O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
Deram-me um nome e idade, um destino para cultivar
Passou uma eternidade, e eu ainda nem sei andar!

Escrevo sem o saber, minha mão assim dita,
Eu escrevo para esquecer que faço parte desta fita!

No meu caminho há espigas que crescem sem eu saber
São esperanças esquecidas que caem ao amanhecer.

Andam todos a procurar, destinos não destinados
Foi muita gente ao mar com barcos já naufragados.

As palavras escapam-me da boca, e até hoje não disse nada
vesti farda e em troca, despia desbotada.

Trago nas mãos o cansaço de a vida ver passar 
Ser da vida um palhaço e a cruz ter de carregar.

A vida passou-me uma rasteira, caí e não mais me soube erguer
Tal era a bebedeira que tudo me impediu de ver.

A minha alma abandonei, nesta já longa caminhada
Tive-te algum dia? Não sei,...sei que sou apenas ( nada ).

Nas achas de uma fogueira, eu queimei a esperança
E olhando aquela lareira, tive de ti uma pequena lembrança!

Vi-te surgir na noite estrelada, vinhas de branco vestida
Então resolvi, chamar-te VIDA, e com o brilhar da noite soube que te amava.

Um dia disse: Querida é de ti que eu preciso!
Nesse instante, da noite se fez dia e da terra Paraíso.

Saudade, é folha caida que o vento arrasta na lama
É  pedaço de vida, que se dá a quem se ama.

Fui apunhalado no peito, por um punhal de rejeição,
que em mim deixou marcas,.. feridas no coração! 
PUBLICADO digitalblueradio às 13:44 | LINK DO POST
tags:
Deram-me um nome e idade, um destino para cultivar
Passou uma eternidade, e eu ainda nem sei andar!

Escrevo sem o saber, minha mão assim dita,
Eu escrevo para esquecer que faço parte desta fita!

No meu caminho há espigas que crescem sem eu saber
São esperanças esquecidas que caem ao amanhecer.

Andam todos a procurar, destinos não destinados
Foi muita gente ao mar com barcos já naufragados.

As palavras escapam-me da boca, e até hoje não disse nada
vesti farda e em troca, despia desbotada.

Trago nas mãos o cansaço de a vida ver passar 
Ser da vida um palhaço e a cruz ter de carregar.

A vida passou-me uma rasteira, caí e não mais me soube erguer
Tal era a bebedeira que tudo me impediu de ver.

A minha alma abandonei, nesta já longa caminhada
Tive-te algum dia? Não sei,...sei que sou apenas ( nada ).

Nas achas de uma fogueira, eu queimei a esperança
E olhando aquela lareira, tive de ti uma pequena lembrança!

Vi-te surgir na noite estrelada, vinhas de branco vestida
Então resolvi, chamar-te VIDA, e com o brilhar da noite soube que te amava.

Um dia disse: Querida é de ti que eu preciso!
Nesse instante, da noite se fez dia e da terra Paraíso.

Saudade, é folha caida que o vento arrasta na lama
É  pedaço de vida, que se dá a quem se ama.

Fui apunhalado no peito, por um punhal de rejeição,
que em mim deixou marcas,.. feridas no coração! 
PUBLICADO digitalblueradio às 13:44 | LINK DO POST
tags:
Deram-me um nome e idade, um destino para cultivar
Passou uma eternidade, e eu ainda nem sei andar!

Escrevo sem o saber, minha mão assim dita,
Eu escrevo para esquecer que faço parte desta fita!

No meu caminho há espigas que crescem sem eu saber
São esperanças esquecidas que caem ao amanhecer.

Andam todos a procurar, destinos não destinados
Foi muita gente ao mar com barcos já naufragados.

As palavras escapam-me da boca, e até hoje não disse nada
vesti farda e em troca, despia desbotada.

Trago nas mãos o cansaço de a vida ver passar 
Ser da vida um palhaço e a cruz ter de carregar.

A vida passou-me uma rasteira, caí e não mais me soube erguer
Tal era a bebedeira que tudo me impediu de ver.

A minha alma abandonei, nesta já longa caminhada
Tive-te algum dia? Não sei,...sei que sou apenas ( nada ).

Nas achas de uma fogueira, eu queimei a esperança
E olhando aquela lareira, tive de ti uma pequena lembrança!

Vi-te surgir na noite estrelada, vinhas de branco vestida
Então resolvi, chamar-te VIDA, e com o brilhar da noite soube que te amava.

Um dia disse: Querida é de ti que eu preciso!
Nesse instante, da noite se fez dia e da terra Paraíso.

Saudade, é folha caida que o vento arrasta na lama
É  pedaço de vida, que se dá a quem se ama.

Fui apunhalado no peito, por um punhal de rejeição,
que em mim deixou marcas,.. feridas no coração! 
PUBLICADO digitalblueradio às 13:44 | LINK DO POST
tags:
Ana Bela Alves nasceu em Sintra a 28 de Setembro de 1954 é conhecida artisticamente como "Ana". Iniciou-se no mundo da música em 1980. O seu primeiro single "Sonha comigo" foi logo um grande sucesso. 
Em 1981 lançou o segundo trabalho, "Quanto Mais Te Bato" e em 1982 lança o seu quarto single, "Dama de Copas", que era uma versão de um tema de Agnetha Falkstog. O álbum "Tenho Sede de Amar" inclui os primeiros singles e ainda uma versão de "Woman In Love" de Barbra Streisand.
Em 1983 edita "Primeiro Beijo" e participa na edição de 1983 do Festival RTP da Canção com "Parabéns, Parabéns a Você", a seguir lança o single "Começar". No ano seguinte, gravou o tema "Alegria de Viver", da autoria de Dino Meira. O single "Laranja, Laranjinha" é editado em 1985. 
Lança o álbum "Tapete Voador - Os sucessos da Ana Maria" em 1986.
Ainda em 1986 grava "Não Digas Mais Nada", "No More Empty Words" e "Meu Bombom". Em 1989 grava o álbum "Só Mais Um Beijo"
Em 1991 lança o disco "Faz de Mim Cetim". No ano seguinte é editado o álbum "Filha do Vento". Regressou em 1994, lançando os álbuns "Amor Bandido" (1994) e "Doce Tropical" (1995).
Depois lançou os álbuns "Açúcar Moreno", em 1997, e "Amor Divino", em 1999.
Em 2004 a comemorar 25 anos de carreira, reúne os seus maiores sucessos no álbum "O Melhor de Ana".
Em 2006 é lançado o disco "Aromas". O disco "Revelações" foi lançado em 2008. 
Ana (juro por este amor)
Ana (teu beijo salgado)
Uma voz inconfundivel no panorama musical Português
PUBLICADO digitalblueradio às 12:58 | LINK DO POST
Ana Bela Alves nasceu em Sintra a 28 de Setembro de 1954 é conhecida artisticamente como "Ana". Iniciou-se no mundo da música em 1980. O seu primeiro single "Sonha comigo" foi logo um grande sucesso. 
Em 1981 lançou o segundo trabalho, "Quanto Mais Te Bato" e em 1982 lança o seu quarto single, "Dama de Copas", que era uma versão de um tema de Agnetha Falkstog. O álbum "Tenho Sede de Amar" inclui os primeiros singles e ainda uma versão de "Woman In Love" de Barbra Streisand.
Em 1983 edita "Primeiro Beijo" e participa na edição de 1983 do Festival RTP da Canção com "Parabéns, Parabéns a Você", a seguir lança o single "Começar". No ano seguinte, gravou o tema "Alegria de Viver", da autoria de Dino Meira. O single "Laranja, Laranjinha" é editado em 1985. 
Lança o álbum "Tapete Voador - Os sucessos da Ana Maria" em 1986.
Ainda em 1986 grava "Não Digas Mais Nada", "No More Empty Words" e "Meu Bombom". Em 1989 grava o álbum "Só Mais Um Beijo"
Em 1991 lança o disco "Faz de Mim Cetim". No ano seguinte é editado o álbum "Filha do Vento". Regressou em 1994, lançando os álbuns "Amor Bandido" (1994) e "Doce Tropical" (1995).
Depois lançou os álbuns "Açúcar Moreno", em 1997, e "Amor Divino", em 1999.
Em 2004 a comemorar 25 anos de carreira, reúne os seus maiores sucessos no álbum "O Melhor de Ana".
Em 2006 é lançado o disco "Aromas". O disco "Revelações" foi lançado em 2008. 
Ana (juro por este amor)
Ana (teu beijo salgado)
Uma voz inconfundivel no panorama musical Português
PUBLICADO digitalblueradio às 12:58 | LINK DO POST
Ana Bela Alves nasceu em Sintra a 28 de Setembro de 1954 é conhecida artisticamente como "Ana". Iniciou-se no mundo da música em 1980. O seu primeiro single "Sonha comigo" foi logo um grande sucesso. 
Em 1981 lançou o segundo trabalho, "Quanto Mais Te Bato" e em 1982 lança o seu quarto single, "Dama de Copas", que era uma versão de um tema de Agnetha Falkstog. O álbum "Tenho Sede de Amar" inclui os primeiros singles e ainda uma versão de "Woman In Love" de Barbra Streisand.
Em 1983 edita "Primeiro Beijo" e participa na edição de 1983 do Festival RTP da Canção com "Parabéns, Parabéns a Você", a seguir lança o single "Começar". No ano seguinte, gravou o tema "Alegria de Viver", da autoria de Dino Meira. O single "Laranja, Laranjinha" é editado em 1985. 
Lança o álbum "Tapete Voador - Os sucessos da Ana Maria" em 1986.
Ainda em 1986 grava "Não Digas Mais Nada", "No More Empty Words" e "Meu Bombom". Em 1989 grava o álbum "Só Mais Um Beijo"
Em 1991 lança o disco "Faz de Mim Cetim". No ano seguinte é editado o álbum "Filha do Vento". Regressou em 1994, lançando os álbuns "Amor Bandido" (1994) e "Doce Tropical" (1995).
Depois lançou os álbuns "Açúcar Moreno", em 1997, e "Amor Divino", em 1999.
Em 2004 a comemorar 25 anos de carreira, reúne os seus maiores sucessos no álbum "O Melhor de Ana".
Em 2006 é lançado o disco "Aromas". O disco "Revelações" foi lançado em 2008. 
Ana (juro por este amor)
Ana (teu beijo salgado)
Uma voz inconfundivel no panorama musical Português
PUBLICADO digitalblueradio às 12:58 | LINK DO POST
tags:
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
31994042009
Perfeito. Me sinto da mesma forma. Parece que desc...
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
subscrever feeds
SAPO Blogs