O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
A violência está cada vez mais presente nos nossos dias, quer seja Doméstica, Escolar, Abusos a idosos e crianças, quer seja com guerras e conflitos, violência urbana, preconceitos e xenofobia que leva a actos extremos de violência, agressões, terrorismo e vandalismo, crime organizado, violência psicológica enfim. A televisão e o cinema têm aqui um papel importante, pois é muitas vezes através deles de que se alimentam os agressores.
Muitos dos filmes apresentam cenas de extrema e exagerada violência. A vida humana é por vezes tratada como algo banal. 
A televisão que naturalmente expõe nos telejornais o que se passa no mundo, e as telenovelas cada vez mais repleta de actos de violência. O desporto que deveria fomentar os bons ideiais de uma vida saudavel, alimenta muitas vezes o ódio, e origina conflitos entre claques, adeptos e muitas vezes jogadores e dirigentes. 
Mas a guerra, os conflitos e a violência existe á milhares de anos, está na génese do ser humano desde os tempos da pré-história. A Bíblia, o livro sagrado dos cristãos, apresenta também ele uma enorme variedade de eventos violentos, desde assassinatos fratricidas e estupros, até ás demonstrações da ira divina (dilúvio, pragas do Egipto). A história de Adão e Eva em si pode ser vista como uma história de violência: Deus propondo normas de obediencia e preceitos com base na sua autoridade(preceitos desobedecidos por Eva) decidiu puni-los na forma de expulsão do paraíso e conhecimento do mal. 
Os crimes, as quadrilhas, a delinquência, a guerra, o tráfico de drogas, armas e seres humanos, o terrorismo e o fanatismo, actos de violência do homem contra o homem.  
Hoje em dia é comum verificarmos actos de violência nas grandes cidades, vandalismo, roubo, agressões gratuitas, crimes que deixam transparecer uma certa insegurança ao cidadão, muitas vezes os focos de violência urbana são frequentemente desencadeados por rumores de abuso policial ou algum abuso de autoridade, as agressões e falta de respeito pelas forças de segurança e pelo comum cidadão cometidas geralmente por jovens que já perderam o controlo familiar, ou cujos pais se alheiam á sua vida.
 A liberação do controlo parental sobre a juventude implica uma falta de vigilância e punição e eles já se aperceberam que sendo menores nada lhes acontece, que as autoridades pouco ou nada podem fazer, que os professores não têm qualquer autoridade, e os pais ou não sabem ou não querem saber. Assim, nos dias de hoje, a violência nas escolas, nos bairros, na rua, nos confrontos entre gangs, contaminam toda uma sociedade que se alheia a esse facto. Muito se fala e pouco se faz. 
O desemprego alimenta-se da falência da escola, o insucesso escolar e falta de emprego ou vontade de trabalhar, e o gosto pelo ganho fácil, dá origem ao desenvolvimento de uma economia paralela, o tráfico de drogas, o roubo e a concorrência entre gangues ou organizações criminosas que favorecem a circulação de armas. A falta de vontade politica em ter mão de ferro para os prevaricadores levam a que estes se sintam seguros pela falta de punição exemplar. 
As cadeias hoje em dia mais parecem hotéis de 5 estrelas, os criminosos sendo menores regressam ao aconchego do lar com repreeensões ou meia duzia de dias de trabalhos comunitários, as policias veem-se impotentes para combater os criminosos por falta de meios e muitas vezes por falta de autoridade, pois hoje em dia todos falam em abuso policial, excesso de zelo. Todos argumentam com os direitos, os sagrados direitos do homem, que são hoje usados como tampão para a impunidade.
Nas escolas os actos de violência estão cada vez em maior crescendo, muitos estudos se fazem, pouca acção se realiza. A falta de assitência e acompanhamento familiar dos jovens pode muito bem ser a causa principal para este fenómeno. Os pais esqueceram-se da sua responsabilidade enquanto educadores, e responsabilizam os professores com aquela que deveria ser a sua principal função: Educar. Os jovens todos sabemos querem crescer depressa, querem mostrar autonomia, que são valentes e destemidos(principalmente em grupo e contra os mais fracos), e a falta de acompanhamento ou interesse por eles leva a que esta sua ambição de crescer depressa tenha contornos perigosos, pois assimilam os actos dos outros, principalmente os que á primeira vista dão estatuto.
Em muitos adolescentes cresce um sentimento de afastamento em relação à família e à escola, o que importa são os amigos o grupo com quem se dão fora e depois da escola. O consumo de tabaco, álcool e drogas, dão-lhes um estatuto de grandeza ou superioridade, daí a partirem para outros actos é um pequeno salto. 
É claro que as acções que praticam a nosso lado ao longo do nosso crescimento nos influência para a nossa vida, a falta de diálogo entre pais e filhos, e a falta de interesse muitas vezes dos familiares para com o jovem enquanto pessoa e em crescimento, a falta de tempo ou de vontade para estar presente talvez seja outro dos motivos para este total desinteresse dos jovens para com a vida, os costumes, a moral, a sociedade.
 E se crescemos com ela, muitas vezes transportamo-la o resto da vida. A violência doméstica é outro dos males desta sociedade, praticada dentro de casa ou no âmbito familiar, entre indivíduos unidos por parentesco civil (marido e mulher, sogra, padrasto) ou parentesco natural pai, mãe, filhos, irmãos etc. Inclui diversas práticas, como a violência e o abuso sexual contra crianças, maus-tratos contra idosos, e violência contra a mulher e contra o homem, além muitas vezes da violência sexual.
Muitas vezes escondida a violência psicológica é tão ou mais grave que a própria vilência fisica, porque envolve agressão verbal, ameaças, gestos e posturas agressivas. Este tipo de violência pode gerar mais violência ou em casos extremos a homicidio ou suicidio. Muitos dos casos de violência doméstica encontram-se associados ao consumo de álcool e drogas, o agressor quando sóbrio ou normal até é "amável", o que muitas vezes associado ao medo ou dificuldades económicas pode dificultar a decisão do parceiro em denunciá-lo.
Há quem afirme que em geral os homens que batem nas mulheres o fazem entre quatro paredes, para que não sejam vistos por parentes, amigos, familiares e colegas de trabalho. A cultura popular tanto propõe a proteção das mulheres (em mulher não se bate nem com uma flor) como estimula a agressão contra as mulheres (mulher gosta de apanhar) chegando a aceitar o homicídio em casos de adultério, e defesa da honra. A violência praticada contra o homem também existe, mas o homem tende a esconder por vergonha. 
Uma das piores coisas que podem acontecer a um país são: Ter um povo conformado e apático e ter políticos incompetentes.
É estranho vermos dia após dia, praticamente às mesmas coisas nos jornais e televisão e observar-mos que nada muda. Coisas simples, que seriam de fácil resolução, desde que fossem aplicados princípios como bom senso, vontade e em alguns casos mão de ferro, e coragem para adoptar certas medidas. Os políticos governam para os mídia e o povo tolera tudo com uma apatia e um conformismo que beiram a insanidade. As questões da segurança pública, educação, saúde, emprego, justiça e ética são tratadas muitas vezes no nosso país pelos políticos como coisas menores e sem importância e o povo aceita esta situação com extrema facilidade e cândida indiferença.

Todos os dias somos confrontados com violência, preenche todos os cabeçalhos dos jornais, abre telejornais e noticiários, e atemoriza aqueles que são vitimas, e todos os que se sentem ameaçados por esta conturbação. Jovens que crescem na rua, homens sem tecto e que dormem onde calha, adolescentes e adultos que partem para a violência, dirigentes politicos que ameaçam com a guerra, covardes extremistas que bombardeam e matam. É a violência pela violência. E é pena que não se tenha prevenido para agora ser necessário remediar.


Saiba quais os factores que levam certas pessoas a ter ataques de fúria, qual a reacção química que provoca o ódio e a violência, bem como o ambiente que rodeia o indivíduo. Um video a não perder.
PUBLICADO digitalblueradio às 23:04 | LINK DO POST
tags:
A violência está cada vez mais presente nos nossos dias, quer seja Doméstica, Escolar, Abusos a idosos e crianças, quer seja com guerras e conflitos, violência urbana, preconceitos e xenofobia que leva a actos extremos de violência, agressões, terrorismo e vandalismo, crime organizado, violência psicológica enfim. A televisão e o cinema têm aqui um papel importante, pois é muitas vezes através deles de que se alimentam os agressores.
Muitos dos filmes apresentam cenas de extrema e exagerada violência. A vida humana é por vezes tratada como algo banal. 
A televisão que naturalmente expõe nos telejornais o que se passa no mundo, e as telenovelas cada vez mais repleta de actos de violência. O desporto que deveria fomentar os bons ideiais de uma vida saudavel, alimenta muitas vezes o ódio, e origina conflitos entre claques, adeptos e muitas vezes jogadores e dirigentes. 
Mas a guerra, os conflitos e a violência existe á milhares de anos, está na génese do ser humano desde os tempos da pré-história. A Bíblia, o livro sagrado dos cristãos, apresenta também ele uma enorme variedade de eventos violentos, desde assassinatos fratricidas e estupros, até ás demonstrações da ira divina (dilúvio, pragas do Egipto). A história de Adão e Eva em si pode ser vista como uma história de violência: Deus propondo normas de obediencia e preceitos com base na sua autoridade(preceitos desobedecidos por Eva) decidiu puni-los na forma de expulsão do paraíso e conhecimento do mal. 
Os crimes, as quadrilhas, a delinquência, a guerra, o tráfico de drogas, armas e seres humanos, o terrorismo e o fanatismo, actos de violência do homem contra o homem.  
Hoje em dia é comum verificarmos actos de violência nas grandes cidades, vandalismo, roubo, agressões gratuitas, crimes que deixam transparecer uma certa insegurança ao cidadão, muitas vezes os focos de violência urbana são frequentemente desencadeados por rumores de abuso policial ou algum abuso de autoridade, as agressões e falta de respeito pelas forças de segurança e pelo comum cidadão cometidas geralmente por jovens que já perderam o controlo familiar, ou cujos pais se alheiam á sua vida.
 A liberação do controlo parental sobre a juventude implica uma falta de vigilância e punição e eles já se aperceberam que sendo menores nada lhes acontece, que as autoridades pouco ou nada podem fazer, que os professores não têm qualquer autoridade, e os pais ou não sabem ou não querem saber. Assim, nos dias de hoje, a violência nas escolas, nos bairros, na rua, nos confrontos entre gangs, contaminam toda uma sociedade que se alheia a esse facto. Muito se fala e pouco se faz. 
O desemprego alimenta-se da falência da escola, o insucesso escolar e falta de emprego ou vontade de trabalhar, e o gosto pelo ganho fácil, dá origem ao desenvolvimento de uma economia paralela, o tráfico de drogas, o roubo e a concorrência entre gangues ou organizações criminosas que favorecem a circulação de armas. A falta de vontade politica em ter mão de ferro para os prevaricadores levam a que estes se sintam seguros pela falta de punição exemplar. 
As cadeias hoje em dia mais parecem hotéis de 5 estrelas, os criminosos sendo menores regressam ao aconchego do lar com repreeensões ou meia duzia de dias de trabalhos comunitários, as policias veem-se impotentes para combater os criminosos por falta de meios e muitas vezes por falta de autoridade, pois hoje em dia todos falam em abuso policial, excesso de zelo. Todos argumentam com os direitos, os sagrados direitos do homem, que são hoje usados como tampão para a impunidade.
Nas escolas os actos de violência estão cada vez em maior crescendo, muitos estudos se fazem, pouca acção se realiza. A falta de assitência e acompanhamento familiar dos jovens pode muito bem ser a causa principal para este fenómeno. Os pais esqueceram-se da sua responsabilidade enquanto educadores, e responsabilizam os professores com aquela que deveria ser a sua principal função: Educar. Os jovens todos sabemos querem crescer depressa, querem mostrar autonomia, que são valentes e destemidos(principalmente em grupo e contra os mais fracos), e a falta de acompanhamento ou interesse por eles leva a que esta sua ambição de crescer depressa tenha contornos perigosos, pois assimilam os actos dos outros, principalmente os que á primeira vista dão estatuto.
Em muitos adolescentes cresce um sentimento de afastamento em relação à família e à escola, o que importa são os amigos o grupo com quem se dão fora e depois da escola. O consumo de tabaco, álcool e drogas, dão-lhes um estatuto de grandeza ou superioridade, daí a partirem para outros actos é um pequeno salto. 
É claro que as acções que praticam a nosso lado ao longo do nosso crescimento nos influência para a nossa vida, a falta de diálogo entre pais e filhos, e a falta de interesse muitas vezes dos familiares para com o jovem enquanto pessoa e em crescimento, a falta de tempo ou de vontade para estar presente talvez seja outro dos motivos para este total desinteresse dos jovens para com a vida, os costumes, a moral, a sociedade.
 E se crescemos com ela, muitas vezes transportamo-la o resto da vida. A violência doméstica é outro dos males desta sociedade, praticada dentro de casa ou no âmbito familiar, entre indivíduos unidos por parentesco civil (marido e mulher, sogra, padrasto) ou parentesco natural pai, mãe, filhos, irmãos etc. Inclui diversas práticas, como a violência e o abuso sexual contra crianças, maus-tratos contra idosos, e violência contra a mulher e contra o homem, além muitas vezes da violência sexual.
Muitas vezes escondida a violência psicológica é tão ou mais grave que a própria vilência fisica, porque envolve agressão verbal, ameaças, gestos e posturas agressivas. Este tipo de violência pode gerar mais violência ou em casos extremos a homicidio ou suicidio. Muitos dos casos de violência doméstica encontram-se associados ao consumo de álcool e drogas, o agressor quando sóbrio ou normal até é "amável", o que muitas vezes associado ao medo ou dificuldades económicas pode dificultar a decisão do parceiro em denunciá-lo.
Há quem afirme que em geral os homens que batem nas mulheres o fazem entre quatro paredes, para que não sejam vistos por parentes, amigos, familiares e colegas de trabalho. A cultura popular tanto propõe a proteção das mulheres (em mulher não se bate nem com uma flor) como estimula a agressão contra as mulheres (mulher gosta de apanhar) chegando a aceitar o homicídio em casos de adultério, e defesa da honra. A violência praticada contra o homem também existe, mas o homem tende a esconder por vergonha. 
Uma das piores coisas que podem acontecer a um país são: Ter um povo conformado e apático e ter políticos incompetentes.
É estranho vermos dia após dia, praticamente às mesmas coisas nos jornais e televisão e observar-mos que nada muda. Coisas simples, que seriam de fácil resolução, desde que fossem aplicados princípios como bom senso, vontade e em alguns casos mão de ferro, e coragem para adoptar certas medidas. Os políticos governam para os mídia e o povo tolera tudo com uma apatia e um conformismo que beiram a insanidade. As questões da segurança pública, educação, saúde, emprego, justiça e ética são tratadas muitas vezes no nosso país pelos políticos como coisas menores e sem importância e o povo aceita esta situação com extrema facilidade e cândida indiferença.

Todos os dias somos confrontados com violência, preenche todos os cabeçalhos dos jornais, abre telejornais e noticiários, e atemoriza aqueles que são vitimas, e todos os que se sentem ameaçados por esta conturbação. Jovens que crescem na rua, homens sem tecto e que dormem onde calha, adolescentes e adultos que partem para a violência, dirigentes politicos que ameaçam com a guerra, covardes extremistas que bombardeam e matam. É a violência pela violência. E é pena que não se tenha prevenido para agora ser necessário remediar.


Saiba quais os factores que levam certas pessoas a ter ataques de fúria, qual a reacção química que provoca o ódio e a violência, bem como o ambiente que rodeia o indivíduo. Um video a não perder.
PUBLICADO digitalblueradio às 23:04 | LINK DO POST
tags:
A violência está cada vez mais presente nos nossos dias, quer seja Doméstica, Escolar, Abusos a idosos e crianças, quer seja com guerras e conflitos, violência urbana, preconceitos e xenofobia que leva a actos extremos de violência, agressões, terrorismo e vandalismo, crime organizado, violência psicológica enfim. A televisão e o cinema têm aqui um papel importante, pois é muitas vezes através deles de que se alimentam os agressores.
Muitos dos filmes apresentam cenas de extrema e exagerada violência. A vida humana é por vezes tratada como algo banal. 
A televisão que naturalmente expõe nos telejornais o que se passa no mundo, e as telenovelas cada vez mais repleta de actos de violência. O desporto que deveria fomentar os bons ideiais de uma vida saudavel, alimenta muitas vezes o ódio, e origina conflitos entre claques, adeptos e muitas vezes jogadores e dirigentes. 
Mas a guerra, os conflitos e a violência existe á milhares de anos, está na génese do ser humano desde os tempos da pré-história. A Bíblia, o livro sagrado dos cristãos, apresenta também ele uma enorme variedade de eventos violentos, desde assassinatos fratricidas e estupros, até ás demonstrações da ira divina (dilúvio, pragas do Egipto). A história de Adão e Eva em si pode ser vista como uma história de violência: Deus propondo normas de obediencia e preceitos com base na sua autoridade(preceitos desobedecidos por Eva) decidiu puni-los na forma de expulsão do paraíso e conhecimento do mal. 
Os crimes, as quadrilhas, a delinquência, a guerra, o tráfico de drogas, armas e seres humanos, o terrorismo e o fanatismo, actos de violência do homem contra o homem.  
Hoje em dia é comum verificarmos actos de violência nas grandes cidades, vandalismo, roubo, agressões gratuitas, crimes que deixam transparecer uma certa insegurança ao cidadão, muitas vezes os focos de violência urbana são frequentemente desencadeados por rumores de abuso policial ou algum abuso de autoridade, as agressões e falta de respeito pelas forças de segurança e pelo comum cidadão cometidas geralmente por jovens que já perderam o controlo familiar, ou cujos pais se alheiam á sua vida.
 A liberação do controlo parental sobre a juventude implica uma falta de vigilância e punição e eles já se aperceberam que sendo menores nada lhes acontece, que as autoridades pouco ou nada podem fazer, que os professores não têm qualquer autoridade, e os pais ou não sabem ou não querem saber. Assim, nos dias de hoje, a violência nas escolas, nos bairros, na rua, nos confrontos entre gangs, contaminam toda uma sociedade que se alheia a esse facto. Muito se fala e pouco se faz. 
O desemprego alimenta-se da falência da escola, o insucesso escolar e falta de emprego ou vontade de trabalhar, e o gosto pelo ganho fácil, dá origem ao desenvolvimento de uma economia paralela, o tráfico de drogas, o roubo e a concorrência entre gangues ou organizações criminosas que favorecem a circulação de armas. A falta de vontade politica em ter mão de ferro para os prevaricadores levam a que estes se sintam seguros pela falta de punição exemplar. 
As cadeias hoje em dia mais parecem hotéis de 5 estrelas, os criminosos sendo menores regressam ao aconchego do lar com repreeensões ou meia duzia de dias de trabalhos comunitários, as policias veem-se impotentes para combater os criminosos por falta de meios e muitas vezes por falta de autoridade, pois hoje em dia todos falam em abuso policial, excesso de zelo. Todos argumentam com os direitos, os sagrados direitos do homem, que são hoje usados como tampão para a impunidade.
Nas escolas os actos de violência estão cada vez em maior crescendo, muitos estudos se fazem, pouca acção se realiza. A falta de assitência e acompanhamento familiar dos jovens pode muito bem ser a causa principal para este fenómeno. Os pais esqueceram-se da sua responsabilidade enquanto educadores, e responsabilizam os professores com aquela que deveria ser a sua principal função: Educar. Os jovens todos sabemos querem crescer depressa, querem mostrar autonomia, que são valentes e destemidos(principalmente em grupo e contra os mais fracos), e a falta de acompanhamento ou interesse por eles leva a que esta sua ambição de crescer depressa tenha contornos perigosos, pois assimilam os actos dos outros, principalmente os que á primeira vista dão estatuto.
Em muitos adolescentes cresce um sentimento de afastamento em relação à família e à escola, o que importa são os amigos o grupo com quem se dão fora e depois da escola. O consumo de tabaco, álcool e drogas, dão-lhes um estatuto de grandeza ou superioridade, daí a partirem para outros actos é um pequeno salto. 
É claro que as acções que praticam a nosso lado ao longo do nosso crescimento nos influência para a nossa vida, a falta de diálogo entre pais e filhos, e a falta de interesse muitas vezes dos familiares para com o jovem enquanto pessoa e em crescimento, a falta de tempo ou de vontade para estar presente talvez seja outro dos motivos para este total desinteresse dos jovens para com a vida, os costumes, a moral, a sociedade.
 E se crescemos com ela, muitas vezes transportamo-la o resto da vida. A violência doméstica é outro dos males desta sociedade, praticada dentro de casa ou no âmbito familiar, entre indivíduos unidos por parentesco civil (marido e mulher, sogra, padrasto) ou parentesco natural pai, mãe, filhos, irmãos etc. Inclui diversas práticas, como a violência e o abuso sexual contra crianças, maus-tratos contra idosos, e violência contra a mulher e contra o homem, além muitas vezes da violência sexual.
Muitas vezes escondida a violência psicológica é tão ou mais grave que a própria vilência fisica, porque envolve agressão verbal, ameaças, gestos e posturas agressivas. Este tipo de violência pode gerar mais violência ou em casos extremos a homicidio ou suicidio. Muitos dos casos de violência doméstica encontram-se associados ao consumo de álcool e drogas, o agressor quando sóbrio ou normal até é "amável", o que muitas vezes associado ao medo ou dificuldades económicas pode dificultar a decisão do parceiro em denunciá-lo.
Há quem afirme que em geral os homens que batem nas mulheres o fazem entre quatro paredes, para que não sejam vistos por parentes, amigos, familiares e colegas de trabalho. A cultura popular tanto propõe a proteção das mulheres (em mulher não se bate nem com uma flor) como estimula a agressão contra as mulheres (mulher gosta de apanhar) chegando a aceitar o homicídio em casos de adultério, e defesa da honra. A violência praticada contra o homem também existe, mas o homem tende a esconder por vergonha. 
Uma das piores coisas que podem acontecer a um país são: Ter um povo conformado e apático e ter políticos incompetentes.
É estranho vermos dia após dia, praticamente às mesmas coisas nos jornais e televisão e observar-mos que nada muda. Coisas simples, que seriam de fácil resolução, desde que fossem aplicados princípios como bom senso, vontade e em alguns casos mão de ferro, e coragem para adoptar certas medidas. Os políticos governam para os mídia e o povo tolera tudo com uma apatia e um conformismo que beiram a insanidade. As questões da segurança pública, educação, saúde, emprego, justiça e ética são tratadas muitas vezes no nosso país pelos políticos como coisas menores e sem importância e o povo aceita esta situação com extrema facilidade e cândida indiferença.

Todos os dias somos confrontados com violência, preenche todos os cabeçalhos dos jornais, abre telejornais e noticiários, e atemoriza aqueles que são vitimas, e todos os que se sentem ameaçados por esta conturbação. Jovens que crescem na rua, homens sem tecto e que dormem onde calha, adolescentes e adultos que partem para a violência, dirigentes politicos que ameaçam com a guerra, covardes extremistas que bombardeam e matam. É a violência pela violência. E é pena que não se tenha prevenido para agora ser necessário remediar.


Saiba quais os factores que levam certas pessoas a ter ataques de fúria, qual a reacção química que provoca o ódio e a violência, bem como o ambiente que rodeia o indivíduo. Um video a não perder.
PUBLICADO digitalblueradio às 23:04 | LINK DO POST
tags:
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
31994042009
Perfeito. Me sinto da mesma forma. Parece que desc...
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
subscrever feeds
SAPO Blogs