta a França
1969 (8º Lugar) (Vencedor de 2 Etapas)
1970 (14º Lugar)
1971 (5º Lugar)
1972 (8º Lugar)
1973 (8º Lugar) (Vencedor de 1 Etapa)
1974 (6º Lugar)
1975 (15º Lugar)
1977 (13º Lugar) (Vencedor de 1 Etapa)
1978 (3º Lugar)
1979 (3º Lugar) (Vencedor de 4 Etapas)
1980 (5º Lugar)
1983 (11º Lugar)

Volta a Espanha
1973 (6º Lugar)
1974 (2º Lugar) (Vencedor de 2 Etapas)
1976 (7º Lugar) (Vencedor de 1 Etapa)
1977 (15º Lugar)

Campeonato do Mundo de Estrada
1968 (16º Lugar)
1969 (15º Lugar)
1972 (42º Lugar)
1973 (20º Lugar)

Campeonato Nacional Estrada
6 Campeonatos Nacionais de Estrada (1968 - 1973)
1 Campeonato Nacional de Perseguição Individual (1971)
2 Campeonatos Nacionais Contra-relógio por Equipas (1968 - 1969)
Joaquim Agostinho um dos melhores ciclistas de todos os tempos, morreu a 10 de Maio de 1984. 
Reportagem com Joaquim Agostinho por scpmemoria
PUBLICADO digitalblueradio às 11:21 | LINK DO POST
tags:
Joaquim Agostinho nasceu em Brejenjas a 7 de Abril de 1943e morreu em Lisboa a 10 de Maio de 1984. Morreu depois de dez dias em coma em consequência de uma queda sofrida numa etapa da X Volta ao Algarve.

Joaquim Agostinho começou a praticar ciclismo no Sporting Clube de Portugal, equipa que o descobriu ao treinar perto de Casalinhos de Alfaiata em Torres Vedras, começando a praticar já com 25 anos de idade, mas ainda conseguiu evoluir de tal forma que é usualmente referido como o melhor ciclista português de todos os tempos. A sua carreira internacional começou em 1968, depois de ter sido observado pelo director desportivo francês Jean de Gribaldy, obtendo resultados de destaque na Volta a Espanha, vários dias de amarelo e um segundo lugar final, distando apenas 11 segundos da vitória, e na Volta a França onde terminou duas vezes no pódio e venceu a mítica etapa do Alpe d'Huez.
A 30 de Abril de 1984, quando liderava a X Volta ao Algarve, na 5ª. etapa. A 300m da meta, um cão atravessou-se no caminho, o que o fez cair, provocando-lhe uma fractura craniana - algum tempo depois afirmou-se que as consequências deste acidente poderiam ser menores se Joaquim levasse capacete. Levantou-se, voltou a montar na bicicleta e terminou a etapa com a ajuda de dois colegas. As dores persistentes na cabeça levaram-no a ingressar no hospital de Loulé, onde o seu estado de saúde se agravou drasticamente. Foi evacuado de emergência, de ambulância, para o hospital da CUF, em Lisboa. Após 10 intervenções cirúrgicas e de permanecer 10 dias em coma, faleceu a 10 de Maio, poucos minutos antes das 11:00 horas. Foi enterrado na sua terra natal.
Descoberto por Jean de Gribaldy, Joaquim Agostinho competiu como profissional entre 1968 e 1984, passando pelas seguintes equipas: Sporting, Frimatic, Hoover, Magniflex, Bic, Teka, Flandria, Puch-Sem-Campagnolo, Sem-France Loire, Sporting Lisboa-Raposeira.

Volta a Portugal
1968 (2º Lugar),  
1969 (7º Lugar) (Vencedor de 1 Etapa)
1970 (1º Lugar) (Vencedor de 4 Etapas)
1971 (1º Lugar) (Vencedor de 8 Etapas)
1972 (1º Lugar) (Vencedor de 5 Etapas)

Volta a França
1969 (8º Lugar) (Vencedor de 2 Etapas)
1970 (14º Lugar)
1971 (5º Lugar)
1972 (8º Lugar)
1973 (8º Lugar) (Vencedor de 1 Etapa)
1974 (6º Lugar)
1975 (15º Lugar)
1977 (13º Lugar) (Vencedor de 1 Etapa)
1978 (3º Lugar)
1979 (3º Lugar) (Vencedor de 4 Etapas)
1980 (5º Lugar)
1983 (11º Lugar)

Volta a Espanha
1973 (6º Lugar)
1974 (2º Lugar) (Vencedor de 2 Etapas)
1976 (7º Lugar) (Vencedor de 1 Etapa)
1977 (15º Lugar)

Campeonato do Mundo de Estrada
1968 (16º Lugar)
1969 (15º Lugar)
1972 (42º Lugar)
1973 (20º Lugar)

Campeonato Nacional Estrada
6 Campeonatos Nacionais de Estrada (1968 - 1973)
1 Campeonato Nacional de Perseguição Individual (1971)
2 Campeonatos Nacionais Contra-relógio por Equipas (1968 - 1969)
Joaquim Agostinho um dos melhores ciclistas de todos os tempos, morreu a 10 de Maio de 1984. 
Reportagem com Joaquim Agostinho por scpmemoria
PUBLICADO digitalblueradio às 11:21 | LINK DO POST
tags:
Joaquim Agostinho nasceu em Brejenjas a 7 de Abril de 1943e morreu em Lisboa a 10 de Maio de 1984. Morreu depois de dez dias em coma em consequência de uma queda sofrida numa etapa da X Volta ao Algarve.

Joaquim Agostinho começou a praticar ciclismo no Sporting Clube de Portugal, equipa que o descobriu ao treinar perto de Casalinhos de Alfaiata em Torres Vedras, começando a praticar já com 25 anos de idade, mas ainda conseguiu evoluir de tal forma que é usualmente referido como o melhor ciclista português de todos os tempos. A sua carreira internacional começou em 1968, depois de ter sido observado pelo director desportivo francês Jean de Gribaldy, obtendo resultados de destaque na Volta a Espanha, vários dias de amarelo e um segundo lugar final, distando apenas 11 segundos da vitória, e na Volta a França onde terminou duas vezes no pódio e venceu a mítica etapa do Alpe d'Huez.
A 30 de Abril de 1984, quando liderava a X Volta ao Algarve, na 5ª. etapa. A 300m da meta, um cão atravessou-se no caminho, o que o fez cair, provocando-lhe uma fractura craniana - algum tempo depois afirmou-se que as consequências deste acidente poderiam ser menores se Joaquim levasse capacete. Levantou-se, voltou a montar na bicicleta e terminou a etapa com a ajuda de dois colegas. As dores persistentes na cabeça levaram-no a ingressar no hospital de Loulé, onde o seu estado de saúde se agravou drasticamente. Foi evacuado de emergência, de ambulância, para o hospital da CUF, em Lisboa. Após 10 intervenções cirúrgicas e de permanecer 10 dias em coma, faleceu a 10 de Maio, poucos minutos antes das 11:00 horas. Foi enterrado na sua terra natal.
Descoberto por Jean de Gribaldy, Joaquim Agostinho competiu como profissional entre 1968 e 1984, passando pelas seguintes equipas: Sporting, Frimatic, Hoover, Magniflex, Bic, Teka, Flandria, Puch-Sem-Campagnolo, Sem-France Loire, Sporting Lisboa-Raposeira.

Volta a Portugal
1968 (2º Lugar),  
1969 (7º Lugar) (Vencedor de 1 Etapa)
1970 (1º Lugar) (Vencedor de 4 Etapas)
1971 (1º Lugar) (Vencedor de 8 Etapas)
1972 (1º Lugar) (Vencedor de 5 Etapas)

Volta a França
1969 (8º Lugar) (Vencedor de 2 Etapas)
1970 (14º Lugar)
1971 (5º Lugar)
1972 (8º Lugar)
1973 (8º Lugar) (Vencedor de 1 Etapa)
1974 (6º Lugar)
1975 (15º Lugar)
1977 (13º Lugar) (Vencedor de 1 Etapa)
1978 (3º Lugar)
1979 (3º Lugar) (Vencedor de 4 Etapas)
1980 (5º Lugar)
1983 (11º Lugar)

Volta a Espanha
1973 (6º Lugar)
1974 (2º Lugar) (Vencedor de 2 Etapas)
1976 (7º Lugar) (Vencedor de 1 Etapa)
1977 (15º Lugar)

Campeonato do Mundo de Estrada
1968 (16º Lugar)
1969 (15º Lugar)
1972 (42º Lugar)
1973 (20º Lugar)

Campeonato Nacional Estrada
6 Campeonatos Nacionais de Estrada (1968 - 1973)
1 Campeonato Nacional de Perseguição Individual (1971)
2 Campeonatos Nacionais Contra-relógio por Equipas (1968 - 1969)
Joaquim Agostinho um dos melhores ciclistas de todos os tempos, morreu a 10 de Maio de 1984. 
Reportagem com Joaquim Agostinho por scpmemoria
PUBLICADO digitalblueradio às 11:21 | LINK DO POST
tags:
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
31994042009
Perfeito. Me sinto da mesma forma. Parece que desc...
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
subscrever feeds
SAPO Blogs