O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
Jorge Manuel de Abreu Palma nasceu em Lisboa a 4 de Junho de 1950. Aos seis anos, e ao mesmo tempo que aprendia a ler e a escrever, iniciou os estudos de piano. Foi no Conservatório Nacional a sua primeira audição, aos oito anos, numa altura em que era aluno de Maria Fernanda Chichorro. Durante a adolescência começa a interessar-se pelo rock’n’roll, e, de um modo geral, pela música popular americana e inglesa. É por esta altura que descobre a guitarra. Bob Dylan, Led Zeppelin e Lou Reed são algumas das suas influências.
Em 1967, no Algarve, integra o grupo "Black Boys", de 1969 a 1971, enquanto estuda Engenharia na Faculdade de Ciências de Lisboa, integra o grupo pop-rock "Sindicato", do grupo faziam parte Rão Kyao, Vítor Mamede, João Maló, Rui Cardoso e Ricardo Levi. Em 1971, gravaram o single "Smile". A estreia a solo de Jorge Palma acontece com o single "The Nine Billion Names of God"(1972), título de um conto de Arthur C. Clarke e inspirado também no livro "O Despertar dos Mágicos", de Louis Pauwels e Jacques Bergier. Por esta altura, inicia uma colaboração com José Carlos Ary dos Santos, que o ajuda a aperfeiçoar a escrita poética, e com quem estabelece uma relação aluno-mestre. Deste contacto resulta o EP "A Última Canção" (1973), com quatro composições de Jorge Palma, duas delas com letras de Ary dos Santos.

Em 1973, recusando cumprir o serviço militar obrigatório, e, consequentemente, embarcar numa guerra para o Ultramar, parte para a Dinamarca, com Gisela Branco, a sua primeira mulher, onde lhe foi concedido asilo político. Na Dinamarca trabalhou como empregado num hotel. Regressou a Portugal após o 25 de Abril de 1974, iniciando uma carreira como orquestrador, entre 1974 e 1977, na indústria discográfica. Fez arranjos para Pedro Barroso, Paco Bandeira, Francisco Naia, Rui de Mascarenhas, Tonicha, Adelaide Ferreira e para os agrupamentos "Intróito" e "Maranata"
Em 1975, concorreu ao Festival RTP da Canção com "O Pecado Capital", uma canção defendida em dueto com Fernando Girão, e "Viagem", uma composição de Nuno Nazareth Fernandes com letra sua. Ficaram classificadas em 7º e 8º lugares, respectivamente, num total de dez canções concorrentes. Nesse ano gravou o seu primeiro LP, "Com uma Viagem na Palma da Mão", para a Valentim de Carvalho, com canções compostas durante o exílio político em Copenhaga. Depois da gravação do seu segundo trabalho discográfico "Té Já" (1977), partiu em viagem, cantando e tocando guitarra nas ruas de várias cidades espanholas e francesas. Em 1979, vive alguns meses em Portugal, morando no "Ninho das Águias", junto ao Castelo de S. Jorge, em Lisboa. Grava "Qualquer Coisa Pá Música", o seu terceiro álbum de originais.
No início da década de 80, regressou a Paris, com a sua segunda mulher, Graça Lami, voltando a Portugal em 1982 para gravar o álbum duplo "Acto Contínuo".
Vicente, o seu primeiro filho, nasce em 1983 e a ele dedica a música "Castor", do seu quinto álbum de originais "Asas e Penas" (1984). O ano seguinte é marcado pelo lançamento do seu sexto álbum de originais e um dos mais aclamados da sua carreira, "O Lado Errado da Noite". O single "Deixa-me Rir" teve um enorme sucesso.  
E este tema "Cara de Anjo Mau"
Em 1986 gravou o seu sétimo álbum de originais "Quarto Minguante". Em 1989, edita "Bairro do Amor". Em 1991, foi editado "Só". O álbum "Ao Vivo no Johnny Guitar", de 1993, surge na sequência da formação do grupo "Palma’s Gang", que reuniu os músicos Kalu e Zé Pedro (Xutos e Pontapés) e Flak e Alex (Rádio Macau). Entretanto nasce o seu segundo filho Francisco. Integrou o agrupamento "Rio Grande", em 1996, formado por Tim (Xutos e Pontapés), João Gil (Ala dos Namorados), Rui Veloso e Vitorino, que alcançou uma considerável popularidade, gravando dois CD’s (1996 e 1998).
Em 2000 saí a colectânea "Dá-me Lume", participa no álbum de tributo a Rui Veloso.
e empresta a sua voz a "Laura", canção pertencente à banda sonora do tele-filme da SIC, "A Noiva".

Em 2001 é editado o álbum "Jorge Palma" e deu a voz a "Diz-me Tudo", música de abertura da telenovela portuguesa da SIC “Ganância”. Em 2002, os "Cabeças no Ar" - na prática, os "Rio Grande" sem Vitorino - lançam um disco. "Qualquer Coisa Pá Música" é reeditado em CD. Em 2004 gravou, no Porto, o álbum "Norte". Lançou em 2007 o disco "Voo Nocturno".

Em 2008 casou com Rita Tomé, e é editado o disco "Voo Nocturno ao Vivo". Entretanto mais um sucesso, um tema de uma novela da TVI "Encosta-te a mim".
 Lançou em 2010 o single "Tudo por um beijo", banda sonora do filme "A Bela e o Paparazzo"
Discografia

Álbuns
"Com Uma Viagem na Palma da Mão" (1975)
"Té Já" (1977)
"Qualquer Coisa Pá Música" (1979)
"Acto Contínuo" (1982)
"Asas e Penas" (1984)
"O Lado Errado da Noite" (1985)
"Quarto Minguante" (1986)
"Bairro do Amor" (1989)
"Só" (1991)
"É Prohibido Fumar" (2001)
"No Tempo dos Assassinos" (2002)
"Norte" (2004)
"Voo Nocturno" (2007)
"Voo Nocturno ao Vivo" (2008)
Outros Projectos
1993 - Palma's Gang - "Ao Vivo no Johnny Guitar"
1996 - Rio Grande - "Rio Grande"
1997 - Rio Grande - "Dia do Concerto" (Álbum Ao Vivo)
2002 - Cabeças no Ar – "Cabeças no Ar"
PUBLICADO digitalblueradio às 15:00 | LINK DO POST
Franz Kafka nasceu em Praga a 3 de julho de 1883 e morreu a 3 de junho de 1924, foi um dos maiores escritores de ficção da língua alemã do século XX. Kafka nasceu numa família de classe média judia em Praga, o seu pai era Hermann Kafka empresário, a mãe chamava-se Julie. O seu estilo literário está presente em obras como "A Metamorfose" (1915), "O Processo (1925) e "O Castelo" (1926). Franz era o mais velho de seis filhos. Ele tinha dois irmãos mais novos, Georg e Heinrich, que morreram cedo e três irmãs mais novas: Gabriele, Valerie e Ottilie.
A mãe de Franz ajudava a administrar os negócios do marido e as foram criadas em grande parte por uma série de governantas e funcionários. Durante a Segunda Guerra Mundial, as irmãs de Kafka foram enviadas para o Gueto de Lodz e morreram ali em campos de extermínio. Ottla foi enviada para o campo de concentração de Theresienstadt e em seguida para o campo de extermínio de Auschwitz , onde 1.267 crianças e 51 encarregados de educação, incluindo Ottla, foram asfixiados com gás até a morte.
Kafka cresce sob as influências de três culturas: a judaica, a tcheca e a alemã. Em 1903, Kafka tem a sua primeira relação sexual, o que lhe trará alguma insegurança por toda a vida. Nesse ano também, ele faz a sua primeira visita a um sanatório. Teve vários casos amorosos mal resolvidos, uns por intervenção dos pais das raparigas, outros por desinteresse próprio. Entre 1914 e 1924, Kafka esteve três vezes perto do casamento. Desistiu sempre. Tentou primeiro por duas ocasiões com Felice Bauer, uma alemã com quem se correspondeu até 1917. A última vez foi com Julie Wohryzek, mais nova do que ele.
Kafka queria estudar Filosofia, no entanto é impedido pelo pai, tendo de decidir entre Química e Direito, Franz opta pela faculdade de Química. Permanece 15 dias no curso e desiste, entrando para a faculdade de Direito, formou-se em 1906. Solitário, com a vida afetiva marcada por irresoluções e frustrações, Kafka atingiu pouca fama com os seus livros, na maioria editados postumamente. Mesmo assim era respeitado nos círculos de literatura que frequentava. 
Epitáfios em hebraico no túmulo da família Kafka
O seu livro "A Metamorfose" (1915) narra o caso de um homem que acorda transformado num enorme inseto; 
"O Processo" (1925) conta a história de um homem julgado e condenado por um crime que ele mesmo ignora; 
O livro "A Colônia Penal" (1914) fala sobre uma máquina que tem o poder de executar sentenças. Trata-se de uma história absurda sobre uma Colônia que usa esta máquina para torturar e matar pessoas, sem que estas sequer saibam o porquê da sua morte. Autor de várias colectâneas de contos, Kafka escreveu também a avassaladora "Carta ao Pai" (1919) e centenas de páginas de diários. Deixou inacabado o romance "Amerika" e mesmo alguns capítulos de "O Processo". Kafka morreu num sanatório perto de Viena, onde se internou com tuberculose, faleceu no dia 3 de junho de 1924 a causa oficial da sua morte foi insuficiência cardíaca.
PUBLICADO digitalblueradio às 14:59 | LINK DO POST
tags:
Franz Kafka nasceu em Praga a 3 de julho de 1883 e morreu a 3 de junho de 1924, foi um dos maiores escritores de ficção da língua alemã do século XX. Kafka nasceu numa família de classe média judia em Praga, o seu pai era Hermann Kafka empresário, a mãe chamava-se Julie. O seu estilo literário está presente em obras como "A Metamorfose" (1915), "O Processo (1925) e "O Castelo" (1926). Franz era o mais velho de seis filhos. Ele tinha dois irmãos mais novos, Georg e Heinrich, que morreram cedo e três irmãs mais novas: Gabriele, Valerie e Ottilie.
A mãe de Franz ajudava a administrar os negócios do marido e as foram criadas em grande parte por uma série de governantas e funcionários. Durante a Segunda Guerra Mundial, as irmãs de Kafka foram enviadas para o Gueto de Lodz e morreram ali em campos de extermínio. Ottla foi enviada para o campo de concentração de Theresienstadt e em seguida para o campo de extermínio de Auschwitz , onde 1.267 crianças e 51 encarregados de educação, incluindo Ottla, foram asfixiados com gás até a morte.
Kafka cresce sob as influências de três culturas: a judaica, a tcheca e a alemã. Em 1903, Kafka tem a sua primeira relação sexual, o que lhe trará alguma insegurança por toda a vida. Nesse ano também, ele faz a sua primeira visita a um sanatório. Teve vários casos amorosos mal resolvidos, uns por intervenção dos pais das raparigas, outros por desinteresse próprio. Entre 1914 e 1924, Kafka esteve três vezes perto do casamento. Desistiu sempre. Tentou primeiro por duas ocasiões com Felice Bauer, uma alemã com quem se correspondeu até 1917. A última vez foi com Julie Wohryzek, mais nova do que ele.
Kafka queria estudar Filosofia, no entanto é impedido pelo pai, tendo de decidir entre Química e Direito, Franz opta pela faculdade de Química. Permanece 15 dias no curso e desiste, entrando para a faculdade de Direito, formou-se em 1906. Solitário, com a vida afetiva marcada por irresoluções e frustrações, Kafka atingiu pouca fama com os seus livros, na maioria editados postumamente. Mesmo assim era respeitado nos círculos de literatura que frequentava. 
Epitáfios em hebraico no túmulo da família Kafka
O seu livro "A Metamorfose" (1915) narra o caso de um homem que acorda transformado num enorme inseto; 
"O Processo" (1925) conta a história de um homem julgado e condenado por um crime que ele mesmo ignora; 
O livro "A Colônia Penal" (1914) fala sobre uma máquina que tem o poder de executar sentenças. Trata-se de uma história absurda sobre uma Colônia que usa esta máquina para torturar e matar pessoas, sem que estas sequer saibam o porquê da sua morte. Autor de várias colectâneas de contos, Kafka escreveu também a avassaladora "Carta ao Pai" (1919) e centenas de páginas de diários. Deixou inacabado o romance "Amerika" e mesmo alguns capítulos de "O Processo". Kafka morreu num sanatório perto de Viena, onde se internou com tuberculose, faleceu no dia 3 de junho de 1924 a causa oficial da sua morte foi insuficiência cardíaca.
PUBLICADO digitalblueradio às 14:59 | LINK DO POST
tags:
Franz Kafka nasceu em Praga a 3 de julho de 1883 e morreu a 3 de junho de 1924, foi um dos maiores escritores de ficção da língua alemã do século XX. Kafka nasceu numa família de classe média judia em Praga, o seu pai era Hermann Kafka empresário, a mãe chamava-se Julie. O seu estilo literário está presente em obras como "A Metamorfose" (1915), "O Processo (1925) e "O Castelo" (1926). Franz era o mais velho de seis filhos. Ele tinha dois irmãos mais novos, Georg e Heinrich, que morreram cedo e três irmãs mais novas: Gabriele, Valerie e Ottilie.
A mãe de Franz ajudava a administrar os negócios do marido e as foram criadas em grande parte por uma série de governantas e funcionários. Durante a Segunda Guerra Mundial, as irmãs de Kafka foram enviadas para o Gueto de Lodz e morreram ali em campos de extermínio. Ottla foi enviada para o campo de concentração de Theresienstadt e em seguida para o campo de extermínio de Auschwitz , onde 1.267 crianças e 51 encarregados de educação, incluindo Ottla, foram asfixiados com gás até a morte.
Kafka cresce sob as influências de três culturas: a judaica, a tcheca e a alemã. Em 1903, Kafka tem a sua primeira relação sexual, o que lhe trará alguma insegurança por toda a vida. Nesse ano também, ele faz a sua primeira visita a um sanatório. Teve vários casos amorosos mal resolvidos, uns por intervenção dos pais das raparigas, outros por desinteresse próprio. Entre 1914 e 1924, Kafka esteve três vezes perto do casamento. Desistiu sempre. Tentou primeiro por duas ocasiões com Felice Bauer, uma alemã com quem se correspondeu até 1917. A última vez foi com Julie Wohryzek, mais nova do que ele.
Kafka queria estudar Filosofia, no entanto é impedido pelo pai, tendo de decidir entre Química e Direito, Franz opta pela faculdade de Química. Permanece 15 dias no curso e desiste, entrando para a faculdade de Direito, formou-se em 1906. Solitário, com a vida afetiva marcada por irresoluções e frustrações, Kafka atingiu pouca fama com os seus livros, na maioria editados postumamente. Mesmo assim era respeitado nos círculos de literatura que frequentava. 
Epitáfios em hebraico no túmulo da família Kafka
O seu livro "A Metamorfose" (1915) narra o caso de um homem que acorda transformado num enorme inseto; 
"O Processo" (1925) conta a história de um homem julgado e condenado por um crime que ele mesmo ignora; 
O livro "A Colônia Penal" (1914) fala sobre uma máquina que tem o poder de executar sentenças. Trata-se de uma história absurda sobre uma Colônia que usa esta máquina para torturar e matar pessoas, sem que estas sequer saibam o porquê da sua morte. Autor de várias colectâneas de contos, Kafka escreveu também a avassaladora "Carta ao Pai" (1919) e centenas de páginas de diários. Deixou inacabado o romance "Amerika" e mesmo alguns capítulos de "O Processo". Kafka morreu num sanatório perto de Viena, onde se internou com tuberculose, faleceu no dia 3 de junho de 1924 a causa oficial da sua morte foi insuficiência cardíaca.
PUBLICADO digitalblueradio às 14:59 | LINK DO POST
tags:
 Ana Bola nasceu em Lisboa a 2 de Junho de 1952, actriz.
Frequentou o Liceu Francês "Charles Lepierre" e terminou o curso de Secretariado do Instituto Superior de Línguas e Administração, em Lisboa. Fazia teatro amador quando conheceu o actor Henrique Viana, que a levou a estrear-se no Teatro Adóque, com a comédia 1926 Noves Fora Nada (1976).
Popularizada pela televisão, onde se iniciou com participações nos programas "O Fungagá da Bicharada" (1976) e "O Passeio dos Alegres" (1981), assinou sitcoms como "A Mulher do Sr. Ministro" (1994), acabando por iniciar com Herman José uma longa colaboração, a partir de 1987, data de "Humor de Perdição"
e "Casino Royal". Além disso integrou o conjunto "Os Amigos", ao lado de Paulo de Carvalho, Luisa Basto, Fernando Tordo, Eduardo Silva e Fernando Piçarra, que vence o Festival RTP da Canção de 1977. 
Em 1981 fez parte do côro da canção de Carlos Paião, "Play-back" (juntamente com Peter Petersen), vencedora do Festival RTP da Canção desse ano, que representaria Portugal no Festival Eurovisão da Canção 1981, realizado na Irlanda.
PUBLICADO digitalblueradio às 14:58 | LINK DO POST
 Ana Bola nasceu em Lisboa a 2 de Junho de 1952, actriz.
Frequentou o Liceu Francês "Charles Lepierre" e terminou o curso de Secretariado do Instituto Superior de Línguas e Administração, em Lisboa. Fazia teatro amador quando conheceu o actor Henrique Viana, que a levou a estrear-se no Teatro Adóque, com a comédia 1926 Noves Fora Nada (1976).
Popularizada pela televisão, onde se iniciou com participações nos programas "O Fungagá da Bicharada" (1976) e "O Passeio dos Alegres" (1981), assinou sitcoms como "A Mulher do Sr. Ministro" (1994), acabando por iniciar com Herman José uma longa colaboração, a partir de 1987, data de "Humor de Perdição"
e "Casino Royal". Além disso integrou o conjunto "Os Amigos", ao lado de Paulo de Carvalho, Luisa Basto, Fernando Tordo, Eduardo Silva e Fernando Piçarra, que vence o Festival RTP da Canção de 1977. 
Em 1981 fez parte do côro da canção de Carlos Paião, "Play-back" (juntamente com Peter Petersen), vencedora do Festival RTP da Canção desse ano, que representaria Portugal no Festival Eurovisão da Canção 1981, realizado na Irlanda.
PUBLICADO digitalblueradio às 14:58 | LINK DO POST
 Ana Bola nasceu em Lisboa a 2 de Junho de 1952, actriz.
Frequentou o Liceu Francês "Charles Lepierre" e terminou o curso de Secretariado do Instituto Superior de Línguas e Administração, em Lisboa. Fazia teatro amador quando conheceu o actor Henrique Viana, que a levou a estrear-se no Teatro Adóque, com a comédia 1926 Noves Fora Nada (1976).
Popularizada pela televisão, onde se iniciou com participações nos programas "O Fungagá da Bicharada" (1976) e "O Passeio dos Alegres" (1981), assinou sitcoms como "A Mulher do Sr. Ministro" (1994), acabando por iniciar com Herman José uma longa colaboração, a partir de 1987, data de "Humor de Perdição"
e "Casino Royal". Além disso integrou o conjunto "Os Amigos", ao lado de Paulo de Carvalho, Luisa Basto, Fernando Tordo, Eduardo Silva e Fernando Piçarra, que vence o Festival RTP da Canção de 1977. 
Em 1981 fez parte do côro da canção de Carlos Paião, "Play-back" (juntamente com Peter Petersen), vencedora do Festival RTP da Canção desse ano, que representaria Portugal no Festival Eurovisão da Canção 1981, realizado na Irlanda.
PUBLICADO digitalblueradio às 14:58 | LINK DO POST
tags:
O Dia Mundial da Criança é oficialmente a 20 de novembro, data que a ONU reconhece como Dia Universal das Crianças por ser a data em que foi aprovada a Declaração dos Direitos da Criança. Porém, a data efectiva de comemoração varia de país para país.

Em Portugal, o dia das crianças é festejado no dia 1 de junho, pois o mês de maio homenageia Maria, mãe de Jesus. O dia da criança foi comemorado, no mundo inteiro a 1 de junho de 1950.
PUBLICADO digitalblueradio às 14:57 | LINK DO POST
O Dia Mundial da Criança é oficialmente a 20 de novembro, data que a ONU reconhece como Dia Universal das Crianças por ser a data em que foi aprovada a Declaração dos Direitos da Criança. Porém, a data efectiva de comemoração varia de país para país.

Em Portugal, o dia das crianças é festejado no dia 1 de junho, pois o mês de maio homenageia Maria, mãe de Jesus. O dia da criança foi comemorado, no mundo inteiro a 1 de junho de 1950.
PUBLICADO digitalblueradio às 14:57 | LINK DO POST
O Dia Mundial da Criança é oficialmente a 20 de novembro, data que a ONU reconhece como Dia Universal das Crianças por ser a data em que foi aprovada a Declaração dos Direitos da Criança. Porém, a data efectiva de comemoração varia de país para país.

Em Portugal, o dia das crianças é festejado no dia 1 de junho, pois o mês de maio homenageia Maria, mãe de Jesus. O dia da criança foi comemorado, no mundo inteiro a 1 de junho de 1950.
PUBLICADO digitalblueradio às 14:57 | LINK DO POST
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
29
30
COMENTÁRIOS
31994042009
Perfeito. Me sinto da mesma forma. Parece que desc...
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
subscrever feeds
SAPO Blogs