O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS
Vários acontecimentos marcaram a década de 60
A década de 60 representou a realização de projetos culturais e ideológicos marcados por uma crise no moralismo da sociedade, nascia o "Sonho Americano", o rock de garagem e os movimentos de vanguarda. Podemos dizer que a década de 60, se divide em duas partes, a primeira, de 1960 a 1965, marcada por um sabor de inocência e até de lirismo nas manifestações sócio-culturais, e no âmbito da política o idealismo e o entusiasmo no espírito de luta do povo. A segunda, de 1966 a 1969 revela as experiências com drogas, a perda da inocência, a revolução sexual e os protestos juvenis. 
 Surgiram os "Beatles", John F. Kennedy vencia as eleições nos EUA e surgiram os movimentos feministas e civis em favor dos negros e homossexuais. O Papa João XXIII abre o Concílio Vaticano II e revoluciona a Igreja Católica. Surgem os movimentos "hippies", com os protestos contrários à "Guerra Fria", "Guerra do Vietnam" e o racionalismo. Ocorre também a "Revolução Cubana" na América Latina, levando Fidel Castro ao poder e tem início a descolonização de África e do Caribe, com a gradual independência das antigas colônias.
 O astronauta Buzz Aldrin caminha na Lua, 20 de julho de 1969.
Tem início o uso da informática, embora ainda não de forma massificada e em 1964 a IBM lança o circuito integrado, ou chip.
Surge a Arpanet, que se tornaria o embrião da Internet e os soviéticos enviam o primeiro homem ao espaço (Iuri Gagárin) em 1961.
Neil Armstrong é o primeiro homem a pisar a Lua, em 1969.
Também em 1969, uma sonda dos EUA alcançou Marte e, meses depois, a URSS descia um robô em Vênus.
Os Beatles comandam a "Invasão Britânica" no rock, seguidos por "The Rolling Stones", "The Who", "The Kinks" e vários outros. Surge a música de protesto, com Bob Dylan, Joan Baez, Peter, Paul and Mary, entre outros. O Rock and Roll ganha crescente popularidade no mundo, e nasce a moda do "iê-iê-iê", este nome teve forte inspiração no refrão da música "She Loves You", dos Beatles: "She Loves You, Yeah, Yeah, Yeah!".
Chega aos cinemas em 1964 o primeiro filme dos Beatles, "A Hard Day's Night", no brasil nasce moda da "Jovem Guarda", inspirada num programa de tv de Roberto Carlos e em 1966 os Beatles lançam "Yellow Submarine".
No mesmo ano o grupo "The Jackson 5" é formado pelos irmãos da família Jackson, o grupo não faz sucesso na década de 60, estourando apenas na década de 70, mas foi o grupo que lançou Michael Jackson na carreira musical, quando o mesmo ainda era uma criança.
Em 1967 os Beatles lançam aquele que é considerado o melhor álbum da história: "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band" e a banda "The Doors" lança o seu primeiro álbum: "The Doors", que incluía a música "Light my Fire".
Em 1968, Elvis lança o especial de TV, "Elvis NBC TV Special". 
Em 1969 ocorre o "Festival de Woodstock", nos EUA, com apresentações ao vivo de Jimi Hendrix, Creedence Clearwater Revival, The Who, Sly and Family Stone, Carlos Santana, entre outros lendários do rock clássico. O festival tornou-se o símbolo da união entre Rock , paz e amor, ainda neste ano um elemento da banda "Rolling Stones", Brian Jones é encontrado morto na piscina da sua casa em Sussex.
É também na década de 60 que começam as transmissões de TV a cores no mundo. No cinema em 1962 surge o melhor filme da década "What Ever Happened to Baby Jane?" com Bette Davis e Joan Crowford.
É filmado "A Bout de Souffle", de Jean-Luc Godard, trazendo a bela Jean Seberg.
Podiamos também assistir ao clássico "La Dolce Vita", de Federico Fellini, com Anouk Aimée, Anita Ekberg e Marcello Mastroianni.
Stanley Kubrick lança "Dr. Strangelove", uma das maiores e mais duras críticas satíricas à Guerra Fria e Brigitte Bardot reina absoluta como o maior símbolo sexual da década.
A atriz Audrey Hepburn faz sucesso em "Breakfast at Tiffany's" e surge a série de filmes de James Bond, o espião 007, das novelas de Ian Fleming. 
O primeiro filme foi "Dr. No", com Sean Connery e a sensual Ursula Andress. No filme, fica célebre a cena de Andress usando um inesquecível biquíni branco saindo do mar, foi ela a 1ª "Bondgirl".
"Blowup", de Michelangelo Antonioni, com Jane Birkin e Veruska é um filme cheio de referências dos anos 60, Simon e Garfunkel cantam "Mrs Robinson" e "The Souns of Silence", ainda no cinema marcam também a década filmes como "Belle de Jour", de Luis Buñuel, com Catherine Deneuve e a atriz Jane Fonda é "Barbarella", uma sensual heroína espacial, "Easy Rider" é um dos filmes mais vigorosos dos anos 60, de Peter Fonda, Dennis Hopper e Terry Southern, o filme critica a intolerância e a vulgaridade da sociedade americana.
Mas outros acontecimentos históricos marcaram a década
 A guerra fria foi um dos pontos altos da década, uma disputa entre as duas superpotências da época: Estados Unidos e União Soviética, cada um dos lados procurava o desenvolvimento tecnológico mais avançado num jogo que consistia principalmente em contruir o maior arsenal de armas nucleares.
Em 1964 a "Voskhod 1" foi a primeira nave a transportar mais de uma pessoa (três) ao espaço. Em 1965, a "Voskhod 2", registou o primeiro "passeio" espacial. Aleksey Leonov foi a primeira pessoa a sair de uma nave espacial e "flutuar" no espaço, onde ficou por dez minutos.
Mas o mundo teria os olhos postos na televisão quando o módulo lunar da "Apollo 11", batizado de "eagle", pisou o solo do nosso satélite, a lua. Neil Armstrong entrou para a história como o primeiro homem a pisar a Lua, sendo logo seguido pelo seu companheiro Edwin Aldrin. Os dois passaram 22 horas na Lua, sendo dessas, 2 horas e 40 minutos fora da nave.
Com o fim da Segunda Guerra Mundial, os maridos voltaram para casa e o resultado foi uma onda de nascimento de bebés na década de 50, fenômeno que ficou conhecido como "Baby Boom"
Na década de 60, esses bebés tornaram-se jovens, que procuraram novos visuais, diferentes pensamentos e um tipo de vida diferente da dos pais, nascia a geração de 60.
Os anos 60 revelaram as experiências com drogas, a perda da inocência, a revolução sexual e os protestos juvenis.
A 21 de Abril de 1960 é inaugurada a cidade de Brasília, a nova capital do Brasil e em 1961 os Estados Unidos cortam relações diplomáticas com Cuba, já a 5 de Agosto de 1962, morre Marilyn Monroe.
 Nasce nos anos 60, o movimento hippie, "Make Love Not War"
 O movimento nasceu e teve o seu maior desenvolvimento nos EUA. Foi uma reação ao consumismo, às guerras, ao capitalismo e ás desigualdades da sociedade americana. Defendiam os valores da natureza, o amor, a paz, a liberdade sexual, a liberdade de expressão e abraçavam aspectos de religiões como o budismo e o hinduismo. Na sua expressão mais radical, os jovens hippies abandonavam o conforto dos lares paternos e rumavam para as cidades, principalmente S. Francisco, para aí viver em comunidade com outros hippies. 
Em 1963 o líder negro norte-americano, Martin Luther King encabeça uma manifestação com mais de 200 mil pessoas em Washington a favor dos direitos civis dos negros nos EUA e no mesmo ano a 22 de Novembro é assassinato John F. Kennedy durante uma visita a Dallas, no Texas. 
Em 1965 as primeiras forças de combate dos EUA são enviadas para o Vietname. Começa a Guerra.
 1967, Che Guevara é executado na Bolívia
1968, Martin Luther King é assassinado
26 de outubro de 1969 é enviada a primeira mensagem de e-mail entre computadores.
Muitas foram as personalidades que marcaram esta década, vamos apenas lembrar algumas. Papa João XXIII, Papa Paulo VI, Nikita Kruschev, Leonid Brejnev e Mao Tsé-Tung.
Também deixou a sua marca nos anos 60 a  Rainha Elisabete II,
os presidentes Americanos  Lyndon Johnson e Richard Nixon e em França Charles de Gaulle. Mas também Hirohito, Fidel Castro e  Indira Gandhi merecem também destaque.  
No mundo da musica outras vozes faziam a diferença, Elvis Presley, Bob Dylan, Bob Marley Bee Gees Tina Turner, mas também Jimi Hendrix, Jimmy Page, Led Zeppelin e Janis Joplin
Para a história ficam também figuras como, Andy Warhol, Audrey Hepburn, Beach Boys, Joe Cocker, The Monkees, The Mamas and Papas para além de Johnny Rivers, Pink Floyd e Frank Sinatra, nomes que marcaram e ainda hoje continuam a fazer a diferença no meio musical, nomes que ficarão para sempre na memória dos tempos. Ray Charles, Rod Stewart, Elis Regina, Baden Powell, Rita Pavone, Maria Bethânia, Gal Costa, e Chico Buarque e até mesmo Roberto Carlos, john lennon, Yoko Ono. É claro que muito fica por dizer e outros nomes merecem também destaque, mas fica apenas uma lembrança.
PUBLICADO digitalblueradio às 18:42 | LINK DO POST

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

QUEM SOU EU
PESQUISAR NO BLOG
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
COMENTÁRIOS
Perfeito. Me sinto da mesma forma. Parece que desc...
acho que deve ser respeitada... http://www.goiasc...
vc que é de maior tem face e whatsaap vem encontra...
a discografia tem um ep com o titulo errado, onde ...
Armando Gama fomos contemporâneos no Salvador Corr...
A juventude nos leva a caminhos ruins , e procuram...
A primeira fotografia é da Praça Marquês de Pombal...
Eu gosto de ti Beto adorei cd foi muito bom ele é ...
GANHA MENSALMENTE COMO PRESIDENTE DA COMISSÃO EURO...
Que feio!Foi no meu blog, pegou meu texto, modific...
MAIS COMENTADOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
COMENTÁRIOS
subscrever feeds
SAPO Blogs