O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
Os "Madredeus" combinam influências da música tradicional portuguesa com a música erudita e com a música popular contemporânea. Os elementos fundadores do grupo foram: Pedro Ayres Magalhães, Rodrigo Leão, Francisco Ribeiro(falecido em Setembro de 2010), Gabriel Gomes e Teresa Salgueiro.
Pedro Ayres Magalhães e Rodrigo Leão formaram o grupo em 1985, Francisco Ribeiro e Gabriel Gomes juntaram-se a eles em 1986. Na sua busca por uma vocalista, descobriram Teresa Salgueiro numa casa nocturna de Lisboa, quando cantava fado numa reunião informal de amigos. Teresa foi convidada para uma audição e aí surgia o grupo, que ainda não tinha nome. Em 1987, o local de trabalho do grupo, o "Teatro Ibérico" (antiga igreja do Convento das Xabregas, num bairro de Lisboa chamado Madredeus) serviu de estúdio de gravação para mais de quinze temas reunidos à época num LP duplo, depois convertido para o formato de CD. Chamaram-no de "Os dias da Madredeus" e daí viria o nome do grupo. O carácter inovador do álbum fez com que os Madredeus se tornasse um fenómeno instantâneo de popularidade.
Em 1990 foi editado o segundo disco dos Madredeus, "Existir", que teve na canção "O Pastor" um grande sucesso. Seguiu-se um disco gravado ao vivo em Lisboa, no qual o grupo interpretava canções dos dois primeiros discos e incluía novos temas, um dos quais "Mudar de Vida" com a participação dos guitarristas Carlos Paredes e Luísa Amaro. Em 1994 a banda lança "O Espírito da Paz", durante as sessões de gravação de "O Espírito da Paz", que decorreram em Inglaterra, os Madredeus gravaram outro disco, que seria editado em 1995. Wim Wenders, impressionado com a música do grupo, tinha-os convidado para musicarem um filme sobre Lisboa, chamado "Lisbon Story"(Viagem a Lisboa), do qual o grupo foi protagonista. 
Em 1995, incorporam-se nos "Madredeus" os músicos Carlos Maria Trindade, para o lugar de Rodrigo Leão, e José Peixoto. Em 1996, Francisco Ribeiro e Gabriel Gomes deixam o grupo e em 1997, os "Madredeus" gravaram o primeiro álbum com a nova formação, intitulado "O Paraíso". No mesmo ano ingressa no grupo Fernando Júdice.

Em 1998, o grupo foi convidado a ser a atracção do concerto de abertura da Expo'98 em Lisboa, ocasião na qual se apresentaram ao lado do tenor espanhol José Carreras. O ano de 2000 marcou o lançamento do álbum "Antologia", com canções de toda a discografia do grupo até então e mais duas canções inéditas: "Oxalá" e "As Brumas do Futuro", tema do filme de estreia da actriz Maria de Medeiros como directora, "Capitães de Abril", sobre a Revolução dos Cravos.
Em 2001, o grupo lança "Movimento", o segundo álbum de estúdio com a nova formação, e depois deste alguns álbuns experimentais: "Electrónico" e "Euforia", um álbum duplo com canções gravadas ao vivo pelo grupo com a "Vlaams Symfonisch Radio-orkest", Orquestra Sinfónica da Rádio Flamenga, da Bélgica.
Em 2004, os Madredeus entram em estúdio e de lá saíram canções suficientes para dois álbuns: "Um Amor Infinito" e "Faluas do Tejo". O ano de 2007 foi um ano sabático para o Madredeus, os seus integrantes desenvolveram projectos paralelos ao trabalho da banda, como Teresa Salgueiro, que lançou dois álbuns produzidos por Pedro Ayres Magalhães, e a dupla José Peixoto e Fernando Júdice, que criaram o grupo "Sal" unindo-se à voz de Ana Sofia Varela. Mas este ano viria a estar marcado pelo anúncio da saída de Teresa Salgueiro a voz emblemática dos Madredeus.
Em 2008, os Madredeus lançam um novo álbum, "Metafonia". Após a saída de Teresa Salgueiro, a banda cria um novo ensemble ao qual chamaram "A Banda Cósmica", formada pelas cantoras Rita Damásio e Mariana Abrunheiro, Ana Isabel Dias, Ruca Rebordão, Sérgio Zurawski, Gustavo Roriz, Babi Bergamini e Jorge Varrecoso como convidado sendo este mais tarde substituído por António Barbosa. Da última formação, apenas se mantiveram Pedro Ayres de Magalhães e Carlos Maria Trindade. O grupo lançou em 2009 o segundo álbum, "A Nova Aurora". Em 2010 é lançado "Castelos na Areia" e é anunciado o fim do ciclo dos Madredeus iniciado com a Banda Cósmica.
Discografia
Álbuns de estúdio
Os Dias da MadreDeus, 1987
Existir, 1990
O Espírito da Paz, 1994
Ainda, 1995
     (banda sonora do filme Lisbon Story)
O Paraíso, 1997
Movimento, 2001
Um Amor Infinito, 2004
Faluas do Tejo, 2005
Madredeus e A Banda Cósmica
Metafonia (2008)
A Nova Aurora (2009)
Castelos na Areia (2010)
Ao vivo
Lisboa (1992, gravado no Coliseu dos Recreios em Lisboa)
O Porto (1998, gravado no Coliseu do Porto)
Euforia (2002, com a participação da Flemish Radio Orchestra)
PUBLICADO digitalblueradio às 12:53 | LINK DO POST
QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
31994042009
Perfeito. Me sinto da mesma forma. Parece que desc...
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
SAPO Blogs